Tudo o que você precisa saber sobre o BCIT part-time

O British Columbia Institute of Technology (BCIT) virou febre entre os brasileiros. E não é difícil entender o porquê disso: além de ser uma instituição muito bem conceituada em todo o Canadá, cerca de 90% dos alunos que concluem os cursos conseguem se inserir rapidamente no mercado de trabalho canadense. E entre as duas modalidades de programas oferecidas, uma delas tem ganhado a preferência dos estudantes internacionais: a part-time, que conta com cerca de 100 opções de cursos diferentes nas áreas de tecnologia, negócios, engenharia, artes, entre outras.

O programa BCIT part-time se diferencia principalmente pela carga horária. Ele possui uma rotina mais tranquila e flexível se comparada a dos cursos full-time da própria BCIT ou de outras instituições, o que facilita e muito a vida de quem precisa conciliar estudo e trabalho. Só para se ter uma ideia, enquanto nos cursos part-time o aluno vai ter uma carga horária aproximada de nove horas semanais, no full-time esse número pode chegar a até quase 30 horas na semana!

Além disso, os estudantes contam com muitas opções de horário para escolher, podendo montar a sua grade curricular da maneira que for melhor para eles. No full-time isso não acontece, já que o quadro de aulas é fechado. “O programa part-time foi idealizado justamente para as pessoas que já estão no mercado de trabalho e querem voltar para a faculdade para se atualizar. Por isso, há diferentes opções de horários e muitas aulas são oferecidas no período da noite”, explica o diretor educacional da 3RA, Francisco Zarro.

Outro ponto relevante é que por ser um programa com menos créditos, o valor investido é bem menor, sendo cerca de $ 4 mil dólares por termo (que responde por um período de 4 meses), praticamente metade do valor que seria investido em um curso full-time na mesma instituição.

O requerimento de inglês para ingresso neste tipo de programa também é outro ponto a favor. Por exemplo, é necessário tirar média 6.0 no IELTS , enquanto nos outros colleges públicos de Vancouver, a nota é 6.5. Além disso, o processo de matrícula é bem menos burocrático.

BCIT part-time: Permissão de trabalho

Para garantir a permissão de trabalho de 20 horas semanais e o direito de aplicar para o Post-Graduation Work Permit (PGWP) após a conclusão dos estudos, é necessário cumprir alguns requisitos. Veja abaixo:

  • O aluno precisará manter a denominada “equivalência full-time”, que no BCIT significa estar matriculado em pelo menos três matérias presenciais  que somadas deem no mínimo nove créditos em todos os termos do ano, ou seja Janeiro, Abril e Setembro. Se você optar por tirar férias e não se matricular em um desses termos, você não poderá trabalhar neste período e isso também pode ter algum impacto no futuro quando você solicitar o seu PGWP. A única exceção é o último termo, quando o estudante poderá cursar apenas o número de matérias necessárias para a conclusão do curso, mesmo que seja apenas uma, por exemplo.
  • Outra questão são as disciplinas online. Para que a imigração lhe considere um aluno full-time, a disciplina precisa ser presencial. As matérias online não entram neste critério. Isso significa que se uma de suas três disciplinas do termo for oferecida apenas online, você precisará se matricular em mais uma para manter a equivalência. Já no último termo você poderá fazer matéria online caso esteja disponível.

FAQ BCIT Part-time: Confira as respostas para as dúvidas mais frequentes de nossos clientes 

1) Preciso comprovar meu nível de inglês para entrar em um programa BCIT part-time? 

Sim. A partir de setembro de 2019, todos os alunos que se matricularem em um programa da Escola de Business precisarão atingir o nível de proficiência de inglês estipulado pela instituição.

2) Uma das matérias que quero fazer só está sendo disponibilizada online. Ela conta para que eu mantenha a minha equivalência full-time?

Não. Como já citado anteriormente, para que você mantenha a sua equivalência full-time, você precisa estar matriculado em três matérias PRESENCIAIS que juntas somam no mínimo nove créditos. Caso você queira fazer uma matéria online, ainda assim precisará se matricular em outras três presenciais de no mínimo três créditos cada, e não em apenas duas. Já no último termo o aluno está liberado para fazer matéria online se estiver disponível.

3) O que acontece se eu não me matricular em três matérias e nove créditos em algum dos termos?

Para manter a equivalência full-time e como consequência ter direito à permissão de trabalho de 20 horas semanais e à aplicar para o Post Graduation Work Permit (PGWP), o aluno internacional precisa estar matriculado em três matérias que juntas somem no mínimo nove créditos, com exceção do último termo. Caso você não faça isso, não poderá trabalhar e poderá ter complicações no momento em que for pedir o seu PGWP.

