Posts

Confira o depoimento de Luiza Cabadas, aluna full-time da BCIT

Arrumar as malas e partir para um novo país. Esse é o sonho de muita gente, principalmente quando falamos de Canadá. No entanto, essa grande mudança gera também muitos desafios e, por várias vezes, o nervosismo e a ansiedade podem tomar conta daqueles que optam por este novo caminho. Por isso é sempre bom ler história de pessoas que driblaram o medo e a insegurança e estão conquistando cada vez mais o seu lugar aqui na América do Norte. E desta vez nós da 3RA Intercâmbio convidamos a cliente Luiza Cabadas, de 34 anos, para dividir conosco suas experiências.

luizaLuiza Cabadas chegou a Vancouver em Setembro de 2015. Quase um ano e meio depois, ela, que era advogada no Brasil e estava há dez anos longe dos bancos acadêmicos, vem construindo uma história de sucesso no British Columbia Institute of Technology (BCIT), onde estuda Business Operations Management na modalidade full-time. “Cheguei ao Canadá com o meu marido. Eu sempre quis estudar fora e conhecer outras culturas. Como na época da decisão eu estava trabalhando com Projetos, decidi que seria uma boa hora de buscar conhecimento na área de Business”, revelou.

Atualmente Luiza trabalha na empresa Hansen Industries, que conta com um concorrido programa de estágio. “Consegui o tão disputado estágio de verão e trabalhei na organização do estoque de materiais, implementando conceitos de mapeamento de processos, desenvolvimento de manual de procedimentos e treinamento de funcionários. Continuo na empresa, mas agora atuo em outra área, na migração de dados do sistema de ERP (Enterprise Resource Planning) e desenvolvimento de treinamentos”, explicou.

De acordo com ela, a BCIT a preparou muito bem para o mercado de trabalho. “Além de ser uma instituição altamente renomada e reconhecida no Canadá, ela é extremamente inspiradora. Os professores são profissionais da área e realmente ensinam a teoria, a prática e treinam os estudantes para atingir uma ótima performance no mercado de trabalho. O fato de vários cursos oferecerem a oportunidade de realizar um projeto real em empresas canadenses também agrega valor ao currículo. Com toda certeza a BCIT é um divisor de águas na minha carreira”, destacou.

Porém, segundo Luiza, é preciso muita dedicação para atingir seus objetivos na instituição. “Business era um novo mundo para mim, e digamos que relembrar álgebra e aprender ‘de cara’ matemática financeira em inglês inicialmente foi um desafio. Mesmo que você tenha um inglês avançado, há uma curva de aprendizado para o ouvido, o cérebro e a boca entrarem em sintonia. Mas com o tempo todos conseguem! O conceito de College não existe no Brasil: é um curso muito profundo, concentrado em práticas, e a BCIT tem um nível bem difícil e requer bastante estudo – horas e horas – para obter sucesso”, explicou.

Para quem estuda ou vai estudar na BCIT – seja tanto na modalidade full-time quanto na part-time – Luiza dá algumas dicas: “Organize bem o seu tempo. Não deixa a matéria acumular. Estude constantemente, pois você terá assignments, quizzes e midterms simultaneamente. Além disso, aprenda a trabalhar em grupo. A maioria dos trabalhos são em times. Essa é uma forma da BCIT preparar o estudante para  lidar com a diversidade e conflitos”, finalizou.

Vice-presidente da BCITSA

img_0548Atualmente Luiza Cabadas está concorrendo ao cargo de Vice Presidente Externo da BCIT Student Association (BCITSA). As eleições começam nesta segunda-feira, dia 6 de fevereiro, e seguem até a quarta-feira, dia 8 de Fevereiro, às 2pm.

Caso eleita, Luiza terá como responsabilidade buscar benefícios para os estudantes junto aos órgãos externos. “Já participo do conselho e sou bastante atuante. Entre as minhas propostas estão trazer mais benefícios para os estudantes – como fazer parcerias com academias externas e creches com descontos para os alunos -, buscar uma maior flexibilidade no horário de funcionamento dos restaurantes da BCIT e extensão de benefícios para alunos part-time”, destacou.

