Pathway depoimentos

Depoimentos: “Como o pathway foi essencial para estudar em um college no Canadá”

Preparação é a palavra chave para o sucesso, seja ele pessoal, profissional ou ainda acadêmico. Pensando nisso, nós convidamos dois clientes da 3RA Intercâmbio a compartilharem suas respectivas experiências como estudantes no Canadá para que você seja bem-sucedido também em sua trajetória no país norte americano.  Ambos, antes de iniciarem seus estudos em colleges no país, foram estudantes do programa de inglês pathway. Embora cada qual tenha tido uma vivência e percepção diferente do programa, concordam que este foi um significativo aliado para a vida acadêmica no país.

Esperamos que aproveite a leitura. E não se esqueça! Caso precise de mais informações sobre qualquer programa de estudos no Canadá, a 3RA está aqui para te ajudar! ;)

Voltando aos estudos e recomeçando no Canadá

Ana Paula Pathway

Ana Paula na formatura da pós graduação em Business

Ana Paula Rocha Couto, de 45 anos, largou tudo no Brasil para recomeçar sua vida com a sua família em um lugar que só conhecia por fotos. Nos mudamos na cara e na coragem, sem nunca antes termos pisado no Canadá. No primeiro momento, foi paixão à primeira vista, mas confesso que ao longo destes dois anos que estamos aqui, já atravessamos vários momentos de dúvidas”, diz. 

Apesar das preocupações, ela tinha certeza de seus objetivos. “Eu sempre quis morar fora do Brasil por um período, e também queria muito voltar a estudar. Em 2016, tivemos a oportunidade perfeita, quando perdi meu emprego na área de Marketing”, comenta Ana.

Depois de muita pesquisa, o Canadá pareceu a escolha certa. Principalmente pela área de trabalho de Lucas, seu esposo. Ele é de Tecnologia da Informação (T.I.), área que é de alta demanda no país.

Já Adilson do Nascimento Anisio, 51 anos de idade e mais de 30 dedicados ao mercado financeiro, decidiu implementar uma nova estratégia de vida, e encarar um grande desafio em novos ares. Eu tinha um projeto de aprimorar o meu inglês, que, na época, era intermediário, e fazer uma pós graduação no exterior. Ou seja, ter uma experiência internacional completa. Eu já havia visitado o Canadá duas vezes, e imaginava que o país era o lugar ideal para alcançar essa minha meta, comenta.

Tanto Ana Paula quanto Adilson, junto de suas famílias, vieram da cidade do Rio de Janeiro matriculados em um programa de Pathway. Para quem não sabe, este programa é um curso de inglês preparatório para universidades, faculdades e até cursos técnicos do Canadá, já que o sistema de ensino no país é bem diferente do que nós, brasileiros, estamos acostumados.

A escolha pelo programa foi feita ainda no Brasil, com ajuda da equipe 3RA Intercâmbio do Rio de Janeiro. “Escolhi o Pathway pois precisava aperfeiçoar o meu inglês e chegar ao nível necessário para começar a pós-graduação”, comenta Ana. E Adilson, complementa: “Entendi que este curso poderia me  preparar melhor para o desafio que seria começar uma pós graduação no exterior”.

A temida comprovação de proficiência na língua inglesa

A maioria dos colleges no Canadá exige que se comprove, no momento da matrícula, um mínimo de proficiência na língua. Esse nível pode variar de acordo com a instituição e com o programa de estudos. A informação de nível de inglês exigido é encontrada junto aos requerimentos de cada programa, no próprio website da instituição. 

A comprovação da fluência no idioma pode ser feita ainda no Brasil através dos exames internacionais TOEFL (Test of English as a Foreign Language), IELTS (International English Language Testing System) ou outro do tipo, desde que aceito pela instituição.

No caso do IELTS, é importante ressaltar que para ingressar em um curso pós-secundário, a versão da prova deve ser a Academic. A versão General é utilizada apenas para fins de imigração. Existem diferenças bem importantes entre uma versão e a outra, e, por isso, é essencial o conhecimento do exame antes de realizá-lo.  

Por não ter atingido no IELTS Academic a nota necessária para ingressar direto no programa de estudos de seu interesse – o North American Business Management Applied Post Baccalaureate Diploma (NABU Applied) da Capilano University’s School of Business -, Ana optou por realizar o programa de Pathway. “Na minha percepção, valia muito mais a pena vir fazer o curso aqui no Canadá do que continuar tentando conquistar a nota exigida no Brasil. E hoje eu considero que o Pathway me preparou muito melhor para o que viria do que se eu tivesse estudado inglês por meses no Brasil”, comenta.

Tempo de estudo e prova de nivelamento do Pathway

Ana revela sobre os momentos que antecederam o início das aulas: “Antes de iniciar o programa, meu maior medo era a prova de nivelamento que eu iria fazer assim que chegasse em Vancouver”. Este é um receio bastante comum de quem chega no Canadá com o intuito de realizar qualquer tipo de programa de estudos do idioma – inglês geral, inglês para Negócios, ou Pathway.

Mesmo que o estudante realize uma prova no Brasil para saber em que nível se encontra, esta é apenas uma estimativa. A conclusão final de seu atual nível de proficiência será realizada na chegada ao país. E, caso nesta prova de nivelamento perceba-se a necessidade de estudar por mais tempo do que o estimado enquanto no Brasil, isso implicará em um investimento maior do que o previsto.

Trabalhe no Canadá estudando inglês – verdade ou mentira?

Muitas pessoas ainda têm dúvida se é possível trabalhar no Canadá estudando inglês, principalmente pelas propagandas enganosas e falsas promessas que vemos por aí. E quando se fala em um programa de Pathway, que é um caminho para se chegar a um college, cria-se uma certa confusão. Isso porque, durante um programa de college no Canadá, o estudante pode trabalhar meio período, enquanto o seu cônjuge poderá trabalhar por período integral. Mas não se engane: a frase do título é 100% mentira.

Nenhum curso de idioma dá permissão de trabalho para estudantes, não importa se é um Pathway ou inglês geral. A mesma regra se aplica para o cônjuge acompanhando o estudante. Ambos só poderão trabalhar a partir do primeiro dia de aula do estudante no College ou University. Aí sim, o estudante poderá trabalhar até 20 horas por semana durante o período de aulas e até 40 horas no período de férias, enquanto seu cônjuge terá um visto aberto de trabalho (sem limite de horas).

Esse fato deve ser levado em consideração no momento do seu planejamento financeiro para o Canadá. Conforme comentado acima, dependendo do resultado de seu teste de nivelamento, pode ser que você precise de mais tempo estudando inglês, ou seja: mais tempo sem poder trabalhar.

No caso de Ana Paula, essa preocupação não foi das maiores. Assim que chegou à instituição, ela teve a notícia de que precisaria de apenas um mês de Pathway. Logo, após este único mês, ela poderia então seguir com seus planos, e iniciar suas aulas de Business na Capilano. E, daí sim, trabalhar no Canadá

Dinâmica das aulas de Pathway e principais dificuldades

Adilson Pathway

Adilson e a esposa Cristina no Canadá

Para a Ana ingressar no college, ela teve que atingir os requisitos do programa de Pathway, além das notas estipuladas pelo curso e instituição. Quando questionada sobre como era o programa de Pathway, Ana conta que tinha aproximadamente cinco horas de aula por dia. Neste período, ela desenvolvia habilidades de Speaking, Listening, Reading e Writing.

Inclusive, segundo Ana Paula, esta última modalidade, Writing, era bastante reforçada. Ela brinca: “Foi como um ‘esquenta’ para o que me aguardava na Capilano!”, referindo-se à quantidade de assignments (tarefas) pedidos durante o programa, principalmente escritos – as chamadas Essays (redações).

Outra coisa que é trabalhada nas aulas do Pathway é o tal do critical thinking. Essa expressão refere-se ao desenvolvimento de se pensar criticamente a respeito de algo. Durante as classes, também é ensinado aos alunos a exporem essas ideias e pensamentos. Essas são habilidades primordiais para a vida acadêmica. 

De acordo com Ana e Adilson, as aulas de Pathway também exigiram bastante dos alunos. A turma era composta por estudantes de todos os lugares do mundo, e de diferentes idades e experiências de vida. Na turma de Adilson, por exemplo, tinham 16 alunos, com idades entre 18 e 50 anos.

Uma coisa que eu achei bem interessante é que, periodicamente, íamos juntos com o nosso professor à biblioteca pública de Vancouver. Lá, fazíamos todas as pesquisas necessárias para produzirmos as redações com competência. O professor tinha também o hábito de dar um feedback para cada aluno. Assim conseguíamos saber quais foram nossos avanços e quais os pontos a serem aprimorados. Isso foi muito bacana para a nossa evolução”, explica Adilson.

Sistema de avaliação

Sobre o sistema de avaliação do programa de Pathway, Adilson conta um pouquinho como era: “As avaliações eram compostas por quizzes com vocabulário acadêmico, redações, apresentações em grupo e individuais. A participação em aula também contava pontos. Além disso, uma parte da nota era composta por um teste do IELTS.”

Ainda sobre a avaliação, Ana diz “De início, senti uma dificuldade no formato de provas e trabalhos deste programa, o que descobriria depois que são muito parecidos com os que eu tive já na Capilano. Realmente é um formato de ensino bem diferente do Brasil. São muitos trabalhos por semana, todo dia tínhamos material para entregar, por mais simples que fossem”.