4) O que é preciso para me matricular em algum dos cursos da BCIT part-time?

Para se matricular, você precisará pagar a taxa de matrícula, no valor de CAD 154. Além disso, precisará apresentar a cópia do passaporte, a comprovação de seu status no Canadá, além do histórico escolar da instituição de ensino cursada anteriormente – para aqueles que já estão com a permissão de estudos. Também pode ser solicitado o comprovação do seguro de saúde (privado ou MSP). Em alguns casos, serão pedidas também comprovações de alguns pré-requisitos, dependendo do programa ou da matéria escolhida pelo aluno.

5) Quando são abertas as matrículas do BCIT part-time e como eu posso realizar o pagamento?

A BCIT conta com três termos durante o ano, com inícios em janeiro, abril e setembro. Para o termo de janeiro, as matrículas abrem no final de outubro. Para o de abril, o estudante poderá se matricular a partir de fevereiro. Já para as aulas com início marcado para setembro, as matrículas são abertas normalmente no final de maio.

O pagamento dos cursos escolhidos deve ser realizado no ato da matrícula e o estudante poderá pagar via transferência online (mas apenas de instituições financeiras canadenses) ou pessoalmente no campus da BCIT (dinheiro, cartão de débito, cheque, money order). Caso o seu dinheiro ainda esteja no Brasil, você poderá pagar usando o sistema de transferência da 3RA Intercâmbio, que conta com o câmbio mais baixo do mercado e IOF de apenas 0,38%.

6) Estou no Brasil. Posso me matricular em um dos programas BCIT part-time?

Não. Para se matricular em um dos programas part-time da BCIT, você precisa estar no Canadá e com status regular. Se você ainda está no Brasil, procure a equipe da 3RA Intercâmbio. Nós temos várias outras opções para você.

7) Se eu me matricular em um curso do BCIT part-time, meu cônjuge terá direito a aplicar para o visto aberto de trabalho?

Sim. Os cursos part-time da BCIT dão direito à aplicação do visto aberto de trabalho para o cônjuge.

Depoimento: “Como consegui um emprego na minha área mesmo ainda sendo estudante no Canadá”

Conseguir um emprego em sua área de atuação é o sonho de qualquer brasileiro que chega ao Canadá. Afinal, nada melhor do que trabalhar com o que a gente gosta, não é mesmo?

Porém, muitas vezes, quando se é estudante, a limitação do visto de 20 horas semanais pode tornar a busca por esse trabalho um pouco mais complicada, já que as empresas costumam preferir pessoas com disponibilidade full-time e, por isso, nesta fase inicial, os estudantes costumam buscar mais por posições entry level.

No entanto, com muito esforço e dedicação, os caminhos vão se abrindo e nós da 3RA Intercâmbio temos excelentes exemplos que comprovam esse fato. Um deles é o Danilo Sales, de 22 anos, nosso cliente, que atualmente é agente de reservas e vendas da Harbour Air.

Danilo é de São Paulo e chegou em Vancouver em dezembro de 2015. “Vim pela primeira vez em dezembro de 2011 para estudar inglês. Passei dois meses aqui e foi uma experiência incrível, me identifiquei muito com a cidade. Na época eu tinha 17 anos, então tive que voltar ao Brasil. Comecei a faculdade, mas sempre tive em minha cabeça que iria voltar”, disse.

Formadovancouver-2 em Aviação Civil, antes de embarcar para o Canadá ele trabalhava como analista de rentabilidade e vendas na Avianca Brasil. Atualmente, Danilo estuda Business Management na Douglas College.

“O curso de aviação civil é muito específico, então queria um curso que poderia complementar a graduação que já tenho no Brasil e que poderia abrir mais as portas para mim aqui em Vancouver. Fui na 3RA de São Paulo e conversei com a Hebe, que me apresentou algumas opções. Escolhi a Douglas, e não me arrependo da escolha”, contou.

Antes de conseguir o emprego na Harbour Air – uma empresa de hidroaviões de Vancouver – Danilo teve alguns outros empregos na cidade. “Meu primeiro trabalho foi no BC Place, o estádio onde acontecem os jogos do Whitecaps e do BC Lions. Comecei a trabalhar lá em março de 2016, mas era um trabalho casual, só trabalhava quando tinha jogo, ou seja, em torno de quatro vezes por mês, já que a temporada do BC Lions ainda não tinha começado. Trabalhei como caixa nos stands de alimentação”, falou.

