Posts

Imigrantes no Canadá

Cerca de 25% dos trabalhadores são imigrantes no Canadá

Você certamente já ouviu falar que o Canadá é um país aberto aos imigrantes, certo? E os dados divulgados pelo último Censo do país não deixam dúvidas quanto a isso. Só para se ter uma ideia, cerca de 25% dos trabalhadores são imigrantes no Canadá. Isso mesmo! E esse número é, com certeza, ainda muito maior, já que nesta parte da pesquisa só foram considerados residentes permanentes e cidadãos. Residentes temporários como os portadores de um visto de trabalho e estudantes com permissão para trabalhar foram excluídos desse levantamento. 

De acordo com o site oficial do governo – o Statistics Canada – esse número representa um aumento de 5% em relação aos últimos 10 anos. Em 2006, apenas 20% dos profissionais eram imigrantes. O crescimento foi atribuído às mudanças recentes no sistema imigratório, sendo a principal delas a introdução do Express Entry. Essas modificações visam suprir a falta de mão de obra qualificada no país além de amenizar as consequências do envelhecimento da população. 

Imigrantes no mercado de trabalho por região

O Censo de 2016 revelou números ainda mais surpreendentes de trabalhadores imigrantes em determinadas regiões do país. Na região de Toronto, por exemplo, 50% dos profissionais são oriundos de outros países. Não muito atrás estão Vancouver e sua região metropolitana, nas quais 43.2% de seus profissionais são imigrantes. Calgary e Alberta ocupam a terceira e a quarta posição, com 43.2% e 32.5% respectivamente.

Número de imigrantes no Canadá irá aumentar ainda mais nos próximos anos

De acordo com o Censo de 2016, 7.5 milhões de pessoas chegaram ao Canadá através de um processo imigratório. Isso significa que mais de uma em cada cinco pessoas que vivem atualmente no país como residentes permanentes ou cidadãos canadenses são estrangeiros. De todos esses, mais de 16%, o que representa cerca de 1.2 milhões de pessoas, imigraram nos últimos anos – mais precisamente entre 2011 e 2016. 

Se você já ficou surpreso com estes números, prepare-se para ver essas taxas crescerem ainda mais nos próximos anos. Em novembro de 2017, o governo do país divulgou que cerca de um milhão de pessoas irão se tornar residentes permanentes até o ano de 2020. Para 2018, por exemplo, a expectativa é que 310 mil pessoas virem residentes permanentes no Canadá e outras 330 mil em 2019.

Imigrantes no Canadá: Qual o local de origem?

A pesquisa divulgada pelo governo ainda revelou que a maioria dos imigrantes que vivem no Canadá atualmente são da Ásia: um total de 3.629.165 pessoas. Logo atrás está a Europa, com 2.088.400 imigrantes. As Américas aparecem em terceiro lugar, com 1.127.810 pessoas, sendo 318.105 da América do Sul. Por último está a África, com 637.845. 

Já quando analisamos os dados mais recentes, considerando apenas as pessoas que imigraram entre os anos de 2011 e 2016, os países de origem da maioria dos imigrantes no Canadá são: Filipinas (188.805 pessoas), Índia (147.190 pessoas), China (129.020 pessoas), Irã (42.070 pessoas), Paquistão (41.480 pessoas), Estados Unidos (33.060 pessoas), Síria (29.945 pessoas), Reino Unido (24.445 pessoas), França (24.155 pessoas) e Coréia do Sul (21.710 pessoas).

imigrantes no Canadá

 

Imigrantes brasileiros no Canadá

Atualmente há 29.315 imigrantes brasileiros no país (residentes permanentes e cidadãos). A grande maioria deles, 14.700, vive hoje em dia na província de Ontario, sendo 10.620 moradores de Toronto e região metropolitana.

Logo em seguida está a província de Quebec, com 7.345 imigrantes brasileiros, sendo que a maioria vive em Montreal (5.720).

Em terceiro lugar está British Columbia, com 3.810 imigrantes brasileiros, sendo que 2.860 moram atualmente em Vancouver e região metropolitana.

Veja na tabela abaixo o número de imigrantes brasileiros por província:

Província/Território Número de Imigrantes no Canadá
Ontario 14.700  brasileiros
Quebec 7.345    brasileiros
British Columbia 3.810    brasileiros
Alberta 2.545    brasileiros
Manitoba 440       brasileiros
Saskatchewan 180       brasileiros
Nova Scotia 170       brasileiros
New Brunswick 55         brasileiros
Newfoundland and Labrador 25         brasileiros
Prince Edward Island 20         brasileiros
Northwest Territories 15          brasileiros
Yukon 10         brasileiros
Nunavut 10         brasileiros

Áreas de trabalho que mais contrataram no Canadá

Se você ficou animado com os números e quer trabalhar no Canadá, o Censo também divulgou uma informação que pode ser muito útil para você: Quais foram as áreas que mais contrataram no país nos últimos anos.

Segundo o relatório, as áreas de saúde e assistência social foram as que mais geraram ofertas de emprego. Só para se ter uma ideia, 12,1% de todos os canadenses e residentes permanentes do país trabalham em um dos dois setores. O terceiro lugar ficou com o varejo.

Uma outra área que se destacou nos últimos 10 anos foi a de Tecnologia da Informação (TI). Nenhuma novidade, não é mesmo? A região de Ottawa foi a que mais se destacou para este setor, com 5% de todos os profissionais da região atuando em tecnologia. Logo atrás está Toronto, com 4% de todos os trabalhadores empregados na área de TI.

Se você é um profissional de Tecnologia da Informação e deseja trabalhar no Canadá, não deixe de ler os conteúdos que temos em nosso blog. Em um dos artigos, você pode conferir quais são as profissões em demanda para a área de TI. Em outro, você confere um depoimento de um cliente 3RA que já está empregado no setor.

Como ir para o Canadá para trabalhar?

Além dos processos de imigração, pelos quais você já chega ao Canadá como um residente permanente, há possibilidades de embarcar para o país com uma permissão de trabalho temporária.

Se a sua vontade é imigrar de vez, é preciso pesquisar sobre os processos atuais.  A nossa empresa parceira Immi Canada é especialista no assunto. No blog deles é possível encontrar um texto falando detalhadamente sobre o Express Entry, que é o programa federal. Por lá você também encontra conteúdos sobre as demais opções de programas de imigração para o Canadá.