Nível de inglês para iniciar as aulas do Pathway

Para Adilson, o nível intermediário já é suficiente para conseguir acompanhar as aulas. Ana concorda e acrescenta: Acho que é crucial ter um certo nível de inglês para se dar bem no pathway. Admito que eu poderia ter estudado mais inglês no Brasil. Assim eu não precisaria de uma nota tão alta na transição do pathway para o college. Mas se eu não tivesse uma base de alguns anos de estudo no Brasil, acredito que teria mais dificuldade. Meu conselho é: estude inglês.”

Agora sobre a principal dificuldade enfrentada no programa, Adilson cita “Percebo que a grande dificuldade para os estudantes é fazer as apresentações. O que é completamente compreensível. Só com a prática – e com o tempo -, é que vem a fluência. De um modo geral, todos da sala conseguiram atingir um nível satisfatório neste quesito. Mas o que você puder fazer para essa adaptação e desenvoltura com o idioma ser mais rápida e leve, faça. Vai valer a pena”.

A todo momento, os alunos eram estimulados a participar em sala de aula, mas suas personalidades eram sempre respeitadas. “Tive um professor ótimo, atencioso. Constantemente demonstrando interesse e esforço em ensinar. O curso foi muito mais difícil que eu imaginava. Precisei me dedicar bastante para alcançar as notas. Mas a passagem para o college foi super tranquila, pois tive no Pathway todo o apoio e força necessária para me superar”, completa Ana Paula.

Os benefícios do programa de Pathway  

Quando indagada sobre o maior benefício de ter realizado esse programa, Ana expressa: “Na minha opinião, a grande vantagem do Pathway foi que o programa me preparou para tudo o que eu iria enfrentar no curso de pós-graduação na Capilano, seja referente ao nível de cobrança pelos instrutores, o modelo de trabalhos e das apresentações – sejam individuais ou em grupo -, a quantidade de assignments (tarefas) solicitadas, além de também abordarem questões bem específicas e que são levadas super a sério por todo o corpo acadêmico da instituição, tal como o cheating (colar) e o plagiarism (plágio)”. E agrega: “Além desta preparação para o nível da universidade, penso que o programa me trouxe outra interessante vantagem: a parte social. Na sala de aula, fiz bons amigos que até hoje mantenho contato. Eles fizeram essa experiência muito mais divertida”.

Adilson lembra ainda outra vantagem do Pathway. Alguns colleges dispensam a prova de comprovação de fluência no idioma para os alunos destes cursos. Isso, claro, se o aluno concluir com sucesso o Pathway. O que foi o caso dele. Devido a sua excelente performance, Adilson já está matriculado em um programa de Pós-graduação em Marketing no Douglas College. Ele não precisou realizar prova de proficiência como IELTS ou TOEFL. 

Ele, que iniciará seus estudos em breve, diz “Com certeza o Pathway foi incrivelmente válido, pois aumentou muito a minha segurança para fazer um curso aqui no Canadá. Agora que já passei por esta experiência, o considero essencial para quem nunca estudou em uma instituição no exterior. E se essa é a situação em que você se encontra, digo: não fique inseguro. O curso é planejado para lidar com o aluno internacional. Se você fizer a sua parte e se dedicar ao programa, com certeza estará mais tranquilo para continuar com seus estudos”.

Ana diz que recomenda o programa para todos aqueles que precisam alcançar a fluência exigida no idioma. Ela diz que o pathway também é excelente para quem deseja se preparar melhor para o college. “Fez toda a diferença. Se você está pensando em fazer o pathway, pesquise bastante sobre o que é exigido pelo college pretendido. Ouvir a opinião e a experiência de quem passou pela mesma situação também ajuda muito. E, se for possível, procure apoio profissional para te ajudar nesta missão. É essencial alinhar suas expectativas em relação ao tempo necessário para alcançar o nível de inglês para não se frustrar. E, claro, se dedicar. Sem dedicação, não se chega a lugar algum”.

Vida após os estudos e perspectivas para o futuro

Agora Adilson irá aproveitar com sua família o resto do verão canadense. No entanto, já está ansioso para iniciar seu programa no Douglas College em Setembro. Aluno comprometido, mostrou tamanho interesse e esforço em sala de aula que até acabou ganhando a amizade dos professores. E, com certeza, irá alçar altos voos também na próxima etapa de sua vida, como estudante de college.

Já Ana, completou seus estudos na Capilano University em 2018, graduando-se com honras. Uma vitória que compartilha orgulhosa com sua família. Ana Paula, hoje residente permanente no Canadá, sente que todos os desafios que enfrentou foram muito importantes para seu crescimento pessoal e profissional. E já está mirando seu próximo objetivo: conquistar uma nova posição no mercado de trabalho canadense. E finaliza “Estou feliz, e em constante adaptação”.  

32 Compart.
estudar e trabalhar no Canada

Estudo e trabalho no Canadá: conheça os programas vocacionais

Se você pretende fazer um programa de Estudo e trabalho no Canadá, uma das opções mais econômicas para iniciar sua vida por aqui é fazer um curso vocacional. Um dos principais motivos que fazem desta opção uma das mais procuradas é exatamente a possibilidade de trabalhar durante seu programa de estudos. Mas fique atento, pois é necessário atender a algumas regrinhas que falaremos à frente.

Os cursos vocacionais também são conhecidos como career colleges. Eles costumam contar com valores muito mais acessíveis, além de exigirem um nível de inglês mais baixo. E claro, te permite trabalhar em muitos casos durante o período de estudos. É por isso que, muitas vezes, você também verá a denominação “Estudo + Trabalho” para esta opção.

Geralmente, neste tipo de programa, o aluno vai ficar em sala de aula por um período, e, para se formar, precisará concluir uma etapa de estágio na área em que está estudando, pelo mesma quantidade de tempo que sua carga-horária dentro de sala. Ficou confuso? Calma que a gente te explica.

Curso vocacional: Veja como funciona

Por exemplo, durante o estudo, você poderá trabalhar 20 horas na semana. Quando acabar o componente de estudos, você terá o direito de trabalhar essas 20 horas, mais uma carga horária equivalente ao tempo no qual estudou na primeira parte do curso. Então, nesses casos, os alunos acabam trabalhando full-time durante este período. O tempo da parte prática do curso nunca deve superar o tempo de estudos.

Estudo e trabalho no Canadá: características dos cursos vocacionais

Estudo e trabalho no Canadá

Os cursos vocacionais são programas de certificado e diploma oferecidos por instituições privadas de ensino. As áreas mais comuns nestes tipos de cursos são:  Negócios,  Hotelaria,  Atendimento ao cliente, entre outras. A escolaridade mínima exigida é Ensino Médio (2º grau completo), porém é necessário ter, no mínimo, 18 anos de idade.

Para que você possa trabalhar, será necessário que o curso escolhido atenda as características exigidas pela imigração canadense. Ou seja, ele precisa ser full-time com, no mínimo, seis meses de duração. Lembrando que você só poderá começar a trabalhar a partir do seu primeiro dia de aula no curso vocacional. Caso você precise estudar um pouco de inglês antes, você não poderá trabalhar durante este período, ok?

Suporte da escola

Falamos bastante sobre a importância do curso vocacional, já que ele te dá a permissão para trabalhar durante as aulas. Apesar da escola oferecer todo suporte na parte educacional, é importante ressaltar que o aluno é quem ficará responsável por encontrar sua oportunidade de emprego. Por uma taxa adicional, algumas instituições oferecem este tipo de serviço, que envolve a marcação de entrevistas, adaptação do currículo no formato canadense, além de dicas gerais sobre mercado de trabalho no Canadá.

Portanto, não perca tempo e já vá procurando as vagas de emprego mesmo antes de iniciar seu estudos. E se você quiser saber dicas sobre entrevistas de emprego no Canadá, também temos um texto muito bacana sobre o assunto aqui no blog. 

Curso vocacional x imigração

Caso a sua intenção seja imigrar para o país, é preciso ficar atento. Pode ser que o curso vocacional não seja a melhor alternativa para você. Primeiro, porque as horas trabalhadas durante o estágio não irão contar para os processos de imigração e por isso, eles não são muito vantajosos para quem deseja ficar no país de vez.

Outra questão muito importante neste processo de Estudo e trabalho no Canadá é que os cursos vocacionais não dão direito de solicitar o PGWP, que é uma permissão de trabalho que pode ser solicitada após a conclusão dos estudos. Ele é, de fato, uma peça fundamental no planejamento daqueles que desejam utilizar a educação como aliada no processo de imigração. Se você deseja conhecer programas neste formato, nós também temos muitas opções para você. Agende sua consulta educacional e saiba mais.

Para se ter uma ideia, durante o PGWP, caso o aluno consiga um emprego dentro dos requisitos da imigração canadense – essa experiência de trabalho pode contar pontos para o processo.

Os cursos vocacionais, por sua vez, são ideais para quem quer passar apenas um período determinado no país adquirindo conhecimento e experiência de trabalho.

Porém, esta não é uma regra geral. Cada caso é diferente e é preciso fazer uma análise do seu perfil para definir o melhor programa para você. Por isso uma consultoria especializada como a oferecida pela 3RA Intercâmbio é tão importante. Assim você não corre riscos de tomar decisões equivocadas e desperdiçar tempo e dinheiro.

Caso tenha ficado alguma dúvida sobre o PGWP, resolvemos esclarecer um pouco mais sobre o assunto:

O que é PGWP?

O Post Graduation Work Permit (PGWP) é uma permissão de trabalho sem restrições de horas concedida após a graduação aos estudantes de colleges públicos matriculados em programas com mais de oito meses de duração ou faculdades particulares em programas de degree – bacharelado e mestrado (Veja a lista de colleges que dão direito ao PGWP). Portanto, como os cursos vocacionais são ministrados em colleges privados e normalmente são programas de diplomas ou certificados, eles não dão direito ao benefício.