Durante o primeiro semestre na Douglas, Danilo optou por ficar apenas neste emprego, já que ainda estava se adaptando ao College que, de acordo com ele, é bem puxado. “Quando entrei no summer break, na metade de abril de 2016, queria encontrar um trabalho full-time e a primeira oportunidade que apareceu foi em um warehouse, mas logo em seguida, também fui contratado por um fast-food mexicano. Porém, fiquei muito pouco tempo lá, já que recebi a proposta da Habour Air, onde trabalho atualmente”, relembrou.

Segundo Danilo, a Habour Air faz voos regulares para algumas cidades de British Columbia e também voos panorâmicos em Victoria, Vancouver e Whistler. “Me inscrevi para a vaga pelo próprio site da empresa no início de fevereiro de 2016 e não tinha recebido nenhum contato deles, até que na metade de abril do mesmo ano recebi um e-mail da gerente da área de reservas informado que eles tinham aberto novas vagas para o Verão e perguntando se eu tinha interesse de participar do processo seletivo. Respondi o e-mail logo em seguida e marcamos uma entrevista”, disse.

De acordo com ele, a entrevista durou cerca de uma hora e no dia seguinte a gerente já enviou um e-mail agradecendo e pedindo por referências, incluindo alguma que já estivesse no Canadá. “Passei duas referências do Canadá e uma do Brasil, mas ela só entrou em contato com uma delas, e no Brasil. Fui contratado uma semana depois, exatamente no dia do meu aniversário, 26 de abril. Trabalhei full-time durante o verão e, quando as minhas aulas recomeçaram, passei a trabalhar somente as 20 horas semanais que o meu visto permite e passei de temporário para regular”, destacou.

Danilo aprendeu com a prática como conciliar o estudo e o trabalho. “O College é bem puxado, são muitos trabalhos e provas, mas como meus shifts no trabalho são regulares, isso me ajuda muito. Além disso, no meu primeiro semestre eu estava fazendo quatro matérias, depois disso aprendi e passei a pegar só três matérias, acho que foi uma ótima decisão para poder conciliar estudo e trabalho”, explicou.

Workshops da 3RA Intercâmbio

Antes de conseguir o emprego, Danilo participou de dois workshops da 3RA Intercâmbio sobre emprego. “Os wvancouver-3orkshops da 3RA esclareceram muitas coisas sobre o mercado daqui e também sobre como fazer um currículo e uma cover letter no modelo canadense, que era o que eu tinha mais dificuldade. A Brenda – que é a palestrante – é uma pessoa incrível e após um dos workshops que participei, enviei meu currículo para que ela avaliasse e ela respondeu prontamente com um feedback sobre as alterações que eu deveria fazer”, contou.

Dicas

Para quem está buscando emprego na área, a dica de Danilo é persistir. “Você não pode se acomodar. Tem que correr atrás e não se limitar apenas a uma ferramenta de busca. Tem que entrar nos sites das empresas e se cadastrar, usar o Linkedin, Monster.ca, Indeed, além de comparecer nas feiras de recrutamento que sempre aparecem pela grande Vancouver. Eu fui em todas que apareceram. Nessas feiras, você vai ter contato direto com o empregador e vai poder entregar o seu currículo diretamente para ele”, aconselhou.

Já para quem é recém-chegado e precisa conciliar estudo e trabalho, Danilo tem outra dica. “Eu recomendaria focar primeiramente no estudo e na adaptação da nova rotina e depois se preocupar com o trabalho. Foi isso que eu fiz. Tenho certeza que esse primeiro semestre de adaptação foi essencial para mim”, revelou.

Para completar, Danilo conta que o segredo é nunca desistir. “Passamos por muitas dificuldades no início dessa nova vida, mas tenho certeza que tudo vai valer a pena”, finalizou.

Estudiar en Canadá

Por que estudar no Canadá?

Atualmente, segundo o último levantamento realizado pelo The Canadian Bureau for International Education (CBIE), o número de estudantes internacionais no Canadá é de mais de 330 mil. Destes, cerca de 10 mil são brasileiros e a tendência é que esse número cresça cada vez mais, já que mais de 90% de todos os estudantes internacionais afirmam que estão satisfeitos com a experiência de estudar no Canadá e que recomendariam o país como destino para estudo.

E não é muito difícil entender o porquê disso. De acordo com a pesquisa mais recente do órgão, os estudantes apontaram três motivos principais que os fizeram escolher o Canadá: a qualidade do sistema educacional canadense, a sociedade em si – que é conhecida por ser tolerante e sem preconceitos – e a segurança.