Visto de trabalho no Canadá (Work Permit)

Segundo a Immi Canada, se você não é um residente permanente ou cidadão canadense, há três possibilidades de trabalhar legalmente no Canadá: Conseguir a permissão através de um programa de estudos; ou com o Post-Graduation Work Permit; ou com o Labour Market Impact Assessment (LMIA). Nas duas primeiras opções, a 3RA pode te ajudar.

É importante lembrar que este texto é apenas um resumo. Para informações mais detalhadas sobre estudo no Canadá, recomendamos que você entre em contato conosco através do email info@3ra.ca. Sobre vistos e imigração, sugerimos a Immi Canada. O email deles é o contact@immi-canada.com.

Permissão de trabalho através de estudos

Se você for um estudante de College ou Universidade, em programas full-time, e com duração mínima de seis meses, você poderá trabalhar 20 horas semanais durante o seu programa. Já nas férias escolares, alguns programas permitem que o aluno trabalhe full-time.

Ao embarcar com o cônjuge, alguns programas oferecem ainda visto de trabalho para o parceiro (a), que poderá trabalhar sem restrição de horas.

Como não são todos os cursos que oferecem esses benefícios, é muito importante pesquisar direitinho e conversar com o seu consultor 3RA. Assim você evita ter surpresas desagradáveis.

É importante lembrar ainda que, desde 2014, cursos de idioma no Canadá não oferecem permissão de trabalho ao estudante. Ou seja, se você embarcar para o país para estudar inglês ou francês, não poderá trabalhar em hipótese alguma. Mesmo que o seu programa seja um Pathway.

Post-graduation Work Permit (PGWP)

O PGWP é um dos grandes aliados daqueles que querem estudar e tentar uma imigração futuramente. Para quem não sabe, essa é uma permissão de trabalho sem restrição de horas. Por isso, ela pode ajudar o estudante a somar pontos em processos imigratórios.

O benefício é oferecido para alunos internacionais que tenham concluído um programa de estudos no Canadá. Porém,  esse curso precisa seguir as regras da imigração canadense. É essencial saber que não são todos os programas que dão direito ao estudante de aplicar para essa permissão de trabalho após a graduação (confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP). Por isso, leia atentamente o nosso texto sobre o PGWP e converse com o seu consultor educacional sobre isso.

Trabalho voluntário no Canadá: Valorização e oportunidade no mercado de trabalho canadense

Você sabia que o trabalho voluntário no Canadá é muito valorizado pelos empregadores? Eles podem servir de referência, além de serem uma forma muito gratificante de mergulhar na cultura do país e abrir os horizontes no mercado de trabalho.

Você poderá encontrar oportunidades em diversas áreas e locais, podendo atuar em comunidades de idosos ou crianças carentes, por exemplo, ou também em setores específicos como marketing, arte e cultura. No verão, as oportunidades tendem a aparecer com mais frequência, porém há vagas o ano todo.

Além disso, esta pode ser uma ótima chance de você fazer networking, ou seja, aumentar sua rede de contatos, já que poderá trabalhar com pessoas de diversas áreas de atuação. Seja sempre proativo e tente fazer atividades além do que está previsto em sua agenda, assim vai aprender mais e os colegas também terão a certeza de que você é esforçado e claro, poderão contar com você!

E tenha em mente: não é porque o trabalho voluntário não é remunerado que você fará algo que não seja reconhecido, não profissional. É totalmente o contrário! Algumas vagas exigem níveis de experiência e às vezes, até treinamentos antes de começar a atividade. Portanto, vá fundo nesta experiência, pois ela abrirá muitas portas para você no mercado canadense, sobretudo para sua vida! Com certeza, você fará a diferença no cotidiano de muitas pessoas!

Alguns sites especializados em trabalho voluntário no Canadá:

https://volunteer.ca/

http://www.govolunteer.ca/

http://charityvillage.com/

http://www.volunteertoronto.ca/  (Toronto)

https://www.mess.gouv.qc.ca/sacais/action-benevole/index.asp (Quebec)

Preciso de permissão de trabalho para atuar como voluntário?

Para trabalhar no Canadá é necessário que você tenha o work permit, que é a permissão de trabalho. Sabemos, no entanto, que se você é um estudante de inglês, você não tem direito a este documento. Porém olha a boa notícia aí: você pode atuar como voluntário! Mas fique ligado, pois há algumas regrinhas para esta modalidade.

De acordo com o site do governo canadense, “trabalho é uma atividade em que são pagos salários ou comissões, ou que compete diretamente com as atividades de um cidadão canadense ou residente permanente no mercado de trabalho do Canadá”.

Alguns exemplos de atividades que não necessitam de autorização de trabalho:

  • Um estudante estrangeiro ser tipo um cuidador de uma criança, como um irmão mais velho. Ou atuar em um centro de apoio a vítimas de pessoas violentadas;
  • Um trabalho não remunerado à um amigo ou membro da família durante uma visita.
  • Se um estudante desejar ficar em uma fazenda familiar e trabalhar em período parcial apenas por quarto e alimentação por um curto período (entre 1 e 4 semanas), isso não seria considerado uma atividade que necessite de uma autorização de trabalho.

Resumindo: para as atividades que são consideradas “recorrentes” no mercado canadense, ou seja, que compete com outros empregos remunerados, estas sim precisam de autorização de trabalho. Em outras palavras, se uma tarefa seguir o significado de “trabalho”, mencionado acima, você terá que possuir o Work Permit.

O texto acima exemplifica apenas algumas situações, porém sabemos que cada caso é um caso. Para informações mais detalhadas e que se aplicam a diferentes situações, acesse o site do governo canadense.

Lembre-se que a Immi Canadá, empresa parceira da 3RA Intercâmbio, também poderá lhe auxiliar em relação à aplicação de vistos.

Fonte: http://www.cic.gc.ca/english/study/institutions/work-volunteer.asp

Veja também:

Tendências do mercado de trabalho canadense em 2017

Saiba como está a empregabilidade atual no Canadá

Disponibilidad de empleo en Canadá

Saiba como está a empregabilidade atual no Canadá

O site oficial do governo canadense Statistics Canada divulgou recentemente a Labour Force Survey 2017, que apresenta um resumo geral da empregabilidade no país. Com essa pesquisa é possível ter acesso a números importantes como vagas geradas em cada província e a taxa de desemprego atual em cada uma delas. Portanto, se você está se preparando para entrar no mercado canadense, veja com atenção os dados abaixo:

1) Emprego no Canadá

De acordo com a pesquisa, a taxa de empregabilidade no país sofreu uma leve alteração quando consideramos os 12 meses anteriores a fevereiro de 2017. Foram 228 mil novas posições, o que representa um aumento de 1,6%. Esse aumento foi mais significativo a partir de Julho de 2016, quando a economia canadense também registrou um crescimento mais considerável.