Isso significa que, se você for para o Canadá por meio um programa deste tipo, ao final do curso, você não poderá estender somente a sua permissão de trabalho. Caso queira continuar no país, provavelmente precisará se matricular em outra instituição de ensino ou então conseguir a sua imigração através de um dos processos disponíveis atualmente.

 

Cursos vocacionais dão direito ao visto de trabalho para o cônjuge e escola pública para os filhos?

Kids Uniform GIF by bypriyashah - Find & Share on GIPHY

De uma maneira geral, não. Há relatos de pessoas que até conseguem o Open Work Permit para o cônjuge estando matriculados neste tipo de programa, mas isso não é garantido como é no caso dos colleges públicos.

Outro ponto importante a se considerar é quando o casal tem filhos. Cursos vocacionais não dão direito ao ensino público gratuito no Canadá para as crianças e/ou adolescentes. Neste caso, os filhos só terão acesso à escola gratuita caso um dos cônjuges tenha um work permit válido que, como já foi dito, pode não ser concedido, e um emprego full-time que siga algumas regras.

Portanto, você poderá ter que arcar com os custos de uma escola particular que, para crianças, por exemplo, custa entre CAD$13 e CAD$ 17 mil por ano.

Estudo e trabalho no Canadá: quanto custa fazer um curso vocacional

Como falamos no início do texto, uma das maiores vantagens deste tipo de programa é o investimento. Enquanto um curso superior em college ou faculdade no Canadá gira em torno de 17 mil dólares canadenses ao ano, um curso vocacional pode custar por volta de 10 mil dólares canadenses durante este mesmo período. Uma diferença bastante considerável.

Para você ter uma ideia do investimento neste tipo de curso, criamos uma tabela com a média de valores em dólares canadenses em diferentes cidades do Canadá.

Conheça as áreas de estudos oferecidas:

  • Business Communication
    Business Administration
    Business and International Trading
    Business Management
    Computerized Accounting and Payroll
    Computer System and Network Specialist
    Community Service Worker
    Customer Service
    Developmental Service Worker
    Early Childcare Assistant
    Hospitality
    International Business Management
    International Trade
    Legal Assistant
    Marketing
    Medical Office Administrator
    Pharmacy Assistant
    Personal Support Worker
    Tourism and Hospitality Management

Investimento em cursos vocacionais:

 

*Valores referentes ao período de Junho a Dezembro de 2018 – Sujeitos a alteração. 

Comparação de valores médios cursos vocacionais x colleges públicos

British Columbia Ontario
Cursos vocacionais CAD$ 8000 a 10000/ano CAD$ 8000 a 10000/ano
Colleges Públicos CAD$ 18000/ano CAD$ 15000/ano

Estudo e trabalho no Canadá: entrada no mercado de trabalho

Estudo e trabalho no Canadá

O cliente 3RA que escolhe estudar em um curso vocacional em Vancouver conta com um auxílio muito bacana para o componente de trabalho do programa. A 3RA Intercâmbio realiza, mensalmente, workshops sobre o mercado de trabalho canadense. Estes eventos são gratuitos para clientes e cônjuges. Quem não é cliente também poderá participar pagando uma taxa especial. Uma oportunidade muito bacana que pode fazer toda a diferença na hora de procurar e conquistar o primeiro emprego no Canadá.

São dois workshops diferentes, ministrados pela especialista canadense Brenda Crump, que conta com mais de 20 anos de experiência em Recrutamento e Seleção no país. A palestra envolve discussões sobre como colocar seu currículo nos moldes canadenses, qual é o mais indicado para cada tipo de emprego, exemplos a serem seguidos ou evitados, como criar cover letter e carta de introdução, onde procurar vagas de emprego, dicas de como se comportar durante a entrevista, e muito mais.

Parceria com escolas canadenses

A 3RA Intercâmbio mantém uma parceria estreita com diversas instituições de ensino no Canadá que oferecem cursos vocacionais. Isso é muito importante, já que é uma forma a mais de acompanharmos de perto a evolução de nossos clientes e do mercado de trabalho local. Como há muitas opções disponíveis, conhecer as opções que cada escola oferece e sua estrutura é um dos grandes diferenciais para montarmos o perfil ideal para nossos clientes.

Desta forma, é possível disponibilizar aos alunos a melhor alternativa, de acordo com suas necessidades, tornando a experiência do intercâmbio prazerosa, confortável e, acima de tudo, inesquecível.

No Brasil, a 3RA conta com unidades em quatro cidades brasileiras: Rio de Janeiro, São Paulo, Belo Horizonte e Campinas. Já no Canadá, contamos com a nossa matriz em Vancouver e uma unidade em Toronto. Por conta disso, a agência tem capacidade de atender o cliente integralmente não só quando ele está em seu país de origem, mas também quando ele aterrisa em terras canadenses.

 

128 Compart.
Pathway

Pathway no Canadá: Informações importantes sobre o programa

Muita gente acaba desistindo de cursar uma universidade no exterior por conta do nível de inglês. Além de essencial para a compreensão das aulas, o idioma também será exigido naquele momento decisivo, antes mesmo de colocar os seus pézinhos no país: ser ou não aceito na universidade em que você pretende estudar já que, para isso, será preciso comprovar o seu domínio da língua. E é nessa hora que o Pathway surge como uma boa alternativa para aqueles que ainda não estão tão seguros no idioma assim. 

Para quem não sabe, para ingressar em uma instituição canadense, geralmente é preciso comprovar o inglês através de um teste de proficiência de nível acadêmico.

Os mais comuns são o TOEFL (Test of English as a Foreign Language) e o IELTS (International English Language Testing System). 

No entanto, esta primeira opção acaba assustando muita gente. Essa é uma alternativa mais frustrante principalmente para quem não tem o domínio da língua e já está há muito tempo afastado dos estudos do idioma.

Estes tipos de exames de proficiência exigem bastante dedicação e estudo para se obter sucesso. Para essas provas, não basta apenas saber inglês.

É preciso conhecer também a estrutura de cada uma delas e o que será esperado de você em cada um dos módulos (Reading, Listening, Writing e Speaking).

Cada universidade tem uma nota mínima exigida de seus alunos internacionais para que eles possam realizar a matrícula.

Mas, de uma forma geral, no IELTS, a grande maioria costuma pedir um overall score de 6.5, com nenhuma nota abaixo de 6.0 em cada banda. Já no TOEFL, a nota mais pedida é um overall score de 83, com um mínimo de 20 em cada seção. 

Você poderá repetir o exame quantas vezes quiser – e o seu bolso permitir. Para fazer a prova do IELTS no Brasil é preciso desembolsar R$ 840. Para o TOEFL, o valor é de US$ 215 (preços praticados em 2018).

Mas, caso não consiga atingir a nota que precisa ou não queira repetir a prova, não há motivo para desespero. O aluno poderá recorrer à segunda opção que é o tema central deste texto: o Pathway, um programa específico que visa preparar estudantes internacionais para ingressar em cursos pós ensino médio. Porém, fique ligado, pois para entrar no universidade você terá que atingir os requisitos deste programa, além dos estipulados pelo curso e instituição escolhidos. 

 

via GIPHY

Mas, afinal, o que é o Pathway?

Capazes de dar um upgrade na sua proficiência em pouco tempo, o Pathway é um curso preparatório para universidades, faculdades e até cursos técnicos do Canadá.

Como o próprio nome já diz, este tipo de programa é como se fosse uma “trajetória”, um “caminho” a ser trilhado até chegar na instituição de seu interesse. A idade mínima para se iniciar um programa de Pathway é 18 anos e não existe idade máxima.

Estes programas são ideais para quem, conforme já dissemos, não atingiu a nota mínima de inglês exigida em provas de proficiência.

Ele também é indicado àqueles que querem estar melhor preparados para começar seus estudos no Canadá, já que o sistema de ensino do país é bastante diferente do que estamos acostumados no Brasil.

O programa não é recomendado para quem não tem inglês ou tem um nível baixo. Para estes casos, existem outras alternativas de cursos de inglês que podem ser discutidas com a sua agência de intercâmbio (Entre em contato com a 3RA caso precise de auxílio!).

As universidades canadenses esperam que o aluno já venha para a aula com o máximo de entendimento do conteúdo que será discutido em sala. Esse é um estilo de aprendizagem denominado “self study”.

Por isso é tão importante a fluência na língua inglesa! Então, se existe a possibilidade de já se estar familiarizado com o esquema canadense de estudos desde o início, é uma excelente vantagem para se conquistar uma boa performance durante as aulas.

As aulas do Pathway são focadas em proporcionar uma vida acadêmica de qualidade. Elas envolvem leitura, conversação, e muita escrita.

Nelas, os alunos vão aprender a preparar ensaios, artigos científicos e a fazer apresentações orais e trabalhos em grupo. Ou seja: tudo o que, normalmente, será pedido nas aulas que o aluno irá frequentar na universidade escolhida.

Alguns programas Pathway incluem ainda aulas que valerão como créditos nos futuros cursos dos seus alunos.

Nas aulas do Pathway, além de gramática e vocabulário, você irá desenvolver também habilidades de pensamento crítico, habilidades de discussão e técnicas de como estudar. São vários níveis de inglês oferecidos: do nível 1, beginner, até o nível 10, Avançado.

Tanto escolas de idioma quanto algumas universidades oferecem programas Pathway. E, em muitos casos, participar com sucesso desse curso permite que a exigência de comprovação de proficiência de língua inglesa, como o IELTS e o TOEFL, seja dispensada. 

Nível de inglês: Quanto tempo precisarei estudar no Pathway?