Se você é estudante da BCIT e deseja votar em Luiza, basta apenas garantir sua participação através do my.bcit.ca. Clique aqui para votar.

Primeiro emprego: Veja quais são os mais comuns por área de estudo no Canadá

Muitos brasileiros chegam ao Canadá todos os anos para fazer cursos de ensino superior. Porém, por se tratar de um país diferente com uma realidade totalmente nova, muitos deles ficam sem saber qual tipo de emprego estará disponível após a graduação.

Pensando nisso, nós decidimos publicar aqui em nosso blog uma pesquisa desenvolvida pelo site Workopolis – especialista em emprego e carreira no país – que revelou quais são os tipos de primeiro emprego mais comuns entre os recém formados de cada área. O levantamento utilizou como fonte os milhares de currículos do banco de dados da página.

Nós selecionamos as áreas mais comuns entre os nossos clientes. Caso você não encontre a sua formação por aqui, é só clicar neste link para ter acesso à pesquisa completa.

Veja abaixo os tipos de primeiro emprego mais comuns por área de formação no Canadá:

Accounting and Finance

1)Accountant

2) Financial Analyst

3) Accounting Clerk

4) Bookkeeper

5) Accounting Assistant

6) Financial Advisor

7) Manager

8) Analyst

9) Teaching Assistant

10) Auditor

Business Administration

1)Financial Analyst

2)Project Manager

3)Business Analyst

4)Manager

5)Consultant

6)Administrative Assistant

7)Account Manager

8)Sales Representative

9)Senior Financial Analyst

10)Accountant

Computer Science

1)Software Developer

2) Web Developer

3) Software Engineer

4) Business Analyst

5) Consultant

6) Project Manager

7) Research Assistant

8) Programmer Analyst

9) Application Developer

10) Quality Assurance Analyst

Marketing

1)Marketing Coordinator

2)Account Manager

3)Marketing Manager

4)Marketing Assistant

5)Account Executive

6)Sales Associate

7)Project Manager

8)Assistant Manager

9)Marketing Consultant / Analyst

10)Product Manager

Saiba como estudar e trabalhar no Canadá

5 Dúvidas Frequentes sobre o PGWP

Atualmente, o Post Graduation Work Permit (PGWP) é um dos maiores aliados daqueles que desejam imigrar para o Canadá.

Para quem não sabe, o PGWP é uma permissão de trabalho de oito meses a três anos de duração que todo estudante internacional tem direito a aplicar após completar um curso de nível superior em uma instituição de ensino que cumpra os requisitos exigidos pela imigração. Nós já explicamos um pouco sobre o PGWP neste link. Porém, agora decidimos reunir aqui no blog as respostas para as 5 principais dúvidas de nossos clientes sobre o assunto. Veja abaixo:

**Lembramos que este texto é apenas um resumo e cada caso é diferente. Por isso, recomendamos sempre a contratação de uma empresa especialista em vistos e imigração. Para nossos clientes, recomendamos a nossa parceira Immi Canada: contact@immi-canada.com

1) Quando preciso aplicar para o PGWP?

Você tem até 180 dias após a conclusão de seu curso para aplicar para o PGWP e você precisa ter um status válido no Canadá, caso faça a aplicação dentro do país.

2) Como aplicar e quais documentos irei precisar?

Você poderá aplicar online no site oficial da imigração canadense ou pelo correio.

  • Será preciso enviar todos os formulários exigidos pela imigração;
  • a cópia do passaporte completo;
  • cópia da permissão de estudos;
  • cópia do diploma ou certificado da instituição canadense ou do histórico escolar ou uma carta oficial da instituição declarando o término do curso.

3) O meu cônjuge também terá direito a estender a permissão de trabalho junto com o meu PGWP?

Para que o cônjuge consiga estender a permissão de trabalho junto com o aplicante principal, o estudante, no momento da aplicação do PGWP, deverá ter um contrato simples de trabalho firmado com uma empresa, em uma vaga full-time, dentro dos NOCs 0, A ou B. Para quem não sabe, o NOC é um sistema nacional que classifica e descreve todas as ocupações no país. Neste link você consegue descobrir em qual NOC a sua posição de trabalho se encaixa.

