Conheça ferramentas que irão lhe ajudar a encontrar um emprego no Canadá

O site “Job bank” é uma excelente fonte de informação para quem está procurando emprego no país. Nós já escrevemos um pouco sobre ele aqui em outras ocasiões, como quando falamos sobre salários e carreiras. Porém, agora resolvemos mostrar algumas outras ferramentas deste site que podem ser muito úteis principalmente para quem acabou de chegar ao Canadá e não sabe muito bem ainda onde procurar pelas oportunidades.

Advanced Search

O advanced search é um recurso muito interessante da página. Nele você consegue encontrar as vagas disponíveis com as exatas características que você procura. Você pode, por exemplo, filtrar sua busca por tipo de trabalho (temporário, permanente, casual etc), carga horária (full-time ou part-time), idioma, nível educacional, categorias, província e região, entre outros. Clique aqui para acessar esta ferramenta.

Job Alerts

Job Alerts é uma outra ferramenta muito útil. Com ela, você não precisa perder tempo checando o site todos os dias. Basta cadastrar-se no site e, duas vezes por dia, você irá receber em sua caixa de e-mail as vagas disponíveis que atendam ao seu perfil. Caso você consiga um emprego e não precise mais receber as mensagens, basta cancelar a assinatura. Clique aqui para se cadastrar.

Job Market Trends

O site oferece as principais tendências sobre o mercado de trabalho canadense. Desta forma, você pode entender onde estão as oportunidades – a médio e a longo prazo – e pode direcionar suas buscas para alguma região específica do país. A ferramenta “Job Market Trends” também reúno os eventos significativos do último mês que podem ter algum impacto na oferta e demanda de novas oportunidades em todo o Canadá. Você tem a opção de procurar por informações gerais ou filtrar suas pesquisa de acordo com o tipo de informação desejada, setor ou região. Clique aqui para acessar a página.

Top Advertised Jobs

Na seção “Top Advertised Jobs” você encontra uma lista completa e atualizada de quais são os profissionais mais procurados pelas empresas que estão anunciando no site. Normalmente a página recebe cerca de 3 mil novas postagens por dia. Clique aqui e veja a lista atualizada.

Média salarial por indústria e região no Canadá

O site Statistics Canada atualizou o relatório com as médias salariais no país. De acordo com o último documento divulgado, a média salarial geral é de CAD$ 952 por semana, ou seja, menos de CAD$ 50.000 por ano. Já a média por província varia muito, sendo New Brunswick a província com a média mais baixa ($44.044) e Northwest Territories a mais alta ($73.221). Veja abaixo a média salarial anual por província:

  • Newfoundland and Labrador – $52,572
  • New Brunswick – $44,044
  • Nova Scotia – $44,326
  • Prince Edward Island – $43,239
  • Quebec – $46,114
  • Ontario – $50,589
  • Manitoba – $46,363
  • Saskatchewan –$51,057
  • Alberta – $58,133
  • British Columbia – $47,914
  • Yukon – $54,367
  • Northwest Territories – $73,221
  • Nunavut – $65,403

Se comparado com os relatórios referentes ao ano de 2015, de uma maneira geral, a média salarial no país aumentou em 0,4%. O maior aumento foi registrado na área financeira: 7,4%. As áreas relacionadas à cultura ficaram em segundo lugar, com um aumento médio salarial de 5,8%. Confira abaixo a média salarial por setor no país:

  • Mining, quarrying, and oil and gas extraction – $107,065
  • Utilities – $89,955
  • Construction – $62,461
  • Manufacturing – $56,446
  • Retail – $29,398
  • Transportation and warehousing – $52,383
  • Information and cultural industries – $66,309
  • Finance and insurance – $65,348
  • Real estate and rental and leasing – $48,887
  • Professional, scientific and technical services – $69,032
  • Educational services – $53,109
  • Health care and social assistance – $44,949
  • Arts, entertainment, and recreation – $30,396
  • Accommodation and food services – $19,430
  • Public administration – $63,894

Medicamentos no Canadá

Quando ainda estamos no Brasil, não sabemos muito bem como funcionam certas coisas no Canadá. Uma dúvida frequente é quanto à compra de remédios. Sempre vemos pessoas perguntando em nossos grupos no Facebook se é possível comprar certos medicamentos sem prescrição e quais devem ser comprados para alguns probleminhas rotineiros como alergias, dores de cabeça, gripes etc.

Por isso, nós da 3RA Intercâmbio decidimos elaborar esse texto mostrando quais remédios você consegue comprar sem a receita em terras canadenses e também quais medicamentos são comuns por aqui para tratar alguns sintomas mais simples. Porém, é importante lembrar que você sempre precisa consultar o seu médico antes de tomar qualquer medicamento.