O aluno poderá ter uma ideia bem próxima de que nível de inglês se encontra e de quanto de Pathway precisará realizar, através de um teste aplicado pelas escolas e agências de intercâmbio.

Cada instituição tem uma forma de aplicar este exame para seus futuros alunos ainda no Brasil.

No entanto, o mais comum é ter que realizar uma prova online de múltipla escolha, ou prova aberta.  Às vezes, também é realizada uma entrevista por telefone com um membro da equipe da escola onde será realizado o programa.

O resultado deste teste é apenas uma estimativa.

via GIPHY

Para definir de uma vez por todas quanto tempo de Pathway você realmente precisará, somente com um teste de nivelamento aplicado pela escola, já no Canadá.

Esse tempo deverá ser cumprido mesmo que a duração seja maior ou menor do que a estimada ainda no Brasil. É por isso que é extremamente indicado que, mesmo após a simulação realizada, o aluno dê continuidade aos seus estudos de inglês. Desta forma, ao chegar no Canadá, não exista uma disparidade muito grande em relação ao tempo estimado e o tempo efetivamente definido para o programa de Pathway.

Quanto mais alto seu nível de inglês, menos tempo de programa será necessário e mais facilmente você estará adaptado ao modelo de estudo canadense.  

O tempo de programa dependerá também do nível de inglês que o seu College exige. Cada instituição exige um nível diferente, e até mesmo dentro de uma mesma instituição existem cursos com diferentes níveis de exigência.

Se você já tiver uma nota de TOEFL ou IELTS, mesmo que não seja a pontuação necessária para iniciar as aulas em um college, é possível apresentar esse resultado e dispensar a necessidade de um teste de nivelamento para o Pathway.

Com a pontuação do exame previamente realizado, a escola já conseguirá definir o tempo de programa necessário. Porém, é importante lembrar que o Pathway normalmente tem duração mínima de dois meses. Ou seja, mesmo que você esteja em um nível muito avançado, será preciso cursar esses dois meses de programa.

Visto necessário para o Pathway no Canadá

Falando sobre o tipo de visto exigido para se iniciar o Pathway, caso o programa tenha menos de 24 semanas de duração, não é preciso aplicar para um visto de estudos. 

Desta forma, é possível dar início às suas aulas de inglês no Canadá com visto de turista e, posteriormente, fazer a troca de status para estudante para enfim iniciar suas aulas no College. 

Isso é uma vantagem especialmente para quem já possui um visto americano válido ou teve um visto canadense aprovado nos últimos 10 anos. Caso esse seja o seu caso, você poderá solicitar o eTA (Electronic Travel Authorization ou a Autorização Eletrônica de Viagem) pela internet, e entrar no Canadá por via aérea como turista.

No entanto, é altamente recomendado aplicar para um visto de estudos caso o programa de Pathway tenha duração a partir de 20 semanas para não prejudicar seu planejamento.

Agora, se a duração do Pathway for superior a 6 meses, será obrigatório aplicar para um visto de estudos tradicional. Posteriormente, já no Canadá, você deverá pedir a extensão do visto de estudos para poder iniciar as aulas do College.

*A Immi-Canada, especialista em vistos e imigração no Canadá, oferece suporte nestes processos. Entre em contato!   

Matrícula e Pathway

Quando o aluno fecha um programa de Pathway, o College ou Universidade em que ele irá estudar emitirá uma Carta Condicional.

Esse documento traz a informação de que o aluno foi aceito, mas terá que cumprir com a condição proposta. Ou seja: o estudante precisará atingir o nível de inglês necessário em X semanas para iniciar o curso principal.

É importante que o aluno conclua o Pathway com sucesso com um mês de antecedência às aulas. Você só terá como iniciar suas aulas quando completar esse requisito. Caso não complete, a solução será mudar a entrada de seu programa. Por esta razão, é recomendado embarcar para o Canadá com um tempo de folga da data de seu intake no College ou Universidade.

Lembrando que ter uma Carta de Aceitação de uma instituição de ensino não garante a resposta positiva de uma aplicação. Tudo dependerá da análise total que o Oficial da Imigração fará.

Posso trabalhar durante o Pathway?

Esta é uma dúvida que sempre surge quando falamos em cursos de idioma. É muito importante lembrar que, já há algum tempo, não é mais permitido trabalhar durante cursos de inglês.

E, para o Pathway a regra é a mesma: tanto o aluno quanto o seu respectivo cônjuge (se for o caso) só poderão trabalhar a partir do primeiro dia de aula do estudante no College ou University.

Aí sim, o estudante poderá trabalhar até 20 horas por semana durante o período de aulas e até 40 horas no período de férias, enquanto seu cônjuge terá um visto aberto de trabalho (sem limite de horas). Esse fato deve ser levado em consideração no momento do seu planejamento financeiro para o Canadá.   

Quanto custa um Pathway?

E já que estamos entrando no assunto investimento, na tabela abaixo você poderá ter uma ideia da média de valores, em dólares canadenses, dos programas de Pathway. A 3RA conta com opções em diferentes cidades e escolas do Canadá. 

Calgary Montreal Ottawa Toronto Vancouver Victoria
Pathway $ 1.200, $ 1.900, $ 2.280* $ 1.300, $ 1.300, $ 2.200*

*Estes valores são específicos para nove semanas de curso.  Os outros indicados na tabela são referentes a quatro semanas de estudo. 

Nesta estimativa, que é mensal, não estão inclusos os materiais de estudo, transporte, alimentação ou moradia, apenas o valor do programa (que poderá sofrer alterações, de acordo com a escola de inglês).

Pathway concluído com sucesso. E agora?

Depois que você atingiu o nível de inglês necessário para iniciar suas aulas no College ou Universidade, a escola irá entregar o seu Certificado.

Este documento, algumas vezes acompanhado também de seu histórico, será essencial para comprovar para a instituição de ensino que você está apto a frequentar as aulas.

Caso tenha contratado uma agência de intercâmbio, eles irão cuidar tranquilamente deste processo para você.

via GIPHY

Em resumo, procure por um curso Pathway se você:

  • Quer fazer um curso técnico ou superior no Canadá, mas seu inglês é intermediário;
  • Pode passar até 1 ano aprimorando o seu inglês antes de iniciar o curso desejado;
  • Tem inglês avançado, mas precisa aprimorar habilidades acadêmicas;
  • Precisa fortalecer o vocabulário específico relacionado à sua área de estudo;

Você se encaixa em algum desses casos? Então entre em contato com a 3RA Intercâmbio e comece agora mesmo o seu planejamento.

554 Compart.
Cursos de inglês no Canadá

Cursos de inglês no Canadá: Tipos de programas, preços e vistos

Que a língua inglesa é muito importante, não é nenhum mistério. Ela pode fazer a diferença na hora de conseguir uma boa oportunidade de emprego e pode deixar a sua viagem de férias ao exterior muito mais tranquila e agradável. Além disso, ela pode fazer com que você faça novas amizades, bem como pode ser o empurrãozinho que falta para você iniciar uma nova vida em outro país. Por isso, que tal fazer cursos de inglês no Canadá?

Sabemos que nem todo mundo tem a mesma facilidade de aprendizado. Na maioria das vezes, apenas estudar em uma boa escola de idiomas não é suficiente.

Desta forma, a vivência mesmo que temporária em um país de língua inglesa, além de ser uma experiência incrivelmente enriquecedora culturalmente falando, pode acelerar o seu aprendizado de uma forma surpreendente. 

Estar em constante contato com pessoas que falam a língua que você está tentando aprender e usá-la no dia a dia, com certeza garantem estímulo e mais confiança quando chega a sua hora de se comunicar. 

Afinal, você vai precisar usar o idioma mesmo que nas mais corriqueiras atividades como pedir sua refeição em um restaurante, jogar conversa fora no ponto de ônibus, ou pedir ajuda da atendente de loja para encontrar aquele item que você está procurando. 

E quando você vê resultados, é muito mais gostoso e recompensador, não é mesmo? E, por isso, fazer cursos de inglês no Canadá é uma ótima opção! 

Então, para ajudar você a conquistar o inglês que você sempre sonhou um dia falar, a gente resolveu criar um texto com o objetivo de reunir, em um só lugar, tudo o que você precisa saber sobre cursos de inglês no Canadá. Let’s start?

via GIPHY

Estudar inglês no Canadá: Tipos de curso

Antes de mais nada, seja qual for o seu objetivo com a língua inglesa, existem uma série de cursos que você poderá optar por fazer. 

Eles vão desde inglês Geral, até inglês preparatório para provas de proficiência, inglês para negócios e, também, Pathway Universitário.

Abaixo, vamos explicar com mais detalhes cada um destes cursos.

Inglês Geral

Como o próprio nome já diz, estes são cursos indicados para quem deseja aprimorar o inglês de uma forma geral.

Durante as aulas deste curso, você irá expandir o seu vocabulário, ganhar muito mais confiança para conversar, e melhorar uma determinada habilidade da língua. Por exemplo, algumas pessoas têm muita facilidade na gramática, mas dificuldade no “listening” (compreensão).

Este tipo de curso atende diferentes níveis de conhecimento, do básico ao avançado. Uma boa pedida para quem deseja fazer um intercâmbio e vivenciar a cultura do país, e, de quebra, fazer amigos de diferentes lugares do mundo.

Inglês Preparatório para TOEFL / IELTS

Quem pensa em estudar em um curso superior no Canadá ou tem a intenção de imigrar para o país, precisa provar o domínio do idioma através de um exame com reconhecimento internacional. 

