Posts

Estratégias para procurar emprego no Canadá em 2017

O site Workopolis – que conta com um dos maiores bancos de emprego do Canadá – realizou um bate-papo online com especialistas das áreas de recursos humanos do país sobre estratégias para procurar emprego neste ano de 2017. Se você está a procura de um trabalho em terras canadenses, leia com atenção as dicas abaixo:

1) Amplie seu “networking”

Não é segredo para ninguém que o networking é algo muito importante para uma carreira de sucesso. Por isso, tire um tempinho agora no início do ano para aprimorar sua rede de contatos, especialmente se você é um pouco introvertido. Comece a procurar na internet eventos de network em sua área de atuação. Saia de sua zona de conforto!

Segundo os especialistas, uma outra opção é usar o Linkedin. No Canadá, as pessoas têm o costume de realizar a chamada “informational interview”, ou seja, marcar de conversar pessoalmente com alguém da área ou da empresa na qual está interessado sobre o mercado de trabalho . Esta rede social pode ajudar e muito em um primeiro contato.

2) Fique atento à sua “Personal Branding”

Ainda de acordo com os especialistas que participaram do evento online, personal branding é a chave para conseguir um emprego em 2017. Para quem não sabe, personal branding é o que você quer que as pessoas pensem sobre você, ou seja, a sua imagem. Construir um bom portfólio, limpar as mídias sociais e montar um próprio site são apenas algumas das formas de trabalhar sua marca pessoal (personal brand).

3) Não limite suas opções

Existe uma linha tênue entre saber o que você quer e manter suas opções abertas. O recomendado pelos especialistas é sempre pesquisar pela empresa que você quer trabalhar e também pelo cargo que você quer. O ideal é nunca limitar suas opções, já que o seu trabalho dos sonhos pode não estar na empresa que você sempre desejou.

4) Use a tecnologia como uma aliada

Atualmente praticamente todo mundo tem um smartphone. Isso facilita muito a vida de quem está procurando por oportunidades. Inscreva-se em sites de trabalho, ative as opções de “job alerts” e newsletters. Coloque para ser notificado em seu celular. Assim você não deixará passar nenhuma oportunidade.

Além disso, antes de enviar seu currículo e sua cover letter, separe um tempinho para olhar com atenção o anúncio da vaga. Hoje em dia existem vários geradores de nuvem de palavras que podem lhe ajudar a extrair as características importantes que o empregador está buscando. Certifique-se de colocá-las em seu currículo. Este passo pode fazer toda a diferença entre conseguir a entrevista ou ter o seu currículo ignorado.

5) Nunca esqueça de anexar sua cover letter

Muitos brasileiros acabam esquecendo deste documento por não ser algo muito utilizado no Brasil. Porém, no Canadá, ele é extremamente importante. Clique nos links abaixo para ver dicas de como criar a cover letter ideal:

Preparando-se para o mercado canadense: Dicas para uma cover letter de sucesso
Os 20 erros mais comuns cometidos por candidatos em suas cover letters

Fonte oficial: http://careers.workopolis.com/advice/job-search-strategies-2017-experts/

empleo en mi área en Canadá

Depoimento: “Como eu conquistei um emprego na minha área de atuação no Canadá”

Um dos grandes desejos de quem se muda para o Canadá é conseguir trabalhar na sua área de formação e, consequentemente, garantir a tão famosa experiência canadense. Porém, se inserir profissionalmente em um mercado completamente novo e sem nenhuma referência pode ser um grande desafio. Pensando nisso, a 3RA Intercâmbio convidou o cliente Guilherme Batista Bastos, de 39 anos, a dividir conosco sua experiência. Ele é front-end developer e aterrissou em Vancouver com a família há cerca de um ano. Com muito esforço e dedicação, Guilherme, que chegou ao país com inglês básico, já garantiu a sua vaga em uma empresa canadense em sua área de atuação.

Formado em processamento de dados e pós-graduado em engenharia de software, Guilherme trabalhou em diversas empresas no Brasil e seu último cargo no país foi como desenvolvedor sênior em uma grande empresa de saúde suplementar. Foram mais de dez anos atuando como designer, web-designer, instrutor em escola de informática e web-developer. Porém, em busca de uma qualidade de vida, ele e a família resolveram deixar tudo para trás e realizar o sonho de se mudar para o Canadá.

Ao pisar em terras canadenses, assim como todo recém-chegado a um novo país, Guilherme precisou dar alguns passos para trás, ainda que tivesse muita experiência e conhecimentos adquiridos no Brasil. “Eu cheguei e fiquei dois meses estudando inglês, mas acabei tendo um problema com aluguel e perdi um bom dinheiro. Nisso me vi forçado a procurar um emprego mais rápido do que eu esperava. Depois de insistir na minha área e receber várias respostas negativas, resolvi tentar um trabalho em qualquer coisa para ajudar com as despesas de casa e acabei arrumando emprego em uma padaria que funcionava dentro de um mercado. Eu trabalhava lá de 24 a 32 horas semanais ganhando o salário mínimo, mas continuava aplicando para a minha área mas, desta vez, seguindo uma nova estratégia”, contou.