Porém, como se esses já não fossem motivos suficientes, estudar no Canadá é uma das maneiras mais fáceis se de conseguir um visto de trabalho no país, o que pode abrir muitas portas no futuro para você. Dependendo do programa escolhido, você poderá trabalhar 20h semanais enquanto estuda e 40 horas por semana durante as férias. Além de fazer um dinheirinho extra para ajudar nas despesas, você estará ampliando sua rede de contatos e conhecendo cada vez mais o mercado canadense.

E as vantagens não param por aí. Segundo a pesquisa do The Canadian Bureau for International Education, mais de 50% dos estudantes internacionais que estão no Canadá atualmente desejam aplicar para a residência permanente após a conclusão do curso. Portanto, se a sua vontade também é imigrar,  estudar no Canadá pode pesar (e muito) a seu favor. Alguns cursos oferecem ao estudante a possibilidade de aplicar para o Post-Graduation Work Permit (PGWP). Para quem não sabe, o PGWP é uma permissão de trabalho que é concedida após a conclusão dos estudos e tem duração de até três anos. Com isso, você ganhará tempo no país para atingir aos critérios exigidos pelo programa de imigração vigente, o Express Entry*, e ainda poderá ampliar a sua pontuação no sistema adquirindo experiência de trabalho canadense.

É importante destacar que nem todos os cursos dão direito ao PGWP. Para poder solicitá-lo, você vai precisar ter feito um curso com duração superior a oito meses em uma instituição pública ou qualquer programa de degree em instituições particulares. Lembrando que cada caso é diferente e é preciso tomar cuidado. Por isso, contratar uma assessoria especializada como a 3RA Intercâmbio é fundamental para o seu processo. Assim nós podemos fazer uma análise detalhada de seu perfil e escolher o programa que é o mais indicado para você. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

Clique aqui para estudar e trabalhar no Canadá

*Para saber mais detalhes de como funciona o processo de imigração para o Canadá, entender melhor o sistema e buscar o caminho que é o mais ideal para você, sugerimos uma consulta com a nossa empresa parceira Immi Canada, que é credenciada pelo governo canadense.

 

BCIT part-time é febre entre os brasileiros em Vancouver

Os cursos part-time do BCIT (British Columbia Institute of Technology) viraram febre entre os brasileiros. E não é difícil entender porque a instituição se tornou a queridinha entre os estudantes internacionais. Além de garantir um alto índice de empregabilidade, que chega aos 90%, e ser super bem reconhecida no mercado canadense, estes programas possuem uma carga horária mais tranquila e flexível se comparada a dos cursos full-time, facilitando a vida daqueles que precisam conciliar estudo e o trabalho, e ainda oferecem a possibilidade de aplicar para o Post-graduation Work Permit (PGWP)* após a conclusão do curso.

525e8dd7-f8c4-438e-a74e-f9cf5df9cc96O cliente da 3RA Intercâmbio, Daniel Ferrer, está atualmente matriculado no BCIT e a satisfação com a instituição é de 100%. “Escolhi a BCIT após a sugestão da 3RA, pois era uma escola que ensinava preparando para o mercado de trabalho e também pelo ótimo percentual de empregabilidade. Já estou no meu segundo ano de curso na área de Computer Systems e pude constatar o motivo da BCIT ter sucesso no mercado. Os professores são exigentes e direcionados para o mercado de trabalho. O tempo todo fazem correlações entre o que estamos aprendendo e a aplicação prática daquilo em empresas ou no seu próprio negócio”, garantiu.

O também aluno do BCIT, Pedro Henrique Lins, concorda com Daniel. “Estou fazendo o curso de Gestão Financeira com opção em finanças. A BCIT com certeza é uma instituição muito forte aqui no Canadá e eu sempre percebo isso pela reação dos canadenses quando falo que estudo lá. O nível das aulas também é muito alto. Estou gostando bastante e acredito que vou colher muitos frutos no futuro”, disse.

Auxílio da 3RA Intercâmbio

Se você gostou do que a instituição tem para oferecer, já pode correr e garantir a sua matrícula para o próximo termo, que começa em Abril de 2017.

As inscrições serão abertas no dia 20 de fevereiro e nós da 3RA Intercâmbio podemos ajudá-lo com todo o processo de documentação, inscrição nos cursos e pagamento. E o melhor: você não paga nada a mais por isso e ainda pode aproveitar a nossa promoção imperdível que será divulgada em breve. (Fique ligado em nossas redes sociais!)