4) Não consegui o contrato de trabalho. Como meu cônjuge poderá continuar no Canadá?

Neste caso, as opções são ou o cônjuge se matricular em uma instituição de ensino e estender sua estadia como estudante ou então apenas como turista. Porém, caso você consiga um contrato de trabalho depois, o seu cônjuge poderá aplicar novamente para a permissão de trabalho.

5) Todos os cursos dão direito ao estudante aplicar para o PGWP?

Não. Para ter direito a pedir pelo PGWP, o aluno deverá ter concluído um programa em uma faculdade pública de no mínimo oito meses de duração ou um programa de degree em faculdades particulares (no caso das privadas, não valem diplomas e certificados). Ainda existem uma série de outros requisitos que devem ser seguidos. Por isso, é sempre importante contar com uma agência especializada como a 3RA Intercâmbio. Assim você terá a garantia de que irá se matricular em uma instituição que lhe dará esse direito.

Para te ajudar ainda mais, o Governo Canadense liberou uma lista com todos os colleges que dão direito ao PGWP.  Seguindo os passos da tela,  você vai encontrar a província, o nome da instituição e se aquele college é elegível ao PGWP através das opções sim e não.

 

Outras informações sobre o PGWP podem ser obtidas no site oficial da imigração canadense.

Tudo o que você precisa saber sobre o BCIT part-time

O British Columbia Institute of Technology (BCIT) virou febre entre os brasileiros. E não é difícil entender o porquê disso: além de ser uma instituição muito bem conceituada em todo o Canadá, cerca de 90% dos alunos que concluem os cursos conseguem se inserir rapidamente no mercado de trabalho canadense. E entre as duas modalidades de programas oferecidas, uma delas tem ganhado a preferência dos estudantes internacionais: a part-time, que conta com cerca de 100 opções de cursos diferentes nas áreas de tecnologia, negócios, engenharia, artes, entre outras.

O programa BCIT part-time se diferencia principalmente pela carga horária. Ele possui uma rotina mais tranquila e flexível se comparada a dos cursos full-time da própria BCIT ou de outras instituições, o que facilita e muito a vida de quem precisa conciliar estudo e trabalho. Só para se ter uma ideia, enquanto nos cursos part-time o aluno vai ter uma carga horária aproximada de nove horas semanais, no full-time esse número pode chegar a até quase 30 horas na semana!

Além disso, os estudantes contam com muitas opções de horário para escolher, podendo montar a sua grade curricular da maneira que for melhor para eles. No full-time isso não acontece, já que o quadro de aulas é fechado. “O programa part-time foi idealizado justamente para as pessoas que já estão no mercado de trabalho e querem voltar para a faculdade para se atualizar. Por isso, há diferentes opções de horários e muitas aulas são oferecidas no período da noite”, explica o diretor educacional da 3RA, Francisco Zarro.

Outro ponto relevante é que por ser um programa com menos créditos, o valor investido é bem menor, sendo cerca de $ 4 mil dólares por termo (que responde por um período de 4 meses), praticamente metade do valor que seria investido em um curso full-time na mesma instituição.

O requerimento de inglês para ingresso neste tipo de programa também é outro ponto a favor. Por exemplo, é necessário tirar média 6.0 no IELTS , enquanto nos outros colleges públicos de Vancouver, a nota é 6.5. Além disso, o processo de matrícula é bem menos burocrático.

BCIT part-time: Permissão de trabalho

Para garantir a permissão de trabalho de 20 horas semanais e o direito de aplicar para o Post-Graduation Work Permit (PGWP) após a conclusão dos estudos, é necessário cumprir alguns requisitos. Veja abaixo:

  • O aluno precisará manter a denominada “equivalência full-time”, que no BCIT significa estar matriculado em pelo menos três matérias presenciais  que somadas deem no mínimo nove créditos em todos os termos do ano, ou seja Janeiro, Abril e Setembro. Se você optar por tirar férias e não se matricular em um desses termos, você não poderá trabalhar neste período e isso também pode ter algum impacto no futuro quando você solicitar o seu PGWP. A única exceção é o último termo, quando o estudante poderá cursar apenas o número de matérias necessárias para a conclusão do curso, mesmo que seja apenas uma, por exemplo.
  • Outra questão são as disciplinas online. Para que a imigração lhe considere um aluno full-time, a disciplina precisa ser presencial. As matérias online não entram neste critério. Isso significa que se uma de suas três disciplinas do termo for oferecida apenas online, você precisará se matricular em mais uma para manter a equivalência. Já no último termo você poderá fazer matéria online caso esteja disponível.