Os medicamentos que são vendidos sem receita são encontrados com facilidade não apenas em farmácias como a Shoppers Drug Market e a London Drugs, mas também em lojas de conveniência e até supermercados. Normalmente, eles são remédios para alergia, para gripe, para febre, xarope para tosse, analgésicos, vitaminas, digestivos, colírios, descongestionante nasal e pomadas antiinflamatórias ou para herpes.

Para todos os outros medicamentos você precisará de uma receita médica. Desta forma, será necessário se consultar primeiro e, em seguida, levar a prescrição para o farmacêutico, que irá lhe vender a quantidade certinha prescrita pelo médico. Até os anticoncepcionais precisam de prescrição médica. (Clique aqui e veja as nossas dicas sobre este tipo de medicação)

Veja abaixo apenas algumas sugestões de medicamentos comuns no Canadá e que são vendidos sem prescrição médica:

-Alergia

Sugestão de medicamento: Allegra ou Claritin

-Gripe

Sugestão de medicamento: Advil & Cold Sinus Liqui-Gels; Tylenol Cold;

-Febre

Sugestão de medicamento: Tylenol; Advil

-Tosse

Sugestão de medicamento: Buckley’s Complete Liquid

-Dor de cabeça/enxaqueca

Sugestão de medicamentos: Tylenol Ultra Relief;

-Descongestionante nasal

Sugestão de medicamentos: Drixoral Nasal Spray

-Machucados

Sugestão de medicamento: Polysporin (pomada)

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá

 

 

Salud en Canadá

Family doctor, Walk-in Clinic e Hospital: Você sabe a diferença entre eles?

Ao chegarem ao Canadá, muitas pessoas ficam perdidas e não sabem ao certo como usar o sistema de saúde. Nós já fizemos um texto explicando como e quem pode ter acesso ao plano de saúde do governo nas províncias de British Columbia, Ontario e Manitoba, mas ainda não tínhamos explicado as diferentes formas de procurar ajuda médica no país. Por exemplo, você sabe a diferença entre o family doctor, walk-in clinic e hospitais? Então veja abaixo:

*Lembramos que este texto foi baseado nas províncias de British Columbia e Ontario.

Family Doctor: No Canadá, as pessoas que têm acesso ao plano de saúde do governo canadense têm direito ao médico de família. Estes são profissionais que acompanham o paciente durante toda a vida. Eles irão fazer pedidos de exame e são responsáveis também por cuidados preventivos. O médico de família normalmente atende apenas os pacientes de sua lista e ele será o responsável também por encaminhar o paciente a um especialista quando for necessário. 

Walk-in Clinic: Como o próprio nome já diz, as walk-in clinics são clínicas que atendem ao público por ordem de chegada. Em outras palavras, elas são como se fossem um hospital menor para atender casos mais simples e não urgentes. Um machucado simples, uma gripe, dor de cabeça…Assim você consegue atendimento sem precisar ir até um hospital ou marcar horário com o family doctor.

Hospitais: Assim como no Brasil, em casos de urgência e emergência é preciso ir até o hospital. Por isso, é importante lembrar de apenas procurar os hospitais nestas situações ou quando você não tiver outra opção disponível (como walk-in clinics ou family doctors). Muitas pessoas vão aos hospitais para solucionar casos que poderiam ser resolvidos facilmente em walk-in clinics, por exemplo, e acabam comprometendo o atendimento dos hospitais. 

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá.

Você sabe quanto ganha um profissional da sua área no Canadá?

Ao começar a planejar a nova vida canadense, muitas pessoas têm a mesma dúvida: “Quanto ganha um profissional da minha área no Canadá?”. Todos querem saber não apenas qual será seu possível salário inicial – caso venha a atuar na mesma área do Brasil – mas também quais são as perspectivas para futuro.

Porém, na maioria das vezes, as pessoas não sabem onde procurar por esses dados e acabam ficando um pouco perdidas. Pensando nisso, nós decidimos listar aqui alguns dados importantes e, além disso, apresentar dois sites que contam com informações detalhadas sobre cada profissão e podem ser muito úteis para o seu planejamento.