A taxa de desemprego no país também caiu em 0.2 ficando em 6.6%, sendo a mais baixa registrada desde Outubro de 2008.

2) Empregabilidade nas províncias:

De uma maneira geral, a taxa de empregabilidade cresceu em British Columbia, Saskatchewan e Manitoba. Porém caiu em Nova Scotia e Newfoundland and Labrador. A taxa se manteve a mesma nas outras cinco províncias. Veja informações detalhadas:

British Columbia:

Na província onde está a cidade de Vancouver foram 19.000 posições a mais de trabalho apenas em fevereiro. Quando consideramos o último ano, a província registrou um número de 85.000 novos empregos o que representa 3,6% a mais. Foi o crescimento mais rápido registrado entre todas as províncias. No mesmo período, a taxa de desemprego caiu em 1.4%, ficando em 5.1%, a mais baixa desde Outubro de 2008. Em Fevereiro deste ano (2017) a província também registrou a taxa de desemprego mais baixa entre todas as províncias.

Saskatchewan:

Em Saskatchewan foram 8.000 novos empregos em Fevereiro, o maior crescimento desde Abril de 2012. Antes disso, a taxa de empregabilidade estava estável desde o ano passado (2016). Também em Fevereiro deste ano a taxa de desemprego na província caiu 0.4% ficando em 6%.

Manitoba:

Em fevereiro foram 3.400 novos empregos em Manitoba. A taxa de desemprego também caiu em 0.3% ficando em 5.8%. É a segunda taxa mais baixa entre as províncias.

Ontario:

Quando consideramos o período desde Julho de 2016, o número de pessoas trabalhando na província de Toronto cresceu em 108.000 novas posições, ou seja, 1.5%. Apenas no mês de Fevereiro, a taxa de desemprego caiu em 0.2% ficando em 6.2%.

Quebec:

Nos últimos 12 meses, foram registrados 83.000 novos empregos em Quebec, representando um aumento de 2% na taxa de empregabilidade. Já a taxa de desemprego registrada em Fevereiro foi de 6.4% – uma queda de 1.1% em relação aos anos anteriores.

Alberta:

O número de empregos na província está estável nos últimos meses. É importante lembrar que a província havia registrado quedas entre o outono de 2015 e o verão de 2016. Quanto à taxa de desemprego, Alberta registrou 0.5% a menos, ficando em 8.3%.

Nova Scotia:

Após um aumento no número de empregos no mês de janeiro, a província registrou 6.800 posições a menos em fevereiro fazendo com que a taxa de desemprego do mês na província chegasse a 8,1%. Porém, quando se leva em consideração os últimos 12 meses, essa mesma taxa sofreu pouca alteração.

Newfoundland and Labrador:

Em Fevereiro, foram 3.800 empregos a menos, o que impulsionou a taxa de desemprego para 14,2%. Portanto, este declínio continuou a tendência descendente na província que teve início em Maio de 2016. No último ano, foram 6.400 empregos a menos, ou seja, -2,8%.

profesiones de alto nivel en Canadá

Profissões em alta no Canadá em 2017

Trabalhar em terras canadenses é o sonho de muita gente. Porém, uma das principais dúvidas que surgem principalmente para nós brasileiros é quais são as profissões em alta no Canadá e mais – se nossa área de atuação tem uma boa abertura no mercado de trabalho.

Para solucionar esta questão, a revista “Canadian Business”  divulgou um relatório com as profissões mais valorizadas no país. O estudo levou em conta questões como salários pagos para os profissionais, o crescimento no segmento nos últimos cinco anos e as perspectivas de empregabilidade atual.

Trabalhar no Canadá: ranking das melhores profissões

Para começar a visualizar quais são as profissões em alta no Canadá, veja abaixo as três atividades que aparecem no topo do estudo:

O cargo de diretor de administração pública aparece em primeiro lugar neste ranking. Este profissional é responsável por supervisionar grandes ações e serviços ligados ao governo, planejando orçamentos e contratações. A média salarial por ano é de mais de CAD $106 mil e atualmente 21.300 pessoas estão ocupando esse posto no país.

A segunda posição ficou com o enfermeiro clínico, que de acordo com a legislação canadense, este profissional possui obrigações que estão acima das executadas por uma enfermeira e abaixo do médico. Ainda incluem em suas responsabilidades diagnosticar e tratar certas doenças. A renda anual média ultrapassa CAD $84 mil, o que apresentou um crescimento de 19% entre 2010 e 2016, sendo uma profissão exercida hoje por 5.500 pessoas no país.

Já o terceiro lugar está para o “Mining & Forestry Manager”, que refere-se ao gerente de Mineração e Silvicultura. Este profissional trabalha com atividades ligadas a minas, usinas e demais setores voltados aos recursos naturais do Canadá. Atualmente, 12 mil pessoas ocupam esta vaga no país e, em média, recebem cerca de $100 mil CAD por ano. Para esta área, houve o crescimento salarial de 11% em 5 anos, o que significou um avanço de 39% para novas vagas .

Profissões em alta no Canadá: lista das 20 mais valorizadas no país

Confira abaixo a lista com as top 20 profissões em alta no Canadá, com média salarial anual contabilizada em dólares canadenses.

1 – Public Administration Director – $106,662
2 – Nurse Practitioner – $84,510
3 – Mining & Forestry Manager – $100,006
4 – Pipefitting Supervisor – $89,398
5 – Utilities Manager – $112,320
6 – Telecommunication Manager – $86,528
7 – Real Estate & Financial Manager – $103,376
8 – Economic Development Director – $114,400
9 – Lawyer – $88,524
10 – Elevator Mechanic – $83,844
11 – Pharmacist – $102,398
12 – Corporate Sales Manager – $85,009
13 – Locomotive Engineer – $73,340
14 – Aerospace Engineer – $89,003
15 – Specialized Engineer – $85,009
16 – Deck Officer – $72,800
17 – Business Services Manager – $85,508
18 – Petroleum & Chemical Process Engineer – $104,000
19 – Urban Planner – $86,320
20 – *Police Officer – $83,990
21 – *Firefighter – $78,936
22 – *Software Engineer – $90,001
23 – Pilot or Flying Instructor – $76,960
24 – Mining & Quarrying Supervisor – $72,800
25 – Construction Manager – $79,99

*As profissões de “Police Officer”, “Firefighter” e “Software Engineer” foram consideradas empatadas, segundo os critérios do ranking do site Canadian Business.