FAQ BCIT Part-time: Confira as respostas para as dúvidas mais frequentes de nossos clientes 

1) Preciso comprovar meu nível de inglês para entrar em um programa BCIT part-time? 

Sim. A partir de setembro de 2019, todos os alunos que se matricularem em um programa da Escola de Business precisarão atingir o nível de proficiência de inglês estipulado pela instituição.

2) Uma das matérias que quero fazer só está sendo disponibilizada online. Ela conta para que eu mantenha a minha equivalência full-time?

Não. Como já citado anteriormente, para que você mantenha a sua equivalência full-time, você precisa estar matriculado em três matérias PRESENCIAIS que juntas somam no mínimo nove créditos. Caso você queira fazer uma matéria online, ainda assim precisará se matricular em outras três presenciais de no mínimo três créditos cada, e não em apenas duas. Já no último termo o aluno está liberado para fazer matéria online se estiver disponível.

3) O que acontece se eu não me matricular em três matérias e nove créditos em algum dos termos?

Para manter a equivalência full-time e como consequência ter direito à permissão de trabalho de 20 horas semanais e à aplicar para o Post Graduation Work Permit (PGWP), o aluno internacional precisa estar matriculado em três matérias que juntas somem no mínimo nove créditos, com exceção do último termo. Caso você não faça isso, não poderá trabalhar e poderá ter complicações no momento em que for pedir o seu PGWP.

4) O que é preciso para me matricular em algum dos cursos da BCIT part-time?

Para se matricular, você precisará pagar a taxa de matrícula, no valor de CAD 154. Além disso, precisará apresentar a cópia do passaporte, a comprovação de seu status no Canadá, além do histórico escolar da instituição de ensino cursada anteriormente – para aqueles que já estão com a permissão de estudos. Também pode ser solicitado o comprovação do seguro de saúde (privado ou MSP). Em alguns casos, serão pedidas também comprovações de alguns pré-requisitos, dependendo do programa ou da matéria escolhida pelo aluno.

5) Quando são abertas as matrículas do BCIT part-time e como eu posso realizar o pagamento?

A BCIT conta com três termos durante o ano, com inícios em janeiro, abril e setembro. Para o termo de janeiro, as matrículas abrem no final de outubro. Para o de abril, o estudante poderá se matricular a partir de fevereiro. Já para as aulas com início marcado para setembro, as matrículas são abertas normalmente no final de maio.

O pagamento dos cursos escolhidos deve ser realizado no ato da matrícula e o estudante poderá pagar via transferência online (mas apenas de instituições financeiras canadenses) ou pessoalmente no campus da BCIT (dinheiro, cartão de débito, cheque, money order). Caso o seu dinheiro ainda esteja no Brasil, você poderá pagar usando o sistema de transferência da 3RA Intercâmbio, que conta com o câmbio mais baixo do mercado e IOF de apenas 0,38%.

6) Estou no Brasil. Posso me matricular em um dos programas BCIT part-time?

Não. Para se matricular em um dos programas part-time da BCIT, você precisa estar no Canadá e com status regular. Se você ainda está no Brasil, procure a equipe da 3RA Intercâmbio. Nós temos várias outras opções para você.

7) Se eu me matricular em um curso do BCIT part-time, meu cônjuge terá direito a aplicar para o visto aberto de trabalho?

Sim. Os cursos part-time da BCIT dão direito à aplicação do visto aberto de trabalho para o cônjuge.