O primeiro deles é o Statistics Canada. Para quem não conhece, o site é uma excelente fonte de busca e lá você consegue encontrar a média de salário por hora por campo de atuação em terras canadenses. São informações mais gerais e que já irão te dar uma ideia inicial. Veja na tabela abaixo os dados mais recentes:

Ocupações Média salarial por hora (em CAD)/Julho 2015 Média salarial por hora (em CAD/Julho 2016)
0 – Management occupations 39,23 42,28
1- Business, finance and administration occupations 25.06 25.53
2- Natural and applied sciences and related occupations 34.70 35.58
3- Health occupations 28.89 29.43
4 – Occupations in education, law and social, community and government services 30.39 31.75
5 – Occupations in art, culture, recreation and sport 21.71 20.61
6 – Sales and service occupations 16.60 16.35
7- Trades, transport and equipment operators and related occupations 25.06 25,21
8 – Natural resources, agriculture and related production occupations 21.43 20.24
9 – Occupations in manufacturing and utilities 21.06 21,59

Se você não sabe em qual ocupação a sua profissão se encaixa, é só procurar o código do NOC (National Occupational Classification) nos sites do governo. O NOC é um sistema nacional que classifica e descreve todas as ocupações no país. Neste site, por exemplo, você só precisa digitar o nome de sua profissão (em inglês) e verificar o código de quatro números que aparece na coluna da esquerda. O primeiro número será o de sua área de ocupação. Por exemplo: Para “journalists”, o código é o “5123” o que significa que a profissão se encaixa na área número 5 : “Occupations in art, culture, recreation and sport”. Caso prefira, você também pode verificar esta informação na listagem das profissões já separadas por ocupação. É só clicar aqui!

Job Bank

Agora, se você quer uma informação mais detalhada sobre o salário da sua profissão, levando em consideração a sua formação, província escolhida e até mesmo a cidade, o ideal é visitar o site “Job Bank”. A página conta com um sistema muito simples de busca, no qual você digita o nome da cidade, e ele imediatamente apresenta a lista das profissões junto com a média dos salários mais baixos, médios e altos de cada uma, te deixando bem informado sobre a realidade do mercado canadense. É possível verificar os salários em uma cidade específica, província e a média em todo o Canadá.  

Por exemplo, nós procuramos por “Human Resources Managers” em  Vancouver. A primeira coisa que fizemos foi digitar o nome da cidade na tela inicial. Em seguida, encontramos a profissão na listagem fornecida e, de cara, descobrimos que a média dos salários mais baixos é CAD $ 21 por hora, dos intermediários CAD $ 40,87 e dos mais altos, CAD $ 61,03. Ao clicar no nome dá profissão, o site também nos oferece a opção de descobrir os valores em cada região da província de British Columbia e em cada província do Canadá. Vale a pena conferir!

print2

 

 

Saúde pública no Canadá: Como funciona?

Muitas pessoas que desejam mudar de vez para o país da América do Norte ou até mesmo apenas estudar por um período mais longo, sempre têm dúvidas sobre saúde pública no Canadá. As perguntas são muitas: Com visto de estudante, vou ter acesso ao plano de saúde canadense? Precisarei pagar alguma coisa? O preço e as condições são as mesmas para todas as cidades do país?

A verdade é que as regras e condições da saúde pública no Canadá variam muito de acordo com a província. No entanto, na grande maioria delas, cidadãos do país, residentes permanentes e até residentes temporários que atendam a alguns critérios não precisam pagar para ter acesso ao sistema. 

Vale ressaltar que o sistema de saúde canadense é muito bom e, devido a isso, passar um dia em um hospital sem seguro de saúde, pode custar até CAD$3.000,00. Consequentemente, alguns vistos requerem comprovação de um contrato de plano de saúde durante a estadia no país.

Veja abaixo um resumão de como funciona a saúde pública no Canadá. Nós selecionamos as regiões mais procuradas pelos nossos clientes:

Saúde pública no Canadá – British Columbia

É obrigatório por lei à todas as pessoas que vão morar no Estado de British Columbia por mais de seis meses, se inscrever no plano de saúde do governo. Em British Columbia, o plano do governo é o MSP (Medical Services Plan). Tem direito à cobertura:

  • Cidadãos canadenses
  • Residentes permanentes
  • Refugiados assistidos pelo governo
  • Estudantes internacionais com permissão de estudos válida por seis meses ou mais
  • Trabalhadores temporários com autorização de trabalho válida por seis meses ou mais

Turistas não têm direito ao plano. No site oficial do governo é possível ter acesso a todos os critérios de elegibilidade do MSP. O plano cobre grande parte dos gastos com saúde, médicos, exames e tratamentos. Então se a pessoa ficar doente e precisar tomar antibióticos, por exemplo, ela pode ir em uma walk-in clinic e se consultar com um médico, sem marcar horário e já sair com a prescrição médica, sem precisar pagar mais nada.