O TOEFL (Test of English as a Foreign Language) e o IELTS (International English Language Testing System) são dois exemplos desses exames, comumente aceitos pela maioria das universidades canadenses. O IELTS também é aceito pela imigração no momento em que se aplica para algum processo do tipo.

O curso de inglês preparatório para TOEFL / IELTS tem como objetivo principal auxiliar os alunos em todas as quatro competências geralmente exigidas pelas provas: speaking, listening, reading e writing.

Inglês para Negócios

Os programas dessa modalidade são indicados para quem visa construir uma carreira de sucesso no mundo dos negócios.

Durante as aulas, os alunos irão aprimorar suas habilidades gerais de comunicação, além de construir vocabulário em inglês voltado para empresas.

Com esse curso, em pouco tempo você estará tirando de letra aquelas temidas reuniões de trabalho em inglês!

Pathway

“Pathway” significa “caminho”. E é um termo bem apropriado para o que este tipo de programa representa.

O pathway é indicado para quem deseja realizar um curso superior no Canadá, mas ainda tem um caminho pela frente por dois principais motivos: 

  • Por ainda não ter o nível de proficiência na língua exigido pelos colleges e universidades canadenses 
  • Por até ter o nível exigido, mas não se sentir inteiramente confiante e preparado para iniciar suas aulas em um curso superior. 

As aulas do Pathway envolvem leitura, conversação, e escrita. Os alunos aprendem a preparar ensaios, artigos científicos e a fazer apresentações orais e trabalhos em grupo, ou seja, tudo o que será exigido no dia a dia de um college.

O Pathway é oferecido por escolas de inglês e, também, por algumas universidades. A dedicação e o sucesso neste tipo de programa permite dispensar a exigência da comprovação de proficiência de língua inglesa na hora de ingressar em um curso superior, principalmente se for através da mesma universidade da qual o Pathway foi oferecido.  

É importante dizer que não existe idade para se aprender um novo idioma. E a cliente 3RA Eliane Kanner é a prova disso, vivenciado sozinha um intercâmbio em Vancouver aos 60 anos de idade. Algumas escolas oferecem programas voltados para a terceira idade, bem como para crianças a partir de três anos de idade e adolescentes. Se você ficou interessado em mais detalhes dos cursos de inglês citados, a 3RA Intercâmbio poderá lhe ajudar. Entre em contato!

Trabalhar e estudar inglês no Canadá: É possível?

Independente do tipo de curso de inglês que você optar por fazer, é importante lembrar que, já há algum tempo, cursos de idioma não dão mais permissão de trabalho para estudantes e seus respectivos cônjuges no Canadá.

Caso você esteja procurando um curso que permita trabalhar, a 3RA Intercâmbio também poderá auxiliá-lo com um programa neste sentido. São inúmeras opções que vão desde cursos vocacionais a cursos de desenvolvimento profissional, bacharelados, etc. Portanto, a resposta para a pergunta acima é, infelizmente, um sonoro NÃO.

via GIPHY

Intercâmbio no Canadá: Visto para estudar inglês

Agora que você já escolheu o curso de inglês que irá fazer, basta comprar as passagens e preparar as malas, certo?

Errado! Agora é hora de se preocupar com o visto que permitirá sua permanência no país para fazer cursos de inglês no Canadá. 

Caso o curso de inglês tenha duração inferior a 24 semanas, não é preciso aplicar para um visto de estudos. Com um simples visto de turista você já poderá dar início às suas aulas no Canadá.

No entanto, se você já possui um visto americano válido ou teve um visto canadense aprovado nos últimos 10 anos, o processo é bem mais simples.

Basta solicitar o eTA (Electronic Travel Authorization ou a Autorização Eletrônica de Viagem) pela internet, e entrar no Canadá por via aérea como turista. Além de prático, esse processo é, também, mais em conta, já que a taxa a ser paga após o preenchimento do formulário online é de apenas 7 CAD. Mas fique sempre de olho na validade de seus vistos e passaporte para evitar que ela expire enquanto você estiver no Canadá, estudando.

Agora, se a duração de seu programa de inglês for superior a 6 meses, não é possível utilizar o eTA – que só dá direito de permanecer no país por até seis meses – nem o visto de turista.

É preciso aplicar para um visto de estudos tradicional. Caso precise de auxílio, a nossa parceira Immi-Canada poderá lhe ajudar com esse processo. Entre em contato!

**Lembramos que este é apenas um texto informativo geral sobre cursos de inglês no Canadá. Para dúvidas sobre casos específicos de vistos e imigração sugerimos que entre em contato com a Immi Canada, empresa parceira da 3RA. E-mail de contato: contact@immi-canada.com.

Onde estudar inglês no Canadá?

O Canadá é considerado um dos melhores países do mundo para se viver. E justamente pela sua qualidade de vida, aliada à sua recepção, multiculturalidade e paisagens incríveis, é, também, um dos principais países quando o assunto é intercâmbio.

A 3RA tem parceria com escolas de inglês em Vancouver, Toronto, Montreal, Victoria, Calgary e Ottawa.

Elas são cidades bem diferentes, cada uma com suas atrações, clima e infraestrutura, mas todas com aquele charme e beleza que só o Canadá tem.

Portanto, na hora de escolher entre as inúmeras opções de cursos de inglês no Canadá, tenha em mente que tipo de cidade mais lhe agrada. Para algumas pessoas, cidades mais pacatas, com cenários exuberantes, são a melhor opção.  Outras já preferem uma cidade mais agitada, repleta de bons restaurantes e uma vida noturna efervescente.

Cursos de inglês no Canadá: Vancouver

Vancouver é uma das cidades preferidas dos intercambistas

Intercâmbio no Canadá: Preços

O valor pago em um curso de General English (Inglês Geral) pode girar em torno de $ 800 a $ 1000 dólares canadenses por um período de 4 semanas. Quanto mais semanas de curso o aluno fechar, mais esse valor tende a diminuir.

Cada escola pratica uma tabela de preço e possui promoções especiais em determinadas datas do ano. O ideal é consultar uma agência de intercâmbio e fazer um orçamento para escolher o programa que irá garantir o melhor custo-benefício para você.

Abaixo, criamos uma tabela com uma média de valores, em dólares canadenses, dos diferentes tipos de cursos em cidades que a 3RA Intercâmbio tem parceria com escolas de inglês. Lembrando que esta é apenas uma média de valores para quatro semanas e há programas mais baratos e mais caros.

Confira:

Calgary Montreal Ottawa Toronto Vancouver Victoria
Inglês Geral $ 900 $ 930 $ 900 $ 800 $ 1.000 $ 900
Inglês Preparatório para TOEFL / IELTS $ 1.200 $ 1.680 $ 1.400 $ 1.000 $ 1.010 $ 1.400
Inglês para negócios $ 1.080 $ 1.680 $ 950 $ 1.200 $ 2.000
Pathway $ 1.200 $ 1.900 $ 2.280* $ 1.300 $ 1.300 $ 2.200*

*Esses dois valores são específicos para nove semanas de curso, diferente dos outros valores da tabela que são para quatro semanas de programa.  

É importante lembrar que, nesta estimativa, que é mensal, não estão inclusos os materiais de estudo, transporte, alimentação ou moradia, apenas o valor do programa citado (que poderá sofrer alterações, de acordo com a escola de inglês).

Cursos de inglês no Canadá: Primeiro dia de aula

É no primeiro dia de aula que os alunos irão realizar o teste de nivelamento para saber em que turma irão iniciar os seus estudos.

via GIPHY

Normalmente, os testes online de inglês realizados ainda no Brasil pelas agências de intercâmbio são para se ter uma estimativa de quanto tempo o aluno precisará fazer de inglês para atingir o nível avançado. No entanto, quem define em que nível ele realmente está é a própria instituição de ensino, já no Canadá.

Depois desse teste, os alunos seguirão para o Orientation Day. Nesnte momento será apresentada a escola, suas regras gerais, esclarecimentos sobre mudança de nível, atividades, entre outras informações pertinentes sobre a cidade, leis canadense, telefones de emergência, etc.

Será no segundo dia que irão iniciar, de fato, as suas aulas. Daí por diante, é papel e caneta na mão, olhos atentos e ouvidos bem abertos para absorver, ao máximo, tudo o que será ensinado ao longo das semanas. 

A gente já publicou aqui no blog um texto muito bacana com dicas para deixar o seu intercâmbio ainda mais proveitoso. Se você se interessou pelo assunto, não deixe de ler o texto na íntegra e aproveitar cada dica. Temos certeza que valerá a pena!

Enfim, quando se trata de aprender ou aprimorar uma nova língua, a palavra-chave é: dedicação. Agora que você já tem toda a informação que precisa sobre cursos de inglês no Canadá, it is up to you! ;)

E lembre-se: no que precisar, a 3RA Intercâmbio poderá lhe ajudar a se planejar em cada passo do seu intercâmbio e oferecer todo o suporte que você precisa para embarcar, tranquilo, nessa experiência maravilhosa!

 

330 Compart.

Importância do inglês para entrada no mercado de trabalho canadense

Muitos brasileiros chegam ao Canadá com um currículo de dar inveja, porém, quando entram no mercado de trabalho canadense esbarram na barreira do idioma, e tudo começa pela entrevista de emprego.

O empregador poderá ficar impressionado pela sua experiência no Brasil, porém ele não irá te contratar sem antes te conhecer pessoalmente e entender, de fato, quais são seus objetivos no país e o que você poderá contribuir para a empresa. E isso tudo será explicado em inglês!

É aí que muitas oportunidades são perdidas pois, dependendo da posição, será necessário ter um nível de inglês um pouco mais avançado. Afinal de contas, se comunicar bem em inglês será indispensável para o seu sucesso.