Emprego no Canadá: Confira a lista do site workopolis

Apenas a título de comparação, nós também vamos divulgar aqui a pesquisa realizada pelo site workópolis – especialista no mercado de trabalho no Canadá. Baseado no número de posições oferecidas por empregadores no portal e na média salarial, eles também têm uma lista com cinco profissões em alta no Canadá e que também podem pagar mais CAD$ 80 mil anuais. Veja abaixo a versão deles:

1)Enfermeiro
Número de vagas disponíveis registradas no site Workópolis no Canadá: 8213
Veja vagas de emprego para enfermeiros no Canadá
Média salarial: $ 45.677 – $ 87.976

2) Gerente de projetos
Número de vagas disponíveis registradas no site Workópolis no Canadá: 8201
Veja vagas de emprego para gerente de projetos no Canadá
Média salarial: $ 41.771 – $ 110.546

3) Analista de negócios
Número de vagas disponíveis registradas no site Workópolis no Canadá: 5057
Veja vagas de emprego para analista de negócios no Canadá
Média salarial: $ 47.627 – $101.568

4) Analista financeiro
Número de vagas disponíveis registradas no site Workópolis no Canadá: 3849
Veja vaga de emprego para analista financeiro no Canadá
Média salarial: $ 42.347-$82.148

5) Analista de programação
Número de vagas disponíveis registradas no site Workópolis no Canadá: 2297
Veja vaga de emprego para analista de programação no Canadá
Média salarial: $ 44.795 – $94.064

Como procurar emprego no Canadá?

Se você pensa em trabalhar no país futuramente, nós temos um texto em nosso blog que explica onde procurar emprego no Canadá.

Porém, além de saber onde procurar pelas oportunidades, é preciso saber também detalhes importantes tais como adpatar o seu currículo aos moldes canadenses, como fazer uma carta de apresentação do jeitinho que o empregador quer, e um pouco sobre a cultura do mercado de trabalho no Canadá.

Se você está um pouco perdido e quer saber mais sobre o assunto, não deixe de assistir ao vídeo do webinar que fizemos com a especialista canadense Brenda Crump. A profissional conta com mais de 20 anos de experiência nas áreas de recrutamento e seleção. É só dar o play abaixo:

 

 

Saiba mais:
Saiba quais são as 100 “top occupations” em British Columbia
Você sabe quanto ganha um profissional da sua área no Canadá?

 

Estratégias para procurar emprego no Canadá em 2017

O site Workopolis – que conta com um dos maiores bancos de emprego do Canadá – realizou um bate-papo online com especialistas das áreas de recursos humanos do país sobre estratégias para procurar emprego neste ano de 2017. Se você está a procura de um trabalho em terras canadenses, leia com atenção as dicas abaixo:

1) Amplie seu “networking”

Não é segredo para ninguém que o networking é algo muito importante para uma carreira de sucesso. Por isso, tire um tempinho agora no início do ano para aprimorar sua rede de contatos, especialmente se você é um pouco introvertido. Comece a procurar na internet eventos de network em sua área de atuação. Saia de sua zona de conforto!

Segundo os especialistas, uma outra opção é usar o Linkedin. No Canadá, as pessoas têm o costume de realizar a chamada “informational interview”, ou seja, marcar de conversar pessoalmente com alguém da área ou da empresa na qual está interessado sobre o mercado de trabalho . Esta rede social pode ajudar e muito em um primeiro contato.

2) Fique atento à sua “Personal Branding”

Ainda de acordo com os especialistas que participaram do evento online, personal branding é a chave para conseguir um emprego em 2017. Para quem não sabe, personal branding é o que você quer que as pessoas pensem sobre você, ou seja, a sua imagem. Construir um bom portfólio, limpar as mídias sociais e montar um próprio site são apenas algumas das formas de trabalhar sua marca pessoal (personal brand).

3) Não limite suas opções

Existe uma linha tênue entre saber o que você quer e manter suas opções abertas. O recomendado pelos especialistas é sempre pesquisar pela empresa que você quer trabalhar e também pelo cargo que você quer. O ideal é nunca limitar suas opções, já que o seu trabalho dos sonhos pode não estar na empresa que você sempre desejou.

4) Use a tecnologia como uma aliada

Atualmente praticamente todo mundo tem um smartphone. Isso facilita muito a vida de quem está procurando por oportunidades. Inscreva-se em sites de trabalho, ative as opções de “job alerts” e newsletters. Coloque para ser notificado em seu celular. Assim você não deixará passar nenhuma oportunidade.

Além disso, antes de enviar seu currículo e sua cover letter, separe um tempinho para olhar com atenção o anúncio da vaga. Hoje em dia existem vários geradores de nuvem de palavras que podem lhe ajudar a extrair as características importantes que o empregador está buscando. Certifique-se de colocá-las em seu currículo. Este passo pode fazer toda a diferença entre conseguir a entrevista ou ter o seu currículo ignorado.

5) Nunca esqueça de anexar sua cover letter

Muitos brasileiros acabam esquecendo deste documento por não ser algo muito utilizado no Brasil. Porém, no Canadá, ele é extremamente importante. Clique nos links abaixo para ver dicas de como criar a cover letter ideal:

Preparando-se para o mercado canadense: Dicas para uma cover letter de sucesso
Os 20 erros mais comuns cometidos por candidatos em suas cover letters

Fonte oficial: http://careers.workopolis.com/advice/job-search-strategies-2017-experts/

Salário mínimo no Canadá

No Brasil, o salário mínimo tem o mesmo valor em todo o território nacional. Porém, no nosso amado país da América do Norte as coisas são um pouquinho diferentes. Primeiramente, o valor do salário mínimo no Canadá não é mensal, mas sim por hora. Além disso, esse valor da hora pode variar de acordo com a província e a diferença pode chegar a ser de quase três dólares por hora!