483649cb-b348-4e42-b700-96aa382bf1bfDaniel Ferrer e Pedro Henrique Lins são clientes 3RA e recomendam. “A 3RA me direcionou para uma excelente escola de TI, me apoiou durante todo o processo inicial e continua me apoiando até hoje. Esse apoio foi fundamental para viabilizar a minha vinda para o Canadá”, afirmou Daniel. “A 3RA fez um ótimo atendimento, esclarecendo todas as minhas dúvidas e explicando o passo a passo do processo. Com certeza eu recomendaria os serviços da empresa”, finalizou Pedro.

*Lembrando que para poder trabalhar no país e ter acesso ao PGWP o estudante precisa manter uma equivalência full-time, que na BCIT significa estar matriculado em pelo menos três matérias que, somadas, deem no mínimo nove créditos. Apenas alunos que já estão no Canadá podem se matricular nos programas part-time da BCIT. 

 

Pesquisa aponta: Canadá tem um dos dez melhores sistemas educacionais do mundo

Você sabia que o Canadá tem um dos dez melhores sistemas educacionais de nível superior do mundo?

De acordo com o QS Higher Education System Strength Rankings 2016, o país ocupa a quinta posição do ranking e isso se deve principalmente à força do sistema educacional em si, ao grande número de universidades que são classificadas como as melhores do planeta, ao acesso e ao contexto econômico.

Os idealizadores do ranking destacaram as diferentes experiências culturais e naturais vivenciadas pelos estudantes, além das cidades de Toronto, Montreal, Vancouver e Quebec, que são conhecidas como sendo amigáveis, tolerantes e multiculturais.

Popular entre estudantes internacionais

Segundo a pesquisa, o Canadá também é um dos destinos de estudo mais importantes do mundo. Depois do ano de 2014, ele foi classificado como o sétimo país mais popular entre estudantes internacionais que costumam escolher como destino as províncias de Ontario, British Columbia e Quebec.

Confira o ranking dos 50 países com melhor sistema de educação superior no mundo:

  1. Estados Unidos
  2. Reino Unido
  3. Alemanha
  4. Austrália
  5. Canadá
  6. França
  7. Holanda
  8. China
  9. Coreia do Sul
  10. Japão
  11. Espanha
  12. Suíça
  13. Itália
  14. Suécia
  15. Bélgica
  16. Nova Zelândia
  17. Taiwan
  18. Argentina
  19. Finlândia
  20. Hong Kong
  21. Cingapura
  22. Brasil
  23. Dinamarca
  24. Índia
  25. Irlanda
  26. Rússia
  27. Malásia
  28. Israel
  29. A Áustria
  30. África do Sul
  31. Chile
  32. Noruega
  33. México
  34. Colômbia
  35. Portugal
  36. Arábia Saudita
  37. Tailândia
  38. República Checa
  39. Turquia
  40. Cazaquistão
  41. Grécia
  42. Indonésia
  43. Poland
  44. Líbano
  45. Ucrânia
  46. Filipinas
  47. Egito
  48. Emirados Árabes Unidos
  49. Estónia
  50. Paquistão

Veja o ranking completo aqui.

Acesse o link para saber como estudar no Canadá

Como economizar ao pagar pela sua educação no Canadá?

Fazer um intercâmbio exige planejamento: Certamente você vai gastar muito mais do que apenas o valor do curso em si. Passagens aéreas, hospedagem, alimentação, lazer… tudo isso deverá ser levado em consideração na planilha de gastos. Agora imagine se você pudesse economizar uma quantia significativa na hora de pagar pela sua educação no exterior. As coisas com certeza ficariam mais fáceis, não é mesmo?  E foi pensando nisso que nós da 3RA Intercâmbio preparamos esse texto para você.

Vários pontos precisam ser avaliados na hora de pagar pela seu curso no Canadá. A primeira delas é o método de envio deste pagamento. Escolhendo a forma certa, é possível finalizar a transferência sem aquela dor no coração e a sensação de estar perdendo muito dinheiro com taxas. Outro ponto que precisa ser avaliado é a conversão da moeda.

Os clientes da 3RA Intercâmbio, por exemplo, contam com um dos câmbios mais baixos do mercado. Além disso, eles podem transferir o dinheiro por meio de uma instituição financeira parceira que auxilia nossos alunos no pagamento de educação no Canadá. Por este método, você tem a comodidade de fazer a transferência entre contas nacionais, evitando a burocracia envolvida nas transferências internacionais.

Nesse sistema, o total economizado pelo aluno é, em média, R$ 0,10 por dólar. Nesse caso, se você precisa pagar um curso no valor de $30000, por exemplo, você economizará cerca de R$ 3000. Incrível, não é mesmo? 