Saiba quais são as 100 “top occupations” em British Columbia

Como já abordamos em outros textos aqui do blog, o site WorkBC é uma excelente fonte de informações sobre o mercado de trabalho na província de British Columbia. Lá você vai encontrar várias dicas úteis que vão desde oportunidades de emprego até dados sobre economia e indústria. E uma dessas informações interessantes é a lista das 100 top occupations da província.

De acordo com o site, a lista é baseada em uma projeção de abertura de vagas até 2025, levando em consideração o crescimento da economia e a taxa de aposentadoria; o crescimento da taxa de empregabilidade; e alguns indicadores do mercado de trabalho como taxas de desemprego e utilização do seguro de emprego.

Para saber se a sua profissão está na lista das “top occupations” você só precisa acessar o seguinte link: https://www.workbc.ca/Labour-Market-Information/Jobs-in-Demand.aspx

Lá você vai encontrar as 20 profissões mais promissoras que necessitam de um diploma de bacharelado, graduação ou diploma profissional e/ou uma significante experiência de trabalho, as 24 top occupations que necessitam de diploma de bacharelado, graduação ou diploma profissional, as 45 profissões com mais oportunidade que precisam de diploma ou certificado e as 11 top occupations que requerem apenas o diploma do ensino médio e/ou treinamento específico .

Se a sua profissão estiver em alguma das listas e você quiser saber mais dados sobre ela, basta clicar no nome de sua ocupação para ver o perfil completo. Por exemplo: “Restaurant and food service managers” está na lista. Clicando na profissão, um gráfico irá abrir indicando fatores como média salarial, estabilidade, entre outros. Você também vai encontrar uma lista das funções do cargo, várias estatísticas sobre os trabalhadores da área, lista das habilidades necessárias, taxa de empregabilidade por região da província, descrição de um dia de trabalho, entre outros.
trabalho-2

 

Interessante, não é mesmo? E além de tudo isso, você consegue saber o histórico da sua profissão, ou seja, se ela sempre esteve na lista e se corre riscos de sair dela. As profissões são divididas por cores e agrupadas em três grupos: Core List, que conta com 85 ocupações que já estavam presentes no último relatório e continuam sendo grandes oportunidades para a década de 2015-2025; Trending Up, que atualmente tem apenas quatro profissões que antes não apareciam na lista, mas foram adicionadas já que demonstraram um crescimento nas oportunidades para esta década; e, por último, Trending Down, que é um grupo composto por 11 dessas profissões que estão demonstrando menos oportunidades e serão acompanhadas com o tempo. Se o números de oportunidades continuar a cair, elas podem ser removidas do TOP 100 no futuro.

Está esperando o que? Corra lá e confira se a sua profissão está na lista ;)

Você sabe quanto ganha um profissional da sua área no Canadá?

Ao começar a planejar a nova vida canadense, muitas pessoas têm a mesma dúvida: “Quanto ganha um profissional da minha área no Canadá?”. Todos querem saber não apenas qual será seu possível salário inicial – caso venha a atuar na mesma área do Brasil – mas também quais são as perspectivas para futuro.

Porém, na maioria das vezes, as pessoas não sabem onde procurar por esses dados e acabam ficando um pouco perdidas. Pensando nisso, nós decidimos listar aqui alguns dados importantes e, além disso, apresentar dois sites que contam com informações detalhadas sobre cada profissão e podem ser muito úteis para o seu planejamento.

O primeiro deles é o Statistics Canada. Para quem não conhece, o site é uma excelente fonte de busca e lá você consegue encontrar a média de salário por hora por campo de atuação em terras canadenses. São informações mais gerais e que já irão te dar uma ideia inicial. Veja na tabela abaixo os dados mais recentes:

Ocupações Média salarial por hora (em CAD)/Julho 2015 Média salarial por hora (em CAD/Julho 2016)
0 – Management occupations 39,23 42,28
1- Business, finance and administration occupations 25.06 25.53
2- Natural and applied sciences and related occupations 34.70 35.58
3- Health occupations 28.89 29.43
4 – Occupations in education, law and social, community and government services 30.39 31.75
5 – Occupations in art, culture, recreation and sport 21.71 20.61
6 – Sales and service occupations 16.60 16.35
7- Trades, transport and equipment operators and related occupations 25.06 25,21
8 – Natural resources, agriculture and related production occupations 21.43 20.24
9 – Occupations in manufacturing and utilities 21.06 21,59