Desde 1o de Janeiro de 2020, o MSP se tornou gratuito para cidadãos canadenses, residentes, refugiados assistidos pelo governo e para os portadores do visto de trabalho. Turistas internacionais pagam CAD$75,00 mensais.

Dica importante: o ideal é se cadastrar no MSP assim que chegar em British Columbia. Depois da aplicação, pode levar até três meses para que você tenha acesso ao seu cartão. Por isso, sempre recomendamos aos nossos clientes a contratação de um seguro particular para este período inicial.

É importante lembrar ainda que o MSP não cobre exames físicos de rotina que não tenham finalidade médica. Alguns exemplos são aqueles realizados para certificados e testes de seguro de vida, carteira de motorista, escola, imigração ou emprego. O plano do governo também não cobre cirurgia plástica com finalidades estéticas, dentistas, oftalmologistas, aparelhos auditivos, remédios, psicólogos, fisioterapia, quiropraxia, massagem terapêutica, acupuntura, exames preventivos sem evidência clínica e ambulâncias.

Por isso, caso você queira cobertura para serviços como esses já citados, será necessário pagar particular. Uma outra opção é contratar uma extensão de sua cobertura por um valor extra. Muitas empresas também oferecem aos funcionários o benefício de um seguro saúde particular que conta com muitos dos serviços que não fazem parte do MSP.

Registro:

Para se registrar, você poderá fazer de forma online ou preencher o formulário disponível no site do MSP e enviar para o endereço abaixo junto com a cópia do seu passaporte, do seu visto de estudo (ou trabalho), e a cópia do papel recebido na imigração canadense.

Endereço:

Health Insurance BC
Medical Services Plan
PO Box 9678 Stn Prov Govt
Victoria BC V8W 9P7

Saúde pública no Canadá – Ontario

Em Ontario, o plano do Governo é o OHIP (Ontario Health Insurance Plan) e é totalmente gratuito. Porém, diferentemente de BC, nesta província os estudantes internacionais não têm direito ao benefício e, portanto, precisam contratar um seguro privado.

No entanto, caso o estudante esteja indo para Ontario acompanhado de seu cônjuge com visto de trabalho válido, a situação pode mudar. Trabalhadores estrangeiros com um emprego full-time têm direito a aplicar para o benefício para si próprio e para a família. Logo, após conseguir um emprego no Canadá, será exigido que o trabalhador comprove o vínculo de trabalho através de uma carta do empregador, afirmando que a empresa têm a intenção de manter o funcionário por, pelo menos, seis meses, além de documentos como passaporte ou identidade local e comprovante de residência.  No site oficial do OHIP é possível conferir em detalhes os critérios de elegibilidade da saúde pública em Ontario

É importante lembrar que assim como em BC, em Ontario o seu cartão também poderá demorar até três meses após a aplicação para chegar. Por isso, esteja preparado!

O OHIP cobre consultas médicas em geral, exames oftamológicos, emergências em hospitais e a maioria das cirurgias. O plano não cobre cirurgias estéticas e outros procedimentos médicos considerados não necessários.

Registro

Para se registrar, você precisará ir até o Service Ontario. Será necessário levar, além do formulário exigido, alguns documentos como:

  • Comprovante de residência
  • Documento de identidade
  • Documento que comprove seu status e elegibilidade

Veja em detalhes quais são esses documentos necessários para aplicar para o seu Health Card. Todos os documentos devem ser os originais. Cópias não serão aceitas.

Saúde pública no Canadá – Manitoba

Assim como na província de Ontario, em Manitoba o seguro saúde também é gratuito. Porém, desde o dia 01 de Setembro de 2018, o Manitoba Health, Seniors and Active Living (MHSAL) não é mais oferecido a estudantes internacionais, inclusive para seus cônjuges e filhos. 

Segundo o site oficial do governo, alguns estudantes internacionais, seus cônjuges e filhos ainda podem ser elegíveis caso estejam dentro de alguns outros critérios, como por exemplo, se o cônjuge ou o estudante possuir um work permit válido por pelo menos 12 meses. Nesses casos, é importante contatar o serviço de atendimento ao cliente do MSHAL para confirmar a elegibilidade. Informações de contato: Telefones – 204 786 7101 ou 1 800 392 1207/ E-mail [email protected]site do Governo de Manitoba também é uma excelente fonte de informação. 

Na época em que a província divulgou a notícia que estudantes não teriam mais direito ao benefício, eles preparam um documento bastante interessante de perguntas e respostas para ajudar no esclarecimento do assunto. Você pode ter acesso ao FAQ – International Students and Manitoba Health Services Insurance Plan aqui :)

É importante ressaltar que o plano não cobre, por exemplo, exames exigidos para carteira de motorista ou imigração, remédios, vacinas, fonoaudiologia, fisioterapia, odontologia, oftalmologia, exames para trabalho e psicólogos. No site oficial é possível encontrar mais detalhes sobre a cobertura do plano. 