Além disso, ao contratar a 3RA Intercâmbio, você também economiza seu tempo. Por exemplo, todo processo de matrícula em um college pode demorar três meses ou mais, sem falar das idas e vindas de documentos e as dúvidas que podem surgir neste caminho. São muitas etapas e que incluem, por exemplo, o recebimento dos documentos, o pagamento da taxa de aplicação, a análise da documentação e a resposta da instituição de ensino. Mas não se preocupe, a gente vai cuidar de tudo isso para você.

E como diz o ditado: Tempo é dinheiro! E a gente quer que você economize o máximo em seu plano Canadá!

Acesse o link para saber como morar no Canadá

Como o estudo pode lhe ajudar a garantir uma boa posição dentro do mercado canadense?

Mestrado, pós-graduação e college no Canadá

Fazer um curso superior no Canadá é muito mais fácil do que você imagina. Apesar da aplicação ser em outra língua, a universidade pedir vários documentos entre comprovação de estudo no Brasil, e surgir aquela insegurança se o seu perfil será aceito ou não, a verdade é que no final das contas aplicar para um mestrado, pós-graduação ou college no Canadá é bem menos assustador do que em outros países.

A maioria das instituições canadenses possui processos de aplicação muito bem organizados e objetivos, principalmente quando falamos de mercado internacional. Por ser uma área muito aquecida no país, as maiores e melhores instituições acabam criando departamentos que atendem exclusivamente esse público formado por alunos estrangeiros.

Toda essa organização e objetividade acaba refletindo em transparência, deixando claro logo de início do processo se você poderá ou não ter seu pedido aprovado. Em outras palavras, se você contar com a documentação e qualificação esperadas, além dos recursos financeiros necessários, tudo dará certo. Mas, por onde começar?

Em primeiro lugar é preciso escolher a instituição e enviar seus documentos

O processo de estudar no Canadá começa com pesquisa. Por isso, sua primeira atividade será buscar universidades e programas disponíveis, e ver quais deles se encaixam em seu perfil acadêmico e objetivos profissionais. Tome cuidado porque nem sempre os programas oferecidos são abertos para alunos internacionais, existem alguns cursos abertos apenas para o mercado local.

Assim que encontrar uma (ou mais de uma) opção que ofereça aquilo que você procura, vá em busca das informações sobre requisitos. No Canadá você irá aplicar exclusivamente para o programa que escolheu. Diferente do Brasil, onde os cursos costumam ter a mesma exigência (prova de vestibular ou Enem), nas universidades canadenses cada curso tem seus próprios pré- requisitos. 

Diplomas e outros documentos precisam de tradução juramentada

Verifique com cuidado a lista de documentos que você terá que apresentar para garantir a sua vaga – a maioria deles, se não todos, terão que ser traduzidos para o inglês por um tradutor juramentado.

Além disso, observe outras exigências, como: notas mínimas obtidas no segundo grau e/ou curso de bacharelado (dependendo do programa escolhido a nota da faculdade também será avaliada), se os diplomas da universidade e escolas são reconhecida pelo Canadá, experiência profissional na área, nível esperado de proficiência em língua inglesa, entre outros.

Uma ajudinha para não errar!

Muitas pessoas acabam se atrapalhando com tantas opções oferecidas, porque além das instituições públicas, o Canadá também oferece opções de escolas privadas de excelente qualidade. Sem contar que, mesmo o processo sendo bastante organizado, para quem não lida diretamente com essas escolas, definir o melhor curso, instituição e enviar todos os documentos solicitados, pode ser uma armadilha.

Ainda há o risco de escolher um programa que não oferece o PGWP (Post Gradution Work Permit), o que não contribui para quem deseja imigrar. Por esses motivos, muitas pessoas acabam pedindo auxilio especializado da 3RA Intercâmbio, que com sua experiência em Canadá acaba oferecendo aos brasileiros opções personalizadas, com melhor custo/benefício. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

Agora veja os custos do Mestrado no Canadá

Se você marcou tudo como ok até agora, chegou o momento de ver se o sonho cabe no bolso. Lembre-se de que é não é possível pagar mensalidades como no Brasil – o valor total anual deve ser pago em duas ou três vezes, dependendo da quantidade de termos do curso, sendo o primeiro pagamento fundamental para garantir a sua vaga.

Depois de aceito é hora de emitir o visto de estudante canadense

Depois de receber e analisar os documentos, a escola irá enviar uma carta dizendo se o aluno foi aceito no curso ou não. Quando a aluno não é aceito, na maioria dos casos, a própria universidade sugere caminhos que o estudante pode tomar, ou para ser aceito no futuro, ou para estudar em algum outro curso parecido.