Se você não sabe em qual ocupação a sua profissão se encaixa, é só procurar o código do NOC (National Occupational Classification) nos sites do governo. O NOC é um sistema nacional que classifica e descreve todas as ocupações no país. Neste site, por exemplo, você só precisa digitar o nome de sua profissão (em inglês) e verificar o código de quatro números que aparece na coluna da esquerda. O primeiro número será o de sua área de ocupação. Por exemplo: Para “journalists”, o código é o “5123” o que significa que a profissão se encaixa na área número 5 : “Occupations in art, culture, recreation and sport”. Caso prefira, você também pode verificar esta informação na listagem das profissões já separadas por ocupação. É só clicar aqui!

Job Bank

Agora, se você quer uma informação mais detalhada sobre o salário da sua profissão, levando em consideração a sua formação, província escolhida e até mesmo a cidade, o ideal é visitar o site “Job Bank”. A página conta com um sistema muito simples de busca, no qual você digita o nome da cidade, e ele imediatamente apresenta a lista das profissões junto com a média dos salários mais baixos, médios e altos de cada uma, te deixando bem informado sobre a realidade do mercado canadense. É possível verificar os salários em uma cidade específica, província e a média em todo o Canadá.  

Por exemplo, nós procuramos por “Human Resources Managers” em  Vancouver. A primeira coisa que fizemos foi digitar o nome da cidade na tela inicial. Em seguida, encontramos a profissão na listagem fornecida e, de cara, descobrimos que a média dos salários mais baixos é CAD $ 21 por hora, dos intermediários CAD $ 40,87 e dos mais altos, CAD $ 61,03. Ao clicar no nome dá profissão, o site também nos oferece a opção de descobrir os valores em cada região da província de British Columbia e em cada província do Canadá. Vale a pena conferir!

print2

 

 

Estudiar en Canadá

Por que estudar no Canadá?

Atualmente, segundo o último levantamento realizado pelo The Canadian Bureau for International Education (CBIE), o número de estudantes internacionais no Canadá é de mais de 330 mil. Destes, cerca de 10 mil são brasileiros e a tendência é que esse número cresça cada vez mais, já que mais de 90% de todos os estudantes internacionais afirmam que estão satisfeitos com a experiência de estudar no Canadá e que recomendariam o país como destino para estudo.

E não é muito difícil entender o porquê disso. De acordo com a pesquisa mais recente do órgão, os estudantes apontaram três motivos principais que os fizeram escolher o Canadá: a qualidade do sistema educacional canadense, a sociedade em si – que é conhecida por ser tolerante e sem preconceitos – e a segurança.

Porém, como se esses já não fossem motivos suficientes, estudar no Canadá é uma das maneiras mais fáceis se de conseguir um visto de trabalho no país, o que pode abrir muitas portas no futuro para você. Dependendo do programa escolhido, você poderá trabalhar 20h semanais enquanto estuda e 40 horas por semana durante as férias. Além de fazer um dinheirinho extra para ajudar nas despesas, você estará ampliando sua rede de contatos e conhecendo cada vez mais o mercado canadense.

E as vantagens não param por aí. Segundo a pesquisa do The Canadian Bureau for International Education, mais de 50% dos estudantes internacionais que estão no Canadá atualmente desejam aplicar para a residência permanente após a conclusão do curso. Portanto, se a sua vontade também é imigrar,  estudar no Canadá pode pesar (e muito) a seu favor. Alguns cursos oferecem ao estudante a possibilidade de aplicar para o Post-Graduation Work Permit (PGWP). Para quem não sabe, o PGWP é uma permissão de trabalho que é concedida após a conclusão dos estudos e tem duração de até três anos. Com isso, você ganhará tempo no país para atingir aos critérios exigidos pelo programa de imigração vigente, o Express Entry*, e ainda poderá ampliar a sua pontuação no sistema adquirindo experiência de trabalho canadense.