Assim como nas outras províncias, o seguro de saúde em Manitoba começa a valer após três meses de residência no local. Por exemplo, se você chegou em 29 de abril, este mês conta como primeiro, maio e junho como os outros dois. Então, seu plano começaria a valer em 1º de julho.

Registro

Para se registrar, você precisará completar o formulário disponível no site do governo, separar a documentação exigida e encaminhar para o “Registration and Client Services Manitoba Health, Seniors and Active Living”, localizado na Carlton Street, número 300, em Winnipeg ou no “Bilingual Service Centre”, localizado na Goulet St., número 170, Main Floor, em Winnipeg. Se você é novo no Canadá, será preciso apresentar uma cópia de seu passaporte e de todos os documentos emitidos pelo departamento de imigração do Canadá (Citizenship and Immigration Canada). Será necessário também apresentar estes mesmos documentos de todos os seus dependentes.

Saúde Pública no Canadá – Quebec

O plano de saúde de Quebec é conhecido como Quebec Health Insurance Plan. Assim como em Ontario e Manitoba, ele é totalmente gratuito. Porém, na província, apenas estudantes internacionais de países que fazem parte do social security agreement têm direito a aplicar para o seguro. Infelizmente, o Brasil não está nesta lista. Veja os locais que fazem parte do acordo: Bélgica, Dinamarca, Finlândia, França, Grécia, Luxemburgo, Noruega, Portugal, Romênia e Suécia. Turistas também não tem direito ao plano. 

Caso você tenha interesse em saber mais sobre os critérios de elegibilidade do plano da província de Quebec, o site oficial conta com informações bem precisas e detalhadas. Dependendo da duração da estadia e do documento emitido pelo departamento de imigração, trabalhadores temporários, por exemplo, podem ter acesso ao benefício.

No site também é possível ver um passo a passo de como se registrar para o Quebec Health Insurance Plan. 

 

Veja dicas para quem quer alugar um imóvel em Vancouver

Uma das maiores preocupações de quem chega a Vancouver é encontrar um local para morar. Muitas pessoas ficam inseguras principalmente por não saberem qual tipo de moradia é a ideal para o seu perfil, quais documentos serão exigidos na hora de fechar o contrato e em qual região da cidade devem morar. Pensando nisso, nós conversamos com o Fábio Bueno, proprietário da Easy Vancouver – empresa que auxilia brasileiros a alugar imóveis na cidade.

De acordo com Fábio, uma das dicas mais importantes é nunca alugar apartamento à distância. Sabemos que a ansiedade por conta da mudança de país é grande e que a vontade de resolver tudo ainda do Brasil também é imensa. Porém, você ainda não conhece a cidade e fechar algo de longe pode ser um grande risco.

“Eu sempre pergunto às minhas clientes: ‘Você deixa seu marido escolher sua roupa?’. Então porque deixaria alguém escolher o apartamento onde você irá morar por pelo menos um ano?”, disse Fábio. Segundo ele, o ideal é primeiramente encontrar uma residência temporária ou um hotel para ficar por alguns dias. “É um pequeno investimento que vale a pena. Além disso, minimiza muito a chance de cair em algum golpe”, destacou.

Já em Vancouver, você poderá conhecer de perto todos os tipos de moradia que a cidade tem para oferecer: são apartamentos, casas, basements e townhouses. Para quem não conhece todos os termos, o basement é como se fosse o porão da casa. Normalmente fica abaixo do nível da rua e conta com entrada separada, quartos, cozinha e banheiro – como se fosse um apartamento separado. Já as townhouses são como os sobradinhos do Brasil, mas com mais andares e apartamentos individuais. É importante visitar todas as opções, avaliar os preços e a localização. Estando na cidade você poderá ver a distância para a sua escola ou local de trabalho e ainda poderá pesquisar se o Skytrain é de fácil acesso e as linhas de ônibus que passam pela região. Porém, assim que gostar de algum imóvel, não pense por muito tempo. Seja ágil.  “O mercado em Vancouver é muito aquecido e se você demorar a tomar uma decisão, a chance de perder o imóvel é grande”, falou.