Quando a resposta da instituição é positiva, a mesma manda o que chamam de carta de oferta, que seria a proposta para o estudante pagar um valor inicial e segurar sua vaga. Esse valor pode variar muito, entre CAD $ 1000 a 8000 dólares, dependendo da escola. Após feito o pagamento, enfim o estudante recebe a carta de aceitação da universidade ou college, chamada de LOA (Letter of Acceptance).

É com essa carta que o aluno internacional dará entrada no visto de estudante junto à imigração canadense. Para obter esse visto, será preciso apresentar essa carta, preencher alguns formulários, apresentar comprovação de recursos financeiros, e passar por um exame médico realizado com um médico definido pelo Consulado do Canadá, entre outras exigências.

Agora é só arrumar as malas

Pronto! Após seu visto ser aprovado, basta arrumar as malas e se preparar para embarcar e aproveitar essa conquista ao máximo!

Conheça mais sobre o Post-graduation Work Permit – PGWP

Quem está planejando estudar e/ou imigrar para o Canadá com certeza já deve ter ouvido a sigla PGWP, certo?

Para quem ainda não sabe, o Post-graduation Work Permit – PGWP – é uma permissão de trabalho de 8 meses a 3 anos de duração que os estudantes internacionais têm direito de solicitar após completarem seus estudos no Canadá. Por oferecer mais tempo de permanência no país e permissão de trabalho sem restrição de horas, o PGWP é hoje uma das principais opções para ajudar aqueles que desejam imigrar futuramente.

Porém, o que nem todo mundo sabe é que não são todos os cursos ou escolas que oferecem ao estudante esse direito de pedir pelo PGWP. Já recebemos em nossa agência muitas pessoas desesperadas que investiram um valor altíssimo em colleges de dois anos no Canadá, e que no final do curso descobriram que não teriam o direito de pedir o visto aberto de trabalho. Imagine a frustração e arrependimento dessas pessoas?

Uma das vantagens de contar com a assistência de uma agência especializada como a 3RA Intercâmbio é ter a garantia de se matricular em uma instituição que lhe dará esse direito (caso essa seja a sua vontade, já que a 3RA também oferece cursos vocacionais). Por ter duas agências no Canadá – uma em Vancouver e outra em Toronto – a agência tem uma relação muito próxima com as instituições de ensino e é  é especialista no assunto.

O diretor educacional da 3RA, Francisco Zarro, gravou um vídeo explicando um pouco mais sobre o PGWP, instituições e o formato dos cursos que dão ao aluno esse direito. Veja aqui:

Veja abaixo algumas dúvidas frequentes de nossos alunos sobre o PGWP:

1) Quando preciso aplicar para o PGWP?

Você tem até 180 dias após o recebimento da carta oficial de conclusão de seu curso para aplicar para o PGWP e você precisa ter um status válido no Canadá, caso faça a aplicação dentro do país. Para mais informações, entre em contato com a equipe da Immi Canada pelo e-mail [email protected]

2) Como aplicar para o PGWP e quais documentos irei precisar?

Você poderá aplicar online no site oficial da imigração canadense ou pelo correio.

  • Será preciso enviar todos os formulários exigidos pela imigração;
  • a cópia do passaporte completo;
  • cópia da permissão de estudos;
  • cópia do diploma ou certificado da instituição canadense ou do histórico escolar ou uma carta oficial da instituição declarando o término do curso.

3) O meu cônjuge também terá direito a estender a permissão de trabalho junto com o meu PGWP?

Para que o cônjuge consiga estender a permissão de trabalho junto com o aplicante principal, o estudante, no momento da aplicação do PGWP, deverá ter um contrato simples de trabalho firmado com uma empresa, em uma vaga full-time, dentro dos NOCs 0, A ou B. Para quem não sabe, o NOC é um sistema nacional que classifica e descreve todas as ocupações no país. Neste link você consegue descobrir em qual NOC a sua posição de trabalho se encaixa.

4) Não consegui o contrato de trabalho. Como meu cônjuge poderá continuar no Canadá?

Neste caso, as opções são ou o cônjuge se matricular em uma instituição de ensino e estender sua estadia como estudante ou então apenas como turista. Porém, caso você consiga um contrato de trabalho depois, o seu cônjuge poderá aplicar novamente para a permissão de trabalho.

5) Todos os cursos dão direito ao estudante aplicar para o PGWP?