Mercado de trabalho canadense: meu inglês não é muito bom, o que eu faço?

Nesta etapa, vale a pena, então, pensar se não é interessante começar pelas vagas mais operacionais, como atendimento em loja, estoque de materiais, construção civil, entre outras, que não exigem um alto grau do idioma e, ao mesmo tempo, proporcionam diálogo com outras pessoas.

Segundo pesquisa da Labour Force Survey 2017, site oficial do governo canadense, a taxa de empregabilidade no país cresceu 1,6% em relação ao ano anterior. Portanto, fique tranquilo, que há oportunidades para todos os níveis!

O importante é pensar que toda experiência é válida e nunca deixar de estudar inglês, pois quanto mais avançado você estiver, mais oportunidades aparecerão. Outra alternativa se você não estiver muito seguro é procurar algo voluntário, pois além de ser muito valorizado no Canadá, você dará um “up” no seu inglês.

Resumindo: o inglês vai te ajudar a abrir portas em diversas áreas no país, principalmente em áreas mais estratégicas como Marketing, Finanças e Tecnologia. Mas não desanime, pois há diversas vagas que exigem um nível mais baixo do idioma e que podem ser seu pontapé inicial no mercado canadense. Lembre-se que muitos brasileiros que hoje estão fazendo carreira em empresas canadenses,  começaram em posições “de entrada”.

Dicas para se sair bem na procura de emprego no Canadá

O primeiro passo para a entrada no mercado de trabalho canadense é a busca de vagas. E não vá achando que elas aparecerão milagrosamente em sua vida.

Amplie seu “nerworking”

A nossa primeira dica e que também vai ajudá-lo muito a aprimorar o inglês é: amplie sua rede de contatos. Não é segredo para ninguém que o networking é algo muito importante para uma carreira de sucesso. Por isso, tire um tempinho para aprimorar sua rede de contatos, especialmente se você é um pouco introvertido. A ideia aqui é se comunicar. E em inglês! Comece a procurar na internet eventos de network em sua área de atuação. Saia de sua zona de conforto!

Segundo alguns especialistas, uma outra opção é usar o Linkedin. No Canadá, as pessoas têm o costume de realizar a chamada “informational interview”, ou seja, marcar de conversar pessoalmente com alguém da área ou da empresa na qual está interessado sobre o mercado de trabalho . Esta rede social pode ajudar e muito em um primeiro contato.

Não use gírias na entrevista de emprego

Muitas pessoas, principalmente adolescentes, aprendem diversas gírias em inglês e elas acabam aparecendo nos diálogos de forma natural. Mas tenha em mente que esta “mania” é vista de forma negativa pelos empregadores. Para Robert Fodge, de uma empresa localizada em Dover, Delaware, a forma de falar pode ser um grande problema durante a entrevista. Segundo ele, a forma de usar a linguagem é muito importante. Gírias não tem espaço no mundo dos negócios.

Jamais minta durante a entrevista

Segundo o site Monster.ca, uma das maiores reclamações dos entrevistadores é quando os candidatos não são completamente verdadeiros. Acredite, pequenas mentiras são muito comuns. Um exemplo frequente é, por exemplo, “aumentar” as realizações profissionais.

Principais perguntas em entrevistas de emprego

Para te ajudar a se preparar, é muito importante que você trace uma ideia das suas respostas no momento da entrevista. E como ela será em inglês, a dica é treinar em casa (na frente do espelho mesmo!) para não gaguejar na hora.

Assim como no Brasil, nas entrevistas de emprego no Canadá também existem aquelas perguntas-chave que, independente da vaga disputada, serão feitas pelos entrevistadores para conhecê-lo melhor e avaliar se você tem o perfil ideal para a empresa.

1)Tell me about yourself.

Com esta pergunta, o entrevistador quer, além de lhe deixar mais tranquilo, ouvir de você porque ele deve lhe contratar e o que você tem para oferecer à empresa. Para responder esta questão, a sugestão é que você fale um pouco sobre as suas qualificações e experiências anteriores relacionadas com a vaga disponível, suas habilidades, incluindo a maneira como você lida com as pessoas, e alguma informação pessoal que demonstre estabilidade.

2) Tell me about your experiences with this type of work.

Neste caso o entrevistador quer descobrir se você é capaz de desenvolver o trabalho proposto. Se você já teve alguma experiência parecida anteriormente, conte onde e dê exemplos de suas realizações. Caso sua experiência não seja a mesma, mas seja relacionada à vaga disponível, indique as habilidades que podem ser aproveitadas e também demostre vontade de aprender. Em caso de não ter feito nada parecido, foque apenas em suas habilidades e indique seu interesse no treinamento disponibilizado pela empresa.

3) Why do you want to work here?

Neste momento o entrevistador quer saber o que você conhece e gosta na empresa além de descobrir se você quer contribuir para o crescimento da companhia ou se está apenas atrás de segurança e dos benefícios oferecidos. Para responder a esta pergunta, primeiramente você precisará descrever o que você sabe sobre a organização. Além disso, não esqueça de indicar como as suas habilidades vão de encontro ao que eles estão precisando no momento e sua vontade de crescer com a empresa.

4) Why did you leave your last job?

A intenção desta pergunta é descobrir se você teve algum problema no passado e se há algum motivo para não contratá-lo. O empregador também quer avaliar sua atitude em relação aos colegas de trabalho, supervisores, políticas da empresa e situações difíceis.
Ao responder esta pergunta, sempre fale algo positivo sobre a sua antiga empresa. Também descreva brevemente a sua razão para ter deixado o emprego. Se você saiu bem da empresa ou tem uma carta de recomendação, conte para o entrevistador. Caso a sua situação não tenha sido tão boa assim, mencione o que os colegas de trabalho gostavam em você, algumas de suas realizações no antigo emprego e a oportunidade que você está tendo de procurar novos desafios e crescimento na carreira.

5) What kind of salary do you need?

Neste caso, o entrevistador quer saber se o salário que você tem em mente vai de acordo com o que a empresa está disposta a pagar. Nesse caso, temos três diferentes sugestões de resposta:

  • “I’m really interested in finding out what salary range you are offering”.
  • “I’m negotiable and ready to discuss an amount which is fair to both of us, and takes into account my responsibilities and qualifications”.
  • Caso o empregador esteja realmente interessado em contratá-lo, ou insista em uma resposta, diga um valor que você saiba que é realista. Por isso, saiba o quanto você precisa para conseguir cobrir seus gastos mensais. Pergunte também sobre benefícios e oportunidades de crescimento dentro da empresa.

6) When are you available for work?

O motivo desta pergunta é óbvio: descobrir quando você pode começar e se você tem outros compromissos. Se você estiver livre para começar imediatamente, diga. Caso você esteja trabalhando e ainda precisa avisar ao atual empregador, deixe claro o tempo que você necessita para isso.

7) What are your greatest strengths?

Com esta pergunta, o empregador quer descobrir o quão bem você se conhece, se você acredita em suas competências e se está confiante de que é a pessoa certa para a vaga. Para responder, diga que além de suas habilidades profissionais, treinamentos ou experiências anteriores você também tem qualidades que podem colaborar com o seu trabalho e liste cada uma delas. Se ainda tiver tempo, esteja preparado para dar exemplos reais e citar situações anteriores nas quais suas características lhe ajudaram a fazer um bom trabalho.

8) What are your weakness?

O motivo desta pergunta é descobrir se você não é a pessoa ideal para a vaga. Neste caso, você poderá apontar seus pontos fracos, mas ao mesmo tempo mostre que você está sempre trabalhando para superá-los.

Exemplos:
“I’m so enthusiastic that I want to do 100 thing at once, so I have to sit down and make a list of priorities and plan a schedule. That always works well with me”.
“I’m eager to have computer training, so I’m enrolling in evening courses for next term”

9) What are your long-range goals?

Os motivos desta pergunta são claros: descobrir se você tem interesse em permanecer na empresa; se a vaga é o que você realmente quer; identificar seus planos de carreira e se eles estão de acordo com os objetivos da companhia. Quando for responder a esta pergunta, mostre interesse e comprometimento com a sua área de trabalho.

10) Can you work under pressure or tight deadlines?

Neste caso, se for verdade, responda “sim”. Você pode falar algo do tipo “I know pressure and deadlines are a part of work and I enjoy meeting realistic goals and challenges”. Cite também exemplos de experiências passadas e descreva os prazos e pressões que você considera normais no tipo de trabalho que você estará executando.

Caso trabalhar sob pressão não seja o seu forte, primeiro cite alguns de seus pontos positivos e depois diga que você prefere saber os deadlines com antecedência para que você possa se organizar e trabalhar melhor.

Leia também:

Estratégias para procurar emprego no Canadá em 2017
Entrevista de emprego no Canadá: Como responder às três perguntas mais difíceis?
Saiba o que NÃO fazer em uma entrevista de emprego
Dicas valiosas para se dar bem em entrevistas de emprego

168 Compart.

Dúvidas frequentes: Cursos vocacionais

Há algum tempo, nós produzimos um texto explicando um pouco sobre os cursos vocacionais. Porém, este ainda é um assunto que gera muitas dúvidas e, por isso, nós decidimos reunir aqui as principais questões de nossos clientes sobre o assunto.

Para quem não sabe, os cursos vocacionais – ou career colleges, como também são conhecidos – são programas que atraem muitos estudantes pois costumam contar com valores mais acessíveis, exigem um nível de inglês mais baixo e também muitas vezes oferecem a possibilidade de trabalho durante os estudos.