Para aqueles que estão preocupados com o processo do aluguel, uma notícia boa: Segundo Fábio, tudo é muito mais rápido e nada burocrático. “A avaliação é baseada no histórico de crédito no Canadá e em referências pessoais. Como os recém-chegados não possuem histórico de crédito ainda, nós preparamos uma aplicação forte para que o locador fique tranquilo em relação à capacidade do cliente de assumir o contrato de locação”. Normalmente, para a sua aplicação você precisará de documentos como passaporte com visto válido, permissão de trabalho e/ou estudos e comprovação de renda (você pode mostrar seu contra-cheque do trabalho – caso já esteja empregado – e cópias da conta corrente). É importante lembrar que aqui no Canadá, ao fechar o contrato de locação, será exigido de você um depósito de segurança que normalmente tem o valor de metade do aluguel e ficará retido até o dia que você deixar o apartamento.

No caso de basements, o processo costuma ser mais fácil, já que você irá lidar diretamente com o dono da casa e não com uma empresa. Nunca se esqueça de sempre pedir o recibo do depósito e do pagamento dos aluguéis.

Quanto as melhores regiões para se morar em Vancouver, Fábio explica que depende muito do perfil do interessado. “Não existe melhor bairro ou cidade para morar. Existe a região que mais se adequa ao cliente. Neste caso é preciso avaliar as preferências pessoais, o orçamento, as restrições, o estilo de vida… Porém, de uma maneira geral, as famílias preferem apartamentos em prédios baixos e regiões com boas escolas e os jovens solteiros preferem apartamentos próximos à Downtown ou basements em regiões de fácil acesso ao Centro”, destacou.

É importante lembrar também que em Vancouver os contratos de aluguel geralmente são de no mínimo seis meses e normalmente inclui alguns gastos como aquecimento, água e a taxa de manutenção do condomínio. Nos basements, por exemplo, até internet e eletricidade costumam ser inclusas. Por isso, antes de fechar o contrato, pergunte tudo ao landlord para evitar problemas no futuro.

Clique aqui para conferir os preços médios de aluguel em Vancouver

É possível viver com o salário mínimo no Canadá?

O assunto “custo de vida no Canadá” é sempre um dos primeiros no ranking de perguntas dos nossos clientes e, por isso, nós estamos sempre voltando neste tema e buscando uma forma de passar os dados o mais perto possível da realidade. Nós já organizamos, por exemplo, um hangout online com clientes de Toronto, Vancouver e Winnipeg para comparar os gastos em cada uma dessas cidades e também já fizemos um texto bem detalhado sobre o assunto. Desta vez, nós decidimos contar com a ajuda dos nossos parceiros do canal “Mais ao Norte” para responder uma dúvida frequente: É possível viver com o salário mínimo no Canadá?

Os meninos do “Mais ao Norte”, Vitor Cruz e Felipe Reinecke, moram em Vancouver, na província de British Columbia, onde o salário mínimo atualmente é CAD$ 10,45 por hora. Em setembro deste ano, o valor passará para CAD$ 10,85.  Veja abaixo a média de gastos deles e, ao final, tire suas próprias conclusões. Fique atento também aos nossos comentários, pois os gastos podem variar muito de acordo com o seu estilo de vida.

Aluguel:

O Vitor e o Felipe não vivem no Centro da cidade, mas sim em Burnaby, que fica a mais ou menos 30 minutos de distância de downtown, o que reduz um pouco o custo dos meninos com aluguel. Atualmente eles pagam CAD$ 900 por mês. Segundo Felipe, para eles, esse valor é bem barato para a região de Vancouver. “É um prédio mais velho, sem muita estrutura…então a gente paga bem barato. Normalmente, na área de Vancouver, em um apartamento de um quarto, as pessoas pagam de CAD $ 1300 a CAD $ 1500”, completou Vitor.

Comentários 3RA: O valor do aluguel dos meninos é realmente bem barato. No entanto, se você está procurando por opções mais em conta ainda e não liga de dividir apartamento com mais gente, certamente você conseguirá economizar mais um pouquinho. Também há a possibilidade de morar em um basement, que é tipo o “porão” das casas e costuma ter um precinho bem legal. A homestay também é uma outra opção. Normalmente ela custa entre CAD $ 700 e CAD $ 800 por pessoa, mas geralmente já inclui cerca de três refeições diárias.

Plano de Saúde  

O Vitor e o Felipe pagam o MSP – que é o plano de saúde da província de British Columbia e sai a CAD $ 136 para duas pessoas.

Comentários 3RA: Para uma pessoa, o MSP custa CAD$ 75. Porém, este benefício só é válido para quem vai ficar mais de seis meses na província. Caso este não seja o seu caso, há sempre planos particulares que não saem muito mais caro. O da 3RA, por exemplo, custa CAD$2,20 o dia, totalizando menos de CAD$ 70 por mês. Lembrando que se você estiver indo para Manitoba ou Alberta não precisará se preocupar com este gasto, já que nesses lugares a saúde pública é gratuita. Já em Ontário, estudante internacional não tem acesso ao sistema de saúde do governo e será preciso contar com o particular.