Atualmente o salário mais baixo, por exemplo, é de CAD$ 10,96 e o mais alto CAD$ 14,00. Ou seja, se você for um trabalhador full time (40 horas por semana), ganhando o salário mínimo, no final do mês a diferença pode ser de até CAD$ 486.

Por isso, pensando em lhe ajudar, nós resolvemos elaborar um texto com o salário atual de todas as províncias canadenses e também com os aumentos previstos para os próximos anos.

Veja abaixo:

salario mínimo Canadá

 

Salário mínimo no Canadá por província

1) Alberta:

Em Alberta, o salário mínimo atual é de CAD$ 13,60 por hora.  Ainda, de acordo com o governo da província, este valor chegará à CAD$ 15 por hora a partir do dia 1º de Outubro de 2018.

2) British Columbia:

Em British Columbia, o salário atual é de CAD$ 12,65. Porém, o governo vem fazendo uma série de anúncios sobre o aumento do benefício, que chegará a CAD$ 15,20 até junho de 2021. Veja abaixo a crescente:

1º de Junho de 2019: $13.85 por hora (aumento de $1.20 )
1º de Junho de 2020: $14.60 por hora (aumento de $0.75 )
1º de Junho de 2021: $15.20 por hora (aumento de $0.60 )

3) Manitoba:

Em Manitoba, o salário mínimo atual é de CAD$ 11,15 por hora.

4) New Brunswick:

Atualmente, o salário na província é de CAD$ 11,25. Este valor será reajustado anualmente de acordo com o Índice de Preços do Consumidor (Consumer Price Index).

5) Newfoundland & Labrador:

O valor atual do salário mínimo na província é de CAD$ 11,15.

6) Northwest Territories:

O salário mínimo na região é de CAD$ 13,46 por hora. O regulamento não especifica que deve haver um aumento anual.

7) Nova Scotia:

Atualmente, o valor do salário na província é de CAD$ 11. No local, o montante é reajustado de acordo com o Índice de Preços do Consumidor (Consumer Price Index).

8) Nunavut:

O valor do salário mínimo nesta província é de CAD$ 13 por hora e é reajustado sempre no mês de abril de cada ano.

9) Ontario:

Ontario conta com o maior salário mínimo do Canadá atualmente, com o valor de CAD$ 14 por hora. O governo ainda confirmou que, em janeiro de 2019, o montante passará a ser CAD 15,00, por hora.

10) Prince Edward Island:

Atualmente, o salário mínimo na região é de CAD$ 11,55 por hora.

11) Quebec:

Em Quebec, o salário mínimo é CAD$ 12,00 por hora.

12) Saskatchewan:

O salário mínimo atual é de CAD$ 10,96 e é reajustado anualmente, sempre no dia 1 de Outubro, de acordo com o Índice de Preços do Consumidor (Consumer Price Index) e o salário médio por hora (Average Hourly Wage). As alterações no salário mínimo são sempre anunciadas a cada ano até 30 de junho.

13) Yukon:

O valor do salário em Yukon é de CAD$ 11,51 por hora e é ajustado no dia primeiro de Abril de cada ano de acordo com o Índice de Preços do Consumidor (Consumer Price Index).

É importante lembrar que cada província também conta com um custo de vida diferente. Portanto, apenas o valor do salário mínimo não pode ser o único fator levado em consideração no seu “Projeto Canadá”. É preciso analisar o índice de empregabilidade da sua área, o seu estilo de vida, os programas disponíveis em cada cidade e muitos outros fatores. Por isso, a consulta educacional da 3RA é tão importante.

Veja quanto custa viver no Canadá. 

Conheça ferramentas que irão lhe ajudar a encontrar um emprego no Canadá

O site “Job bank” é uma excelente fonte de informação para quem está procurando emprego no país. Nós já escrevemos um pouco sobre ele aqui em outras ocasiões, como quando falamos sobre salários e carreiras. Porém, agora resolvemos mostrar algumas outras ferramentas deste site que podem ser muito úteis principalmente para quem acabou de chegar ao Canadá e não sabe muito bem ainda onde procurar pelas oportunidades.

Advanced Search

O advanced search é um recurso muito interessante da página. Nele você consegue encontrar as vagas disponíveis com as exatas características que você procura. Você pode, por exemplo, filtrar sua busca por tipo de trabalho (temporário, permanente, casual etc), carga horária (full-time ou part-time), idioma, nível educacional, categorias, província e região, entre outros. Clique aqui para acessar esta ferramenta.

Job Alerts

Job Alerts é uma outra ferramenta muito útil. Com ela, você não precisa perder tempo checando o site todos os dias. Basta cadastrar-se no site e, duas vezes por dia, você irá receber em sua caixa de e-mail as vagas disponíveis que atendam ao seu perfil. Caso você consiga um emprego e não precise mais receber as mensagens, basta cancelar a assinatura. Clique aqui para se cadastrar.

Job Market Trends

O site oferece as principais tendências sobre o mercado de trabalho canadense. Desta forma, você pode entender onde estão as oportunidades – a médio e a longo prazo – e pode direcionar suas buscas para alguma região específica do país. A ferramenta “Job Market Trends” também reúno os eventos significativos do último mês que podem ter algum impacto na oferta e demanda de novas oportunidades em todo o Canadá. Você tem a opção de procurar por informações gerais ou filtrar suas pesquisa de acordo com o tipo de informação desejada, setor ou região. Clique aqui para acessar a página.

Top Advertised Jobs

Na seção “Top Advertised Jobs” você encontra uma lista completa e atualizada de quais são os profissionais mais procurados pelas empresas que estão anunciando no site. Normalmente a página recebe cerca de 3 mil novas postagens por dia. Clique aqui e veja a lista atualizada.

Dicas para conseguir um emprego em sua área antes mesmo da graduação no Canadá

Conseguir um emprego em sua área de atuação é o sonho de muitos brasileiros que chegam ao Canadá todos os anos para cursar um College ou Pós-graduação. Porém, muitos deles acreditam que só serão capazes de garantir a tão sonhada vaga após a conclusão do curso no país.

A verdade é que você não precisa esperar tanto tempo assim para fazer o que gosta. Aqui em nosso blog mesmo nós já demos vários exemplos de clientes que estão empregados na área de estudo antes mesmo da graduação. Muitas vezes, a própria faculdade serve como um atalho e ajuda e muito na busca por esta vaga.