É importante destacar que nem todos os cursos dão direito ao PGWP. Para poder solicitá-lo, você vai precisar ter feito um curso com duração superior a oito meses em uma instituição pública ou qualquer programa de degree em instituições particulares. Lembrando que cada caso é diferente e é preciso tomar cuidado. Por isso, contratar uma assessoria especializada como a 3RA Intercâmbio é fundamental para o seu processo. Assim nós podemos fazer uma análise detalhada de seu perfil e escolher o programa que é o mais indicado para você. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

Clique aqui para estudar e trabalhar no Canadá

*Para saber mais detalhes de como funciona o processo de imigração para o Canadá, entender melhor o sistema e buscar o caminho que é o mais ideal para você, sugerimos uma consulta com a nossa empresa parceira Immi Canada, que é credenciada pelo governo canadense.

 

BCIT part-time é febre entre os brasileiros em Vancouver

Os cursos part-time do BCIT (British Columbia Institute of Technology) viraram febre entre os brasileiros. E não é difícil entender porque a instituição se tornou a queridinha entre os estudantes internacionais. Além de garantir um alto índice de empregabilidade, que chega aos 90%, e ser super bem reconhecida no mercado canadense, estes programas possuem uma carga horária mais tranquila e flexível se comparada a dos cursos full-time, facilitando a vida daqueles que precisam conciliar estudo e o trabalho, e ainda oferecem a possibilidade de aplicar para o Post-graduation Work Permit (PGWP)* após a conclusão do curso.

525e8dd7-f8c4-438e-a74e-f9cf5df9cc96O cliente da 3RA Intercâmbio, Daniel Ferrer, está atualmente matriculado no BCIT e a satisfação com a instituição é de 100%. “Escolhi a BCIT após a sugestão da 3RA, pois era uma escola que ensinava preparando para o mercado de trabalho e também pelo ótimo percentual de empregabilidade. Já estou no meu segundo ano de curso na área de Computer Systems e pude constatar o motivo da BCIT ter sucesso no mercado. Os professores são exigentes e direcionados para o mercado de trabalho. O tempo todo fazem correlações entre o que estamos aprendendo e a aplicação prática daquilo em empresas ou no seu próprio negócio”, garantiu.

O também aluno do BCIT, Pedro Henrique Lins, concorda com Daniel. “Estou fazendo o curso de Gestão Financeira com opção em finanças. A BCIT com certeza é uma instituição muito forte aqui no Canadá e eu sempre percebo isso pela reação dos canadenses quando falo que estudo lá. O nível das aulas também é muito alto. Estou gostando bastante e acredito que vou colher muitos frutos no futuro”, disse.

Auxílio da 3RA Intercâmbio

Se você gostou do que a instituição tem para oferecer, já pode correr e garantir a sua matrícula para o próximo termo, que começa em Abril de 2017.

As inscrições serão abertas no dia 20 de fevereiro e nós da 3RA Intercâmbio podemos ajudá-lo com todo o processo de documentação, inscrição nos cursos e pagamento. E o melhor: você não paga nada a mais por isso e ainda pode aproveitar a nossa promoção imperdível que será divulgada em breve. (Fique ligado em nossas redes sociais!)

483649cb-b348-4e42-b700-96aa382bf1bfDaniel Ferrer e Pedro Henrique Lins são clientes 3RA e recomendam. “A 3RA me direcionou para uma excelente escola de TI, me apoiou durante todo o processo inicial e continua me apoiando até hoje. Esse apoio foi fundamental para viabilizar a minha vinda para o Canadá”, afirmou Daniel. “A 3RA fez um ótimo atendimento, esclarecendo todas as minhas dúvidas e explicando o passo a passo do processo. Com certeza eu recomendaria os serviços da empresa”, finalizou Pedro.

*Lembrando que para poder trabalhar no país e ter acesso ao PGWP o estudante precisa manter uma equivalência full-time, que na BCIT significa estar matriculado em pelo menos três matérias que, somadas, deem no mínimo nove créditos. Apenas alunos que já estão no Canadá podem se matricular nos programas part-time da BCIT. 

 

Como abrir as portas para seu futuro profissional no Canadá

Você quer trabalhar no Canadá e ouviu dizer que fazer um curso superior por aqui é uma boa forma de começar sua vida profissional?