No entanto, se a sua intenção é imigrar para o Canadá, ele pode não ser o ideal para você. Esses cursos são mais indicados para aqueles que querem apenas ter uma experiência internacional, retornando ao Brasil em seguida. Veja abaixo as principais questões de nossos clientes e descubra o porquê disso:

1) Como funcionam os cursos vocacionais?

Os cursos vocacionais também são conhecidos como programas de estudo e trabalho, pois contam exatamente com um componente de estudo e um de trabalho (estágio). Neste tipo de programa, geralmente o aluno vai estudar por um período, os primeiros seis meses, por exemplo, e, para se formar, precisará concluir um período de estágio na área após os estudos, pelo mesma quantidade de tempo que estudou. Por exemplo: Se você se matriculou em um curso com 480 horas/aula, para se formar, precisará concluir 480 horas de trabalho em seu estágio. O tempo da parte prática do curso nunca deve superar o tempo de estudos. As áreas mais comuns em cursos vocacionais são: business, hospitality, customer service, etc.

2) Como funciona a permissão de trabalho nos cursos de carreira?

Se o curso em que você se matriculou tem as características exigidas pela imigração canadense – ou seja, é um curso full-time com no mínimo seis meses de duração – você terá permissão para trabalhar 20 horas off campus por semana durante o seu período de aulas. Já na parte prática do programa, você poderá trabalhar até 40 horas por semana, sendo 20 horas por semana referentes à sua permissão de trabalho off campus e 20 horas referentes ao programa de estágio obrigatório. Lembrando que você só poderá começar a trabalhar a partir do seu primeiro dia de aula no curso vocacional. Caso você precise estudar um pouco de inglês antes, você não poderá trabalhar durante este período. É importante lembrar que, nos casos dos cursos vocacionais, as horas trabalhadas não irão contar para os processos de imigração e por isso eles não são muito vantajosos para quem deseja ficar no país de vez.
3) Os cursos vocacionais dão direito ao PGWP após sua conclusão?

Essa com certeza é a pergunta mais frequente e uma das mais importantes. Os cursos vocacionais são programas de certificado e diploma oferecidos por instituições privadas. Portanto, não dão direito ao PGWP – aquela permissão de trabalho após a conclusão do programa. (Clique aqui para saber mais sobre o assunto). O PGWP é um dos maiores aliados daqueles que querem imigrar para o Canadá através de programas de estudo, pois oferecem um tempo maior de permanência no Canadá e permissão de trabalho sem restrições de horas – o que pode colaborar com o seu processo de imigração no futuro. Durante o PGWP, caso o aluno consiga um emprego dentro dos requisitos da imigração canadense – essa experiência de trabalho pode contar pontos para o processo (confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP). 

4) Cursos vocacionais dão direito ao visto de trabalho para o cônjuge e escola pública para os filhos?

Não. Como já falamos em textos anteriores, há até relatos de pessoas que conseguem o Open Work Permit para o cônjuge estando matriculados neste tipo de programa, mas isso não é garantido como no caso dos colleges públicos. Caso você tenha filhos, é bem provável que você também não consiga matriculá-los no ensino gratuito do país, precisando pagar uma escola particular para as crianças, que custa entre CAD$13 e CAD$ 17 mil por ano.

Apesar de não serem os mais indicados para quem quer imigrar para o Canadá, os cursos vocacionais apresentam uma série de vantagens para os clientes que querem garantir uma experiência de estudo e trabalho no país. Se esta é a sua intenção, a 3RA Intercâmbio conta com uma grande variedade de programas do tipo. Clique aqui e saiba mais informações.

Já se a sua intenção é procurar por programas de estudo que podem lhe ajudar em um processo de imigração no futuro, nós também temos muitas opções para você. Agende logo a sua consulta educacional.

300 Compart.
 

As melhores perguntas do Hangout sobre programas Pathway

No dia 30 de Novembro, o diretor educacional da 3RA Intercâmbio, Francisco Zarro, e a gerente da empresa, Schirley Dalmagro, receberam as representantes da ILSC, Márcia Alves e Fernanda Barros, para um bate-papo sobre os programas Pathway. Os internautas que participaram do evento também tiveram a oportunidade fazer perguntas ao vivo.

Se você perdeu o evento, você poderá assistir o vídeo na íntegra neste post. Nós também fizemos um texto com as melhores perguntas. Confira abaixo:

1)O que é o Pathway?

 

Se você quer estudar no Canadá, você tem que comprovar que você fala inglês. Existem várias maneiras de comprovar. Uma delas é através de uma prova oficial da língua, como TOEFL ou IELTS, ou fazendo o Pathway, sendo transferido automaticamente para dentro de uma instituição em seguida. O Pathway é basicamente isso, a sua trajetória até a chegada ao College ou Universidade de seu interesse.

O Pathway é muito eficiente, porque você não cai diretamente dentro de uma instituição canadense, que tem um sistema educacional completamente diferente. O programa não tem como função apenas melhorar o seu inglês, mas também lhe preparar para os estudos acadêmicos. Você vai aprender como fazer citações, apresentações, bibliografias, entre outros. Então, o estudante ao terminar o curso estará preparado para o College ou Universidade.

2) Posso trabalhar enquanto estou matriculado no Pathway?

 

Não. Durante cursos de inglês ninguém pode trabalhar. Tanto o aluno quanto o cônjuge (se for o caso), só poderão trabalhar a partir do primeiro dia de aula do estudante no College ou University. O estudante poderá trabalhar até 20 horas por semana durante o período de aulas e até 40 horas no período de férias. O cônjuge terá um visto aberto de trabalho. Porém, reiterando, ninguém poderá trabalhar durante o período do Pathway.

3) Como funciona o curso?

 

O curso é focado mais na escrita e na leitura. Você desenvolve habilidades de pensamento crítico, habilidades de discussão e técnicas de como estudar. O curso também vai focar em gramática e vocabulário. São vários níveis de inglês oferecidos: do nível 1, beginner, até o nível 10, Avançado.

4) Como é determinado o tempo de curso?

 

Você precisará fazer um teste para determinar o seu nível e ver quanto tempo de Pathway você precisará fazer. No caso da ILSC, a 3RA vai dar o suporte necessário e você vai descobrir o seu nível antes mesmo de sair do Brasil. Você vai fazer uma prova escrita e, logo depois, uma entrevista por telefone com a equipe da ILSC. O tempo de curso depende do nível de inglês que você tem e o nível de inglês que o seu College exige. “Por exemplo, se o aluno tem o nível intermediário 2 e quer estudar no Douglas College, ele vai precisar chegar ao Avançado 2, que é o nível que a instituição exige. Neste caso, o estudante precisará passar por 5 níveis, o que seria um mínimo de cinco meses de estudo”, explicou Márcia Alves, da ILSC. A ILSC conta com dez níveis e cada nível tem quatro semanas de duração. Cada instituição exige um nível diferente, e até mesmo dentro de uma mesma instituição existem cursos com diferentes níveis de exigência.

5) Quando posso fazer a minha matrícula no College ou University?

 

A matrícula pode ser feita a qualquer momento. Ainda no Brasil, durante o Pathway, ou até mesmo em até dois anos após o término do Pathway. É importante lembrar que ano letivo no Canadá começa em Setembro, que é quando a maioria dos programas em Colleges se iniciam. Porém, normalmente os Colleges oferecem outros dois intakes Janeiro e Maio, mas nem todos os programas contam com essas datas de início. “É legal sempre ter em mente que se você estiver no Canadá fazendo o Pathway, é interessante aplicar com pelo menos três meses de antecedência, porque os programas costumam lotar rapidamente e há também o tempo de processamento da instituição”, disse Fernanda Barros, da ILSC.

6) Existe um nível pré-determinado para entrar no Pathway? Ou posso começar do zero?

 

Não há nível pré-determinado. A pessoa pode fazer o programa até mesmo se não souber nada de inglês. Porém, quanto mais baixo for o nível, mais tempo de programa a pessoa precisará fazer. Nos níveis mais baixos o aluno vai aprender o básico do inglês. Já nos níveis mais avançados você irá ter acesso ao estudo mais voltado para o mundo acadêmico.

7) Quanto tempo antes do início das aulas no College eu preciso terminar o Pathway?

 

De acordo com Francisco, atualmente, como é preciso aplicar para um visto, o ideal é de dois a três meses. “Existe uma lacuna na Lei que quando você tem que fazer o inglês para entrar na faculdade você pode pedir uma mudança de status dentro do Canadá. Não é uma coisa simples, é uma novidade, mas a Celina tem feito isso e tem obtido sucesso e aí o tempo de processamento deste visto cai para um mês. Porém, eu diria que o ideal é na casa de dois a três meses”, falou.

8) O visto do Pathway é considerado de estudante?

 

Segundo Francisco, a lei acabou de mudar. “Existe hoje uma incógnita sobre o caso das pessoas que irão fazer menos de seis meses de Pathway, mas irão fazer uma faculdade depois. Ainda não se sabe se elas poderão pedir o visto de estudante. No site da imigração atualmente você não consegue fazer isso. Como regra é: se o tempo de Pathway for menor do que seis meses, você vai vir como visitante. Se for seis meses ou mais, você já virá com visto de estudante”, explicou.

9) Quando o aluno tem uma pontuação no TOEFL que é abaixo da exigida para ingresso em Colleges. Neste caso, o aluno ainda precisa fazer a prova de nivelamento?

 

Não. Neste caso o aluno pode apenas apresentar o TOEFL ou o IELTS feito e a escola irá definir o tempo de Pathway necessário. Porém, é importante lembrar que o Pathway normalmente tem duração mínima de dois meses. Então mesmo que você esteja em um nível muito avançado, você terá que cursar esses dois meses.