Se você faz parte deste time que está ansioso para entrar no mercado logo, veja abaixo algumas dicas listadas pelo site workópolis – especializado no mercado de trabalho canadense:

1)Procure mentores

Encontrar uma pessoa que seja um mentor para você é uma tarefa bem fácil quando ainda se está na faculdade. Fortaleça laços com professores, conselheiros ou mesmo clubes que podem ajudá-lo nesta missão. Procure pessoas que tenham mais experiência na indústria do que você e que possam lhe oferecer conselhos importantes sobre o mercado de trabalho. Muitas vezes, essas pessoas ficam sabendo de oportunidades de trabalho que você não teria acesso sem elas e até mesmo podem te colocar em contato com diversos empregadores. Eles também podem escrever cartas de referência para você, o que pode ser um diferencial durante o processo de entrevista.

2) Esteja envolvido em atividades extracurriculares

Geralmente os empregadores não procuram apenas por habilidades específicas em um candidato. Eles querem alguém que irá se adaptar bem à sua cultura de trabalho e ao restante do time. Por isso, mostre que você está envolvido em outras atividades e que se adapta bem à novas realidades. Seleciona algumas atividades extracurriculares no campus ou faça um trabalho voluntário na instituição, por exemplo. Esse tipo de atividade irá demonstrar iniciativa e liderança.

3) Construa o seu “Network”

Ter uma rede de contatos pode lhe ajudar e muito a conseguir um emprego em sua área de atuação. Por isso, procure por associações específicas de sua área e tente filiar-se a elas enquanto você ainda está na faculdade. Muitas vezes essas associações são gratuitas para estudantes e oferecem acesso a anúncios de emprego, diferentes oportunidades de aprendizado, e programas de monitoria.

Também é interessante procurar conferências, workshops e seminários. Participar deste tipo de evento demonstra que você tem ambição e vontade de aprender. Além disso, eles são uma oportunidade de conseguir novos contatos.

Outra dica é participar de feiras de emprego. Elas oferecem oportunidades de aprender um pouco mais sobre a indústria e as profissões. Muitas vezes neste tipo de evento surgem várias oportunidades de estágio também. Você pode conversar com os empregadores, entregar currículos e cartões de visita.

4) Estágios

Embora os estágios de verão não sejam remunerados na maioria das vezes, eles servem como uma forma de ganhar experiência na área. Dê o seu melhor nestas oportunidades e construa um relacionamento com a empresa. No futuro, você pode acabar sendo contratado pela empresa ou pode garantir uma boa referência para ser usada na busca pelo trabalho.

5) Pesquise muito

Enquanto ainda está na faculdade, procure quais são as principais empresas que estão contratando profissionais da sua área, quais as vagas abertas, quais as habilidades eles exigem. Esta pesquisa pode facilitar a sua busca. É interessante também manter uma planilha para monitorar as tendências do mercado de trabalho ou um diário com os anúncios que lhe interessam.

Saiba como estudar e trabalhar no Canadá

Entrevistas de empleo en Canadá

Entrevista de emprego no Canadá: Como responder às três perguntas mais difíceis?

Vamos falar a verdade: uma entrevista de emprego pode deixar qualquer um nervoso, ainda mais se tratando de um novo país e um outro idioma. Por isso, é importante estar bem preparado para este momento e saber responder o que o entrevistador espera de você.
Surpreendentemente, as perguntas que normalmente parecem fáceis para a gente, são as mais importantes e difíceis de responder. A maneira como você vai respondê-las pode fazer você garantir a vaga ou perder de vez a oportunidade ali mesmo, logo de cara. Por isso, o site Workópolis – a maior página sobre empregos e carreiras do Canadá – listou quais são essas perguntas chave e como respondê-las. Veja abaixo:

1) Conte-me um pouco sobre você:

De acordo com o Workpólis, essa não é exatamente uma pergunta, mas pode funcionar como uma grande pegadinha e qualquer palavrinha errada pode fazer você perder a oportunidade. O empregador está tentando conhecer sua história, entender quem você é como pessoa e ter uma ideia geral de como você resolveria os problemas da empresa. Resumindo: Esta é a sua chance de se vender. Segundo os especialistas ouvidos pelo site, uma bom jeito de formular esta resposta é usando a fórmula presente-passado-futuro, começando pelo presente, falando um pouco sobre o passado em seguida, sem esquecer de destacar suas experiências e habilidades de sua última posição. Para finalizar, fale um pouco sobre o futuro, dando ênfase no porquê você está animado para a oportunidade.

2) Quanto você está esperando ganhar?

Muitas vezes os candidatos preferem evitar responder a este tipo de pergunta, mas em algumas situações você vai precisar responder até mesmo com números. Você pode ser questionado sobre seu histórico salarial ou suas perspectivas salariais para a posição.
Se você for questionado sobre seu histórico salarial, você só precisa falar a verdade. Porém, caso a pergunta seja sobre suas perspectivas salariais, elaborar esta resposta pode ser uma tarefa um pouco mais complicada.
No entanto, nos dois tipos de pergunta a abordagem de sua resposta precisa ser a mesma: Com base nos requisitos do trabalho, na sua experiência e nível educacional, fale o quanto você acredita que seja um salário justo.

3) Por que você deixou o seu último trabalho?

Se você pediu demissão de seu último trabalho, essa pergunta será mais fácil para você responder do que se você tiver sido demitido. Você só vai precisar os motivos que te levaram a essa decisão, sem falar mal de seu antigo empregador. Não se deve fazer isso em hipótese alguma.
Agora, se você foi demitido, sua missão é responder de uma forma honesta e que faça bem para a sua imagem, mostrando, por exemplo, que você aprender algo com essa experiência.

Para esta pergunta, a resposta ideal vai variar de acordo com a sua experiência. Mas nunca esqueça que o ponto mais importante é estar preparado para dar uma resposta que explique o que aconteceu de uma maneira positiva.

Clique aqui e descubra como estudar e trabalhar no Canadá

As 15 melhores perguntas do Hangout “Mercado Canadense: Currículos e Cover Letters”

No dia 9 de Novembro,  o diretor educacional da 3RA Intercâmbio, Francisco Zarro, recebeu a especialista canadense Brenda Crump para um Hangout ao vivo com transmissão para todo o Brasil. Na ocasião, ela explicou aos nossos internautas como elaborar um currículo e uma cover letter de acordo com os padrões do mercado de trabalho do Canadá. Caso você não tenha conseguido assistir ao evento, você tem agora uma segunda chance: Nós separamos as 15 melhores perguntas e respostas para você.