Supermercado

Segundo Vitor, eles procuram sempre fazer compras em um dos supermercados mais baratos da cidade, o Real Canadian Superstore e usam e abusam da marca “No name”, que geralmente custam bem menos do que as outras marcas. “Ela é boa, bonita e barata”, brincou. De acordo com os meninos, os gastos giram em torno de CAD$ 400 por mês.

Comentários 3RA: Nós concordamos com os meninos e sabemos que as diferenças podem ser exorbitantes entre um supermercado e outro. Por isso, para economizar nas compras, você precisa saber onde ir e quais marcas comprar. Então, consulte a nossa lista dos cinco mercados mais baratos de Vancouver.

Transporte

Os meninos gastam transporte apenas para uma pessoa. “Como eu faço College, o meu transporte está incluído no preço que pago para a instituição”, explicou Vitor. O passe mensal que o Felipe compra é para a Zona 2, no valor de CAD$ 124.

Comentários 3RA: Lembrando que no sistema de transporte público de Vancouver a cidade é dividida em zonas. Se você morar na Zona 1, irá pagar CAD $91 no passe mensal. Já as zonas 2 e 3 – mais distantes do centro – os valores são CAD$ 124 e CAD$ 170 respectivamente.  Clique aqui para entender melhor como funciona o transporte em Vancouver.

Eletricidade

“Não se choquem, brasileiros!”, brincou Vitor. Eles gastam apenas CAD $ 30. “Nosso aquecimento ainda é feito com água, que não é paga aqui no prédio. Aliás, muitos prédios aqui em Vancouver não cobram água”, completou Vitor.

Internet

Vitor e Felipe gastam CAD $ 50 de internet.

Comentários 3RA: As opções são muitas e há promoções que incluem ainda TV a cabo e preços muito bons para estudantes.

Celular

Os meninos gastam cerca de CAD $ 100, sendo CAD $ 50 para cada. “Nós botamos um plano razoável e com uma internet boa”, disse.

Comentários 3RA: É possível economizar um pouquinho com telefone. Algumas empresas como a Wind e a Mobilicity, por exemplo, oferecem planos de apenas CAD$ 35.

Lavanderia

“Na maioria dos prédios, você não terá máquina de lavar e secar dentro do apartamento. Então você vai precisar usar a máquina do condomínio e que normalmente é paga. Nós gastamos CAD$ 15 por mês”.

Extras

“Nós colocamos CAD$ 300 para os extras. Extras são aqueles gastos que você não está imaginando e que sempre acontece. Aqui colocamos também entretenimento. Mas nosso lazer é praticamente ir ao cinema e restaurantes que não são caros”, falou. Eles também gastam CAD$ 10 com Netflix.

Comentários 3RA: O lazer vai depender muito do seu estilo de vida. O Vitor e o Felipe, por exemplo, não bebem. Caso você goste de ir a bares e baladas ou viajar muito, por exemplo, seus gastos serão bem maiores.

Total de gastos Mais ao Norte: CAD $ 2.069 mensais, CAD$ 1034,50 por pessoa.

Como falamos anteriormente, o salário mínimo em British Columbia é CAD$ 10,45 por hora. Trabalhando full-time, ou seja, 40 horas na semana, o salário mensal seria CAD $ 1.672. Porém, há ainda os impostos que são descontados de seu salário, o que reduz um pouco esse valor. É importante lembrar também que caso você esteja estudando, só poderá trabalhar CAD $ 20h por semana, reduzindo este valor total pela metade: CAD$ 836 (sem descontos!). Logo, dependendo do seu estilo de vida, você pode tirar suas próprias conclusões.

Assista ao vídeo na íntegra:

 

 

 

Como sair do aeroporto de Vancouver utilizando o transporte público

Contratar um transfer ou até mesmo pegar um táxi podem parecer opções mais seguras e confortáveis para deixar o YVR Airport e chegar até o Centro de Vancouver após uma longa viagem de avião. Porém, estas são alternativas mais caras e muitas vezes as pessoas optam por elas apenas por não saberem como usar o transporte público da cidade. Por isso, para que você não gaste mais do que o necessário, nós preparamos esse texto explicando como sair do aeroporto usando o transporte público.