Não. Para ter direito a pedir pelo PGWP, o aluno deverá ter concluído um programa em uma faculdade pública de no mínimo oito meses de duração ou um programa de degree em faculdades particulares (no caso das privadas, não valem diplomas e certificados). Ainda existem uma série de outros requisitos que devem ser seguidos. Por isso, é sempre importante contar com uma agência especializada como a 3RA Intercâmbio. Assim você terá a garantia de que irá se matricular em uma instituição que lhe dará esse direito.

Para te ajudar ainda mais, o Governo Canadense liberou uma lista com todos os colleges que dão direito ao PGWP.  Seguindo os passos da tela você vai encontrar a província, o nome da instituição e se aquele college é elegível ao PGWP através das opções sim e não.

Outras informações sobre o PGWP podem ser obtidas no site oficial da imigração canadense.

Leia mais:

Dúvidas frequentes: Estudo no Canadá

Dúvidas frequentes: Cursos vocacionais

Estudando depois dos 30 no Canadá: Qual a melhor opção de curso para você?

 

Fazer uma pós-graduação ou entrar em um college no Canadá? Como escolher a opção certa? Principalmente se você já passou dos 30, a idade pode parecer como uma barreira em diversos momentos.

Afinal, quando chegamos nesta fase da vida, todos passam a nos cobrar estabilidade emocional e financeira – leia-se, casamento, filhos e casa própria.

E pensar em começar tudo de novo em outro país pode parecer loucura para muita gente.

No entanto no Canadá estudar é uma opção segura que te abre portas para os programas imigratórios, independente da sua idade.

Aqui não se pede foto e nem data de nascimento no currículo, isso é considerado discriminação.

O empregador quer ver no seu resumo profissional onde você estudou, que experiências de trabalho você tem, o que te faz em termos de CONHECIMENTO o candidato perfeito para a vaga.

Então deixando o preconceito de lado e sendo prático, qual seria a opção de curso mais indicada para você que passou dos 30 e já fez faculdade no Brasil?

No Canadá existem diversas opções diferentes de cursos e certificações e os mais procurados são os colleges e programas de pós-graduação.

Para quem não conhece, os Colleges são cursos de dois anos e que se assemelham mais a um estudo técnico.

Nós não temos essa modalidade de estudo no Brasil, mas só para se ter uma ideia, o College pode equivaler aos dois primeiros anos do Bacharelado ou até mesmo a uma especialização.

Na verdade, o ideal é não se prender a títulos, mas sim procurar aquela opção de curso que vai acrescentar mais à sua carreira e te ajudar a atingir os seus objetivos de vida no Canadá.

Veja abaixo alguns pontos a serem considerados durante a escolha do seu college no Canadá ou pós-graduação:

1 – Proficiência na língua inglesa ou francesa

O Canadá tem duas línguas oficiais, o inglês e o francês.

Se você ainda não tem segurança na língua falada na província que escolheu estudar, talvez a melhor opção seja um college.

A nota que os colleges pedem nos testes de proficiência da língua costumam ser menores.

Além disso, estudando no college você poderá passar mais tempo estudando a língua, antes de se lançar no mercado de trabalho onde sua fluência será cobrada.

De nada adianta você ter todos os diplomas necessários e a qualificação de que o Canadá precisa, se você não souber se comunicar suficientemente bem para fazer o seu trabalho ou mesmo para passar na entrevista de emprego.

2 – Sua profissão não está entre as mais requisitadas no Canadá

Verifique se a sua profissão atual está entre as preferidas pelo governo canadense.

Se ela não estiver na lista, e se você tiver tempo, aptidão e força de vontade para mudar de profissão e optar por algo que esteja em alta demanda no Canadá, saiba que, assim, você terá maiores chances de ser um futuro imigrante bem sucedido.

O Canadá tem políticas claras voltadas para imigração de trabalhadores com formação nas áreas de interesse para a economia nacional, por isso vale a pena investir em uma mudança deste tipo.

3 – Sua profissão está na lista de atividades com alta demanda

Se a sua profissão está na lista de atividades com alta demanda no Canadá, um novo curso na sua área pode ser o empurrão que você precisa para entrar no mercado de trabalho.

A pós-graduação ou o College no Canadá podem te ajudar a ver de perto como as coisas funcionam em seu campo de atuação, é onde você fará seu networking, além de deixar seu currículo mais atrativo por ter estudado em uma instituição canadense.

E para se atualizar mais sobre o assunto, confira o nosso conteúdo College no Canadá: O que é diferente de estudar no Brasil?

Espero que esse post tenha te ajudado a tentar pensar um pouco melhor sobre como escolher entre um pós-graduação ou um college no Canadá.