1)É preciso ser fluente em inglês para conseguir um emprego no Canadá?

 

De acordo com a especialista Brenda Crump, você não precisa falar um inglês perfeito, mas tem que saber se comunicar no idioma. “Ser capaz de entender e conversar com as pessoas com certeza irá ajudar muito na conquista de um emprego no Canadá. Falar a língua do país é importante”, disse a especialista.

Segundo o diretor educacional da 3RA Intercâmbio, Francisco Zarro, é importante lembrar que o Canadá é um país multicultural, com gente do mundo todo. Portanto, a maioria das pessoas não tem o inglês como primeira língua. Porém, quanto melhor for o inglês, maiores são as chances de conseguir uma vaga no mercado canadense.

2) Quais são as funções do currículo no Canadá?

 

O currículo é uma ferramenta usada para chamar a atenção dos empregadores para você enquanto candidato. “Ele é usado para contar ao empregador um pouco sobre você, como ele pode te contatar, quem são suas referências, a posição na qual você está interessado e algumas das habilidades e experiências que você pode oferecer à empresa”, destacou Brenda Crump.

3) Quais as principais diferenças entre o currículo canadense e o brasileiro?

 

Segundo Brenda Crump, o currículo canadense não lista apenas suas habilidades técnicas, mas também suas características pessoais, ou seja, sua personalidade. Isso é algo muito importante para o empregador canadense. Outro ponto importante é saber que o propósito do currículo é garantir a você uma entrevista de emprego. “Mantenha isso sempre em mente”, destacou a especialista.

Francisco Zarro completou que normalmente no Brasil se fala muito das suas habilidades técnicas, mas no Canadá eles querem entender um pouquinho quem é você. “Se você chegar no Canadá e puder fazer um trabalho voluntário, isso vai contar muito para a sua entrada no mercado”, destacou.

A gerente da 3RA, Schirley Dalmagro, acrescentou ainda que os canadenses também não querem apenas saber suas tarefas em seu emprego antigo, mas como de fato você ajudou aquela empresa. Por isso, no momento da entrevista, por exemplo, eles sempre pedem fatos. “Se você trabalhou em vendas, eles vão querer saber o que você vendeu, em quanto você aumentou as vendas daquela empresa. Já em processos, eles irão perguntar o que você conseguiu otimizar”, disse.

4) O que é um currículo cronológico? Quais as vantagens e desvantagens deste formato?

 

No Canadá existem três tipos diferentes de currículo: o cronológico, o funcional e o combinado. Eles se diferenciam pelo formato e pelo propósito de cada um.

O Cronológico, por exemplo, conta com um objetivo logo na primeira página. Isto é muito importante, pois os empregadores canadenses estão sempre esperando que você explique exatamente o tipo de trabalho que você quer fazer naquele empresa. Por isso, tenha sempre foco, mostre ao empregador exatamente com o que você quer trabalhar e onde você se vê na empresa.

Como o próprio nome já diz, este tipo de currículo apresenta seus trabalhos em ordem cronológica. Ele lista os anos e as datas, ou seja, quando você trabalhou, do emprego mais recente para o mais antigo.

O  interessante deste tipo de currículo é que ele mostra ao empregador que você tem uma história constante de emprego, sem “intervalos”. É indicado para pessoas que começaram suas carreiras em uma área específica e cresceram dentro dela, já que ele mostra o crescimento na indústria. Se você vai procurar emprego no Canadá na mesma área que você trabalhava no Brasil, este modelo é o mais interessante para você.

No entanto, de acordo com Brenda, este tipo de currículo também apresenta algumas desvantagens. Ele não é muito bom se você está apenas começando sua carreira ou se sua experiência relacionada com a vaga disponível não é a mais recente. Também não é o ideal se você tem muitos intervalos em sua história de trabalho.

5) O que é um currículo funcional? Quais as vantagens e desvantagens deste formato?

 

O currículo funcional apresenta um resumo de suas habilidades. Ele pega todas as habilidades em uma área específica e lista em seções. Ou seja, neste tipo de currículo suas habilidades serão colocadas em grupos e não em ordem cronológica. Em seguida, você pode colocar sua história de trabalho, educação e atividades voluntárias. É importante observar que neste tipo de currículo não há um objetivo como no cronológico, mas você pode acrescentar se quiser.

Este currículo é ideal para quem quer minimizar os intervalos em sua  história de trabalho, ou para quem quer focar em habilidades específicas. Por exemplo, você veio do Brasil e não está muito certo sobre qual setor você será melhor aproveitado em uma empresa. Então você só lista suas habilidades e deixa o empregador decidir onde você pode se encaixar melhor. É o currículo ideal para quem está se mudando para o Canadá, mas não está certo do que quer fazer, mas tem muitas habilidades para ajudar a empresa.

6) O que é um currículo combinado? Quais as vantagens e desvantagens deste formato?

 

De acordo com Brenda Crump, este tipo de currículo reúne os melhores elementos do cronólogico e funcional.  Ele conta com um objetivo definido, mas também destaca as qualificações, o que parece com o estilo funcional.

Em seguida,  este tipo de currículo mostra suas informações educacionais e seu histórico profissional, mas não lista muitas tarefas e responsabilidades, isso porque suas melhores habilidades e características já estão escritas no topo do documento. É um currículo muito bem aceito em vários tipos de indústria, já que enfatiza seus pontos fortes.

A gerente da 3RA Intercâmbio acrescentou que no Brasil normalmente nós colocamos no currículo tudo que já fizemos. Porém, aqui no Canadá é tudo muito mais objetivo. Quando o currículo está muito longo, com muitas palavras, as empresas descartam.

7) Podemos fazer currículos mais criativos para áreas como design gráfico?

 

Segundo Brenda Crump, currículos de áreas criativas como design gráfico são exceção à regra. Normalmente, no Canadá não se coloca foto ou outras imagens no currículo, a não ser que você seja um designer gráfico, por exemplo. Se este for o seu caso, você pode ter um currículo criativo. É bom também adicionar o link para o seu site mostrando seus trabalhos.

8) Quais são as principais regras e dicas para a elaboração de um currículo?