Você ouviu certo.  

O Canadá é um país de oportunidades que está de portas abertas para aqueles que desejam trabalhar e construir a vida por aqui. Mas a verdade é que o país quer profissionais bem preparados para assumir suas posições de trabalho. Por isso, na hora da entrevista, o empregador valoriza muito o currículo dos profissionais que possuem alguma formação em instituições de ensino superior canadense. Esta é uma forma da empresa garantir a qualidade da formação daquele candidato.

Além disso, seu estudo vai lhe ajudar a construir seu networking no Canadá. Assim como no Brasil, ter uma rede de contatos também conta muito por aqui. Alguém lhe indicar para uma vaga já é um ponto a mais que você ganha no processo seletivo. E durante o curso você vai se conectar com várias pessoas que estão na mesma área, seja professores ou alunos que já estão trabalhando em empresas que podem te contratar no futuro. 

Outro ponto também positivo em estudar no Canadá é a possibilidade de trabalhar enquanto se cursa programas full-time e de nível superior. Isso permite que o aluno internacional procure emprego assim que começar as suas aulas, aumentando as chances e oportunidades de começar sua carreira. Depois que o curso finalizar, o mesmo aluno ainda ganha mais tempo para trabalhar, ou seja, durante e depois do curso você terá oportunidades de conseguir um bom emprego.

Entenda um pouco mais mais essas permissões de trabalho durante e depois do curso:

Durante o curso

Os cursos vocacionais (técnicos) e universitários (college, graduação, pós-graduação, mestrado) permitem que os seus alunos trabalhem no Canadá até 20 horas por semana enquanto estiverem estudando, desde que o programa siga às regras estabelecidas pela imigração canadense. 

Para estes cursos, a permissão de trabalho começa a valer desde o primeiro dia de aula. Os alunos universitários também podem trabalhar 40 horas semanas durante suas férias (caso o curso escolhido tenha férias).  

É importante lembrar que as permissões de trabalho só valem para quem está matriculado em escolas aprovadas pelo governo canadense. Por isso, o seu consultor de intercâmbio 3RA é tão importante. Ele vai saber lhe indicar as instituições corretas de acordo com o seu objetivo. Vale lembrar ainda que cursos de idiomas não garantem permissão de trabalho no Canadá – a regra mudou em 2014.

Após o fim do curso

Os alunos dos programas vocacionais vão poder trabalhar full-time após o término das aulas. O período do visto de trabalho vai depender do tempo de estudo. O aluno nunca poderá trabalhar mais do que o número de horas estudadas. Os cursos vocacionais são programas voltados para experiência de trabalho. Por isso, o seu trabalho deve fazer parte do seu programa de estudo, contando com o suporte da escola para lhe indicar empresas nas quais você poderá trabalhar.

Já os estudantes que optarem pelos cursos universitários podem pedir o Post-Graduation Work Permit (PGWP) quando o programa acabar, desde que o mesmo tenha duração mínima de 8 meses. Normalmente a permissão de trabalho será concedida pelo mesmo tempo de estudo, com limite máximo de até 3 anos. Por exemplo, se você estudar uma graduação de 4 anos, seu PGWP será de 3 anos. Porém, a boa notícia é que para os alunos que estudam 2 anos o governo pode dar até 3 anos de PGWP.

Estudar em programas que oferecem o PGWP é a opção favorita dos estudantes brasileiros que estão de olho em imigrar para o Canadá. Vale ressaltar que nem todas as faculdades e cursos privados podem garantir a concessão deste visto, por isso, mais uma vez é seu consultor de intercâmbio que lhe ajudará nessa escolha antes de você se matricular. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

O Post-Graduation Work Permit pode ser solicitado após a conclusão do curso de graduação, com você ainda em território canadense – ou seja, você não precisará voltar para o Brasil para aplicar para o novo visto.

A melhor opção segundo seus objetivos

Se a sua intenção é trabalhar com fins de  imigrar para o Canadá, opte por um curso que garanta o PGWP após a sua conclusão. Assim, você une o útil ao agradável.