Diante das negativas, Guilherme percebeu que o mercado canadense é mais exigente e qualificado que o brasileiro e, por isso, mudou a forma de procurar por um trabalho. “Aqui o seu conhecimento deve estar bem enraizado e eu me senti raso perante o mercado de Vancouver. Isso me abalou um pouco no início, mas ao mesmo tempo também me motivou a buscar mais conhecimento e foco”, destacou. Ele começou a focar todas as suas energias em front-end development e se jogou nos livros. “Enxuguei meu currículo e o adaptei para o padrão canadense. Retirei muita informação que eu tinha no currículo mas que não tinha tanto domínio. E tão importante quanto essa adaptação, foi também adequar meu perfil no linkedin. Aqui no Canadá muitas empresas te encontram através desta rede social e cheguei a participar de entrevistas em que eu nem havia aplicado para a vaga. Além disso, estudava onde podia: no ônibus, no metrô e estava sempre procurando por vagas de nível júnior e intermediário”, relembrou.

Após dois meses trabalhando na padaria e ao mesmo tempo buscando novas oportunidades, uma startup para a qual ele havia aplicado através do site Craigslist o convidou para a seleção. “Eles me deram um teste para resolver em 48 horas e eu o fiz. Também participei de uma entrevista por skype com o dono da empresa e eles me unnamedchamaram para trabalhar como front-end developer junior. Para mim tem sido ótimo principalmente por conta da experiência canadense que tanto se pede aqui, pela tecnologia que estou utilizando e aprendendo e pelo ambiente”, comentou.

Depois de toda a sua trajetória, Guilherme separou algumas dicas para quem está começando a procurar um emprego na área. A primeira delas, sem dúvidas, é estudar e muito o inglês. “Eu achava o meu inglês intermediário, mas quando cheguei aqui percebi que era básico. O idioma ainda tem sido uma enorme barreira para mim, mas é essencial para arrumar o emprego e também para se manter nele. Atualmente, mesmo sem participar de aulas formais, tenho estudado em casa usando recursos da internet como vídeos no youtube e sites de exercícios”, falou.

Ainda de acordo com ele, é necessário se manter sempre atualizado. “Percebi que na entrevista, por exemplo, não adianta tentar se justificar falando  que você ficou muito tempo fora do mercado e que não sabe a resposta. Esteja sempre preparado”, enfatizou. E o mais importante de tudo: nunca desanimar. “Jamais deixe de aplicar para as vagas. Existem diversos sites de emprego no Canadá e com a insistência você vai adquirindo experiência e a contratação acaba acontecendo. Eu recebi muitos ‘nãos’ até receber o meu primeiro sim. Às vezes temos que dar um passo para trás para andarmos dois para frente. Se você é sênior e conseguiu uma vaga para trabalhar como júnior, agarre a oportunidade, faça o melhor possível para se destacar e também continue aplicando para vagas melhores”, finalizou.

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá

 

Como abrir as portas para seu futuro profissional no Canadá

Você quer trabalhar no Canadá e ouviu dizer que fazer um curso superior por aqui é uma boa forma de começar sua vida profissional?

Você ouviu certo.  

O Canadá é um país de oportunidades que está de portas abertas para aqueles que desejam trabalhar e construir a vida por aqui. Mas a verdade é que o país quer profissionais bem preparados para assumir suas posições de trabalho. Por isso, na hora da entrevista, o empregador valoriza muito o currículo dos profissionais que possuem alguma formação em instituições de ensino superior canadense. Esta é uma forma da empresa garantir a qualidade da formação daquele candidato.

Além disso, seu estudo vai lhe ajudar a construir seu networking no Canadá. Assim como no Brasil, ter uma rede de contatos também conta muito por aqui. Alguém lhe indicar para uma vaga já é um ponto a mais que você ganha no processo seletivo. E durante o curso você vai se conectar com várias pessoas que estão na mesma área, seja professores ou alunos que já estão trabalhando em empresas que podem te contratar no futuro. 

Outro ponto também positivo em estudar no Canadá é a possibilidade de trabalhar enquanto se cursa programas full-time e de nível superior. Isso permite que o aluno internacional procure emprego assim que começar as suas aulas, aumentando as chances e oportunidades de começar sua carreira. Depois que o curso finalizar, o mesmo aluno ainda ganha mais tempo para trabalhar, ou seja, durante e depois do curso você terá oportunidades de conseguir um bom emprego.

Entenda um pouco mais mais essas permissões de trabalho durante e depois do curso:

Durante o curso

Os cursos vocacionais (técnicos) e universitários (college, graduação, pós-graduação, mestrado) permitem que os seus alunos trabalhem no Canadá até 20 horas por semana enquanto estiverem estudando, desde que o programa siga às regras estabelecidas pela imigração canadense. 

Para estes cursos, a permissão de trabalho começa a valer desde o primeiro dia de aula. Os alunos universitários também podem trabalhar 40 horas semanas durante suas férias (caso o curso escolhido tenha férias).  

É importante lembrar que as permissões de trabalho só valem para quem está matriculado em escolas aprovadas pelo governo canadense. Por isso, o seu consultor de intercâmbio 3RA é tão importante. Ele vai saber lhe indicar as instituições corretas de acordo com o seu objetivo. Vale lembrar ainda que cursos de idiomas não garantem permissão de trabalho no Canadá – a regra mudou em 2014.

Após o fim do curso

Os alunos dos programas vocacionais vão poder trabalhar full-time após o término das aulas. O período do visto de trabalho vai depender do tempo