 
  • O currículo deve ter no máximo duas páginas
  • Deve ser fácil de ler e com espaços em branco
  • Precisa ter um objetivo claro
  • Não deve conter informações pessoais como idade, foto, os relacionamento. Segundo Brenda Crump, no Canadá é ilegal fazer este tipo de pergunta. Aqui eles avaliam apenas a sua capacidade de fazer o seu trabalho.
  • O inglês precisa estar perfeito, sem erros de ortografia, gramática ou digitação.

9) É válido começar a procurar emprego no Canadá ainda estando no Brasil?

 

De acordo com Francisco, é até interessante enviar o currículo e a cover letter estando ainda no Brasil para aumentar as chances de conseguir um emprego no Canadá, mas apenas se você já estiver com tudo certinho, visto aprovado, etc.

A gerente da 3RA, Schirley Dalmagro, completou que o ideal é se preocupar apenas em pesquisar as empresas que você tem vontade de trabalhar. “Aplicar para uma vaga de emprego estando ainda no Brasil é complicado. Concentre sua energia em pesquisar as empresas e olhar as descrições de vagas e descobrir quais são as habilidades exigidas”, acrescentou.

Segundo Brenda Crump, o Linkedin é uma opção excelente para realizar esse tipo de pesquisa que foi citada pela Schirley. “Apenas certifique-se de que sua página está toda em inglês”, finalizou a especialista.

10) O que NÃO fazer em um currículo?

 

A especialista Brenda Crump mostrou exemplos de currículos que contam com alguns erros. Você pode ver cada um destes documentos no vídeo acima. O primeiro deles, por exemplo, tem a imagem de um pássaro e conta com um objetivo não muito claro. Além disso, ele é muito longo, já que tem três páginas. Outro ponto importante é quanto às referências, que não deveriam ser colocadas no currículo. “Você deve colocar as referências em uma página separada e entregar ao recrutador após a entrevista”, completou Brenda.

No segundo exemplo, a pessoa queria conseguir um emprego em um restaurante, e acabou adicionando a imagem de talheres no documento. “Nunca use fotos, desenhos, nem papel colorido. O currículo deve ser simples e limpo”, destacou Brenda Crump.

O terceiro exemplo mostra um currículo escrito à mão, um erro grave. “Currículos devem ser sempre digitados”, disse Brenda.

Já o quarto exemplo estaria dentro dos padrões se não fosse por um erro grave: A candidata a uma vaga de babá listou todos os antigos empregadores, com endereço e telefone residencial. “Se esse currículo cai em mãos erradas, pode se tornar algo perigoso para os ex-empregadores dela”, destacou a especialista.

11) Dicas gerais para montar o seu currículo:

 

Segundo Brenda Crump, antes de montar o seu currículo, você precisa fazer uma pesquisa e descobrir o que as empresas estão procurando. O ideal é pegar o anúncio online, observar o tipo de habilidades que o empregador está procurando para determinada vaga e montar seu documento baseado nisso. “Você precisa pegar o anúncio e marcar as habilidades que estão escritas lá e que você tenha. Assim vai ficar mais fácil montar o currículo. Certifique-se sempre de listar as habilidades que você marcou no anúncio no topo de seu currículo”, explicou a canadense.

Ainda de acordo com ela, o currículo precisa ter no máximo duas páginas e deve destacar as melhores habilidades do candidato.

Outra dica é explicar um pouco sobre a empresa que você trabalhou no Brasil. “Se a empresa não é famosa entre os canadenses, você vai precisar explicar o tipo de serviço oferecido e contar um pouco sobre ela”, finalizou.

12) O que é uma cover letter? O que devemos escrever neste documento?

 

De acordo com a especialista Brenda Crump, a cover letter é uma forma de introduzir o seu currículo ao empregador. “É a oportunidade que você tem de falar com o coração o porquê você sente que é um bom candidato para empresa”.

Dicas gerais:

-Seja conciso;
-Se alguém lhe indicou para a vaga, cite o nome desta pessoa em sua cover letter;
-Se você viu o anúncio da vaga em algum lugar, escreva onde viu;
-Mostre que você pesquisou sobre a empresa e que você sabe a missão e os valores da companhia;
-Não tenha medo de mostrar sua personalidade em sua cover letter;
-Escreva a carta de acordo com as habilidades pedidas pelo empregador;
-Não esqueça de colocar nome, endereço e telefone;
-Ainda segundo Brenda Crump, a Cover Letter é uma ótima oportunidade de fazer contato com a empresa mesmo quando você não sabe se há alguma vaga disponível. “Neste caso, em vez de falar em alguma posição específica, você pode citar futuras posições”, destacou.

13) Como colocar referência na Cover Letter?

 

Segundo Brenda Crump, não tem nenhum mistério. Você apenas precisa escrever, por exemplo “a Brenda Crump me passou suas informações e, por isso, estou entrando em contato. Ela disse que você está procurando por alguém para a vaga e acredito que as minhas habilidades podem ser úteis para esta posição”.

14) Onde encontro informações sobre a minha área de atuação no Canadá?

 

Segundo Brenda Crump, antes de se mudar e investir o seu dinheiro, é preciso pesquisar bastante. “Se você digitar no google BC 2024 Labour Market Outlook – Work BC, você vai encontrar uma pesquisa sobre o mercado de trabalho de British Columbia, com previsões para até 2024. Esse é um grande recurso de pesquisa. Assim você pode procurar informações sobre a sua área de trabalho aqui na província”, explicou.

15) Sou funcionário público. Como devo elaborar meu currículo?

 

“Se você trabalha para o governo em uma área específica, como o departamento financeiro, por exemplo, às vezes é interessante você criar um currículo focado em sua habilidades em vez de focar em seu trabalho para o governo, pois alguma empresa daqui pode estar procurando alguém com o seu perfil, e suas habilidades. A função pode ser parecida com a que você executava em seu trabalho para o governo”, explicou Brenda Crump.

Ainda de acordo com ela, é sempre interessante também tentar uma entrevista de informação. “Essa entrevista é aquela que você tenta se conectar com uma pessoa de sua área aqui no Canadá e pergunta se eles podem responder algumas questões sobre o mercado, já que eles estão trabalhando naquela área. Você pode tentar contato por telefone, e-mail, ou linkedin. Você vai ficar surpreso com o quanto as pessoas querem conversar e compartilhar sobre seus trabalhos”, finalizou a especialista.