**Clique aqui para saber como sair do aeroporto de Toronto utilizando o transporte público

Para quem não sabe, o Aeroporto Internacional de Vancouver está a cerca de 12 km de downtown, no município de Richmond, e é possível chegar ao Centro tranquilamente de metrô pela linha Canada Line. A viagem tem cerca de 25 minutos de duração.

Como o aeroporto fica localizado na zona 2 (Clique aqui e entenda melhor o sistema de transporte de Vancouver), a tarifa tem valor de $ 4.10 (exceto de segunda a sexta após às 6h30pm, sábados, domingos e feriados, quando o valor pago será de apenas uma zona: CAD $ 2,85). O seu ticket deverá ser adquirido nas máquinas disponíveis nas estações. Elas aceitam moedas, notas de até CAD $ 20, cartões de débito e crédito.

Como ter acesso aos trens?

Para quem embarcou em outra cidade canadense

Se o seu avião fez escala em Toronto, por exemplo, você precisará pegar as suas malas no segundo andar e, em seguida, ir até o terceiro andar e caminhar em direção ao Link Building (que fica entre o terminal Internacional e o Doméstico). Depois disso, basta seguir a sinalização apontando a Canada Line.

Para quem embarcou em outro país

Se você fez escala nos Estados Unidos, por exemplo, ou veio direto de outro país, o caminho é um pouquinho diferente: Depois de passar pela imigração canadense, é só caminhar em direção a saída do departamento de chegadas. Saindo do prédio, você irá encontrar com facilidade várias placas apontando a direção da Canada Line. Antes da entrada do estacionamento, haverá escadas e elevadores que irão te levar até a plataforma dos trens.

Após pegar o metrô, você deverá desembarcar na Waterfront Station e, de lá, você terá acesso às linhas de Skytrain, trem, Seabus e ônibus. O seu ticket vale por até uma hora e meia após a compra. Ou seja, dentro deste período, você não precisará comprar outro mesmo que troque de meio de transporte.

Dica: Caso você chegue ao aeroporto em grupo, é interessante avaliar as outras opções disponíveis. Um táxi do aeroporto até downtown deverá ficar em torno de CAD$ 30 a CAD $ 40, tornando este um meio de transporte mais vantajoso quando se está em três ou quatro pessoas.

Clique aqui para estudar e trabalhar em Vancouver

Cinco supermercados para fazer compras e economizar em Toronto

Toronto é uma cidade muito grande e que conta com inúmeras opções de supermercados. Com isso, muitas pessoas que acabaram de chegar ao país não sabem exatamente quais são os locais mais baratos e acabam gastando mais do que o necessário por irem ao local errado. Pensando nisso, nós da 3RA Intercâmbio resolvemos preparar um guia com os cinco supermercados mais baratos da cidade. Confira:

**Clique aqui para ter acesso a lista dos cinco supermercados mais baratos de Vancouver

1)FreshCo:
O FreshCo é um dos supermercados mais baratos de Toronto e o mais legal é que ele geralmente conta com uma boa seção de produtos internacionais na qual é possível encontrar várias comidas brasileiras para matar um pouquinho da saudade. Ele também conta com uma marca própria, a Compliments.

2)Valu-Mart
O Valu-Mart também está entre os supermercados mais baratos de Toronto. As lojas costumam ser um pouco menores dos que as das outras redes, mas lá é possível encontrar produtos da marca President’s Choice, que são muito bons e possuem preços acessíveis.

3) No Frills
Nós já falamos do No Frills no texto que fizemos sobre os supermercados mais baratos de Vancouver e em Toronto não é diferente: Ele continua sendo o queridinho dos brasileiros, principalmente por conta da marca própria – a “No Name” – que tem um precinho bem em conta e tem produtos de boa qualidade.

4) Walmart
O Walmart também é um dos supermecados mais famosos entre os brasileiros. A principal característica dele é vender de tudo um pouco – desde alimentos até produtos de beleza, roupas e coisas para a casa. Assim como o No Frills e o FreshCo, o WalMart tem sua própria marca, a Great Value.

5) Costco
Assim como em Vancouver, o Costco é uma ótima opção para quem quer comprar produtos em grandes quantidades por um precinho camarada. Assim como no Walmart, no Costco você vai encontrar um pouco de tudo: além de alimentos, frutas e verduras, produtos de beleza, roupas, eletrônicos e até móveis. O local também conta com a própria marca, a Kirkland. Para comprar no Costco você precisa ter o cartão do estabelecimento, que é adquirido após o pagamento de uma taxa anual de CAD$ 55.

Outros supermercados de Toronto:
-Metro
-Sobeys
-Loblaws
-Real Canadian Superstore
-Longo’s

Clique aqui para saber como fazer um intercâmbio em Toronto