10) Posso viajar para o Canadá como turista e fechar o Pathway e College já no país?

 

Sim. É possível. Porém o processo fica mais arriscado e complicado. O interessante é fazer a prova de nivelamento – que é gratuita – para você ter pelo menos uma ideia do tempo que você precisa estudar. Se você precisar fazer mais de seis meses de inglês, por exemplo, você já virá com visto de estudante e isso irá facilitar muito o processo. Além disso, você consegue se preparar melhor financeiramente e psicologicamente.

0 Compart.

Dicas: Como fazer o seu intercâmbio de inglês ser mais proveitoso

Todo mundo sabe que a melhor opção para quem quer aprender inglês é fazer um intercâmbio. Porém, apenas estar no país não vai lhe fazer ficar fluente da noite para o dia. É preciso muita dedicação e estudo. Por isso, pensando em lhe ajudar a aproveitar ao máximo a sua temporada no exterior, nós conversamos com os parceiros da ILSC e separamos três dicas valiosas para que você volte para o Brasil com o inglês na ponta da língua!

1) Envolva-se em atividades culturais De acordo com a Brazilian Marketing Coordinator da ILSC, Márcia Alves, uma das melhores maneiras de aproveitar ao máximo o período no país é envolver-se em atividades culturais. “Em todos os centros da ILSC no mundo nós nos preocupamos em oferecer atividades diariamente para que o aluno tenha a oportunidade de conhecer novas pessoas e também a cidade em que está. Nós também gostamos de oferecer atividades voluntárias. Desta forma o intercambista pode sempre conhecer a cultura do país”, disse.

2) Estude bastante e vença a timidez Para Márcia, vencer a timidez vai se tornando cada vez mais fácil a medida que o estudante vai ganhando confiança no idioma, já que a vergonha muitas vezes é resultado da falta de vocabulário e gramática. “Quando o aluno começa a estudar e descobrir a língua, tudo muda para ele. Nós aqui na ILSC oferecemos a transformação através do aprendizado da língua, ou seja, ao aprender o idioma, um mundo novo se abre para o estudante: um mundo de oportunidades, um mundo profissional, um mundo de amizades e experiências”, falou. Ainda de acordo com ela, para que o aprendizado seja mais rápido e a timidez vá embora de vez, a dica é estudar bastante. “Estude principalmente vocabulário e gramática, e utilize toda e qualquer oportunidade para a exposição da língua, como estar entre amigos, ler livros, ir ao cinema, ler jornal e revista… Fazendo tudo isso, rapidamente você vai estar mais confiante em falar inglês”, recomendou.

3) Abra-se para outras culturas e evite falar português Segundo Márcia, o intercambista precisa abrir-se para novas culturas. “Seja curioso, experimente comidas e hábitos diferentes e naturalmente você terá amigos de vários países, inclusive do Brasil”, revelou. Para Márcia, um dos grandes desafios do intercambista atualmente é se “desligar” um pouco do Brasil. “Com as mídias sociais, muitos estudantes que se propõe a viver esta experiência acabam vivendo muito em função do Brasil e das comunidades brasileiras de vários canais. Não acredito ser um fator totalmente negativo, mas percebo que estes acabam formando um Brasil fora do Brasil e não se adaptam a cultura local. Manter a cultura brasileira é algo maravilhoso, mas acho importante no processo de adaptação a compreensão da cultura local, ou seja, um reconhecimento da mesma. Caso contrário, o estudante nunca vai conhecer esta nova cultura”, destacou. Se você seguir todas essas dicas, com certeza estará fluente no idioma rapidinho.

De acordo com Márcia, normalmente cada mês de intercâmbio de inglês equivale a no mínimo três meses de cursinho no Brasil, já que no Canadá, por exemplo, o aluno estará imerso na língua. “No Brasil muitas pessoas estudam inglês ‘em português’, ou seja, estão em uma sala de inglês, mas falam português durante a aula, ou a gramática é explicada em português”, contou. Ainda segundo Márcia, no Canadá em especial, os benefícios são muitos. “Especialmente por estar em um país tão multicultural, o estudante tem a oportunidade não só de estudar a língua, mas aprender uma cultura diversificada e que ao mesmo tempo é famosa por ser tão igualitária. Na verdade, o estudante compra o pacote de línguas, mas recebe um pacote muito maior já que a vivência no período de intercâmbio não tem preço. Só quem se permite viver esse tipo de experiência sabe a diferença que faz”, finalizou. Clique aqui para estudar inglês no Canadá

252 Compart.
Estudiar en Canadá

Por que estudar no Canadá?

Atualmente, segundo o último levantamento realizado pelo The Canadian Bureau for International Education (CBIE), o número de estudantes internacionais no Canadá é de mais de 330 mil. Destes, cerca de 10 mil são brasileiros e a tendência é que esse número cresça cada vez mais, já que mais de 90% de todos os estudantes internacionais afirmam que estão satisfeitos com a experiência de estudar no Canadá e que recomendariam o país como destino para estudo.

E não é muito difícil entender o porquê disso. De acordo com a pesquisa mais recente do órgão, os estudantes apontaram três motivos principais que os fizeram escolher o Canadá: a qualidade do sistema educacional canadense, a sociedade em si – que é conhecida por ser tolerante e sem preconceitos – e a segurança.

Porém, como se esses já não fossem motivos suficientes, estudar no Canadá é uma das maneiras mais fáceis se de conseguir um visto de trabalho no país, o que pode abrir muitas portas no futuro para você. Dependendo do programa escolhido, você poderá trabalhar 20h semanais enquanto estuda e 40 horas por semana durante as férias. Além de fazer um dinheirinho extra para ajudar nas despesas, você estará ampliando sua rede de contatos e conhecendo cada vez mais o mercado canadense.

E as vantagens não param por aí. Segundo a pesquisa do The Canadian Bureau for International Education, mais de 50% dos estudantes internacionais que estão no Canadá atualmente desejam aplicar para a residência permanente após a conclusão do curso. Portanto, se a sua vontade também é imigrar,  estudar no Canadá pode pesar (e muito) a seu favor. Alguns cursos oferecem ao estudante a possibilidade de aplicar para o Post-Graduation Work Permit (PGWP). Para quem não sabe, o PGWP é uma permissão de trabalho que é concedida após a conclusão dos estudos e tem duração de até três anos. Com isso, você ganhará tempo no país para atingir aos critérios exigidos pelo programa de imigração vigente, o Express Entry*, e ainda poderá ampliar a sua pontuação no sistema adquirindo experiência de trabalho canadense.

É importante destacar que nem todos os cursos dão direito ao PGWP. Para poder solicitá-lo, você vai precisar ter feito um curso com duração superior a oito meses em uma instituição pública ou qualquer programa de degree em instituições particulares. Lembrando que cada caso é diferente e é preciso tomar cuidado. Por isso, contratar uma assessoria especializada como a 3RA Intercâmbio é fundamental para o seu processo. Assim nós podemos fazer uma análise detalhada de seu perfil e escolher o programa que é o mais indicado para você. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

Clique aqui para estudar e trabalhar no Canadá

*Para saber mais detalhes de como funciona o processo de imigração para o Canadá, entender melhor o sistema e buscar o caminho que é o mais ideal para você, sugerimos uma consulta com a nossa empresa parceira Immi Canada, que é credenciada pelo governo canadense.

 

120 Compart.

Garanta o seu sucesso acadêmico no exterior com o programa Pathway

Muita gente acaba desistindo de cursar uma universidade no exterior por conta do nível de inglês. É verdade que este item é essencial, mas existem várias soluções capazes de dar um upgrade na sua proficiência em muito pouco tempo. Uma delas são os cursos Pathway, nome pelo qual são conhecidos no Canadá os cursos preparatórios para universidades, faculdades e até cursos técnicos.

O Pathway é um programa específico que visa preparar estudantes internacionais para ingressar em cursos pós ensino médio. Durante até 1 ano, o aluno interessado passará por um curso intensivo de inglês focado na sua futura área de estudo e nos requisitos necessários para uma vida acadêmica de qualidade.

As aulas do Pathway envolvem leitura, conversação, e muita escrita. Os alunos aprendem a preparar ensaios, artigos científicos e a fazer apresentações orais e trabalhos em grupo. Alguns programas Pathway incluem ainda aulas que valerão como créditos nos futuros cursos dos seus alunos.

Tanto empresas privadas quanto algumas universidades oferecem programas Pathway. E, em muitos casos, participar com sucesso desse curso (no molde de longa duração) permite que a exigência de comprovação de proficiência de língua inglesa, como o IETLS e o TOEFL, seja dispensada. Isso é especialmente comum quando o programa é oferecido pela própria universidade na qual o aluno deseja ingressar posteriormente.

Para participar de um curso Pathway no Canadá será preciso passar pelo mesmo processo de visto exigido para estudantes brasileiros, e também atender às exigências da escola. De um modo geral, é preciso ter um nível de inglês no mínimo intermediário para que seja possível acompanhar as aulas sem muitas dificuldades.

Em resumo, procure por um curso Pathway se você:

  • Quer fazer um curso técnico ou superior no Canadá, mas seu inglês é intermediário;
  • Pode passar até 1 ano aprimorando o seu inglês antes de iniciar o curso desejado;
  • Tem inglês avançado, mas precisa aprimorar habilidades acadêmicas;
  • Precisa fortalecer o vocabulário específico relacionado à sua área de estudo;

Lembrando que durante o Pathway você não poderá trabalhar, apenas quando iniciar o College, faculdade ou pós-graduação.

Se encaixa em algum desses casos? Entre em contato com a 3RA Intercâmbio e comece seu planejamento.

470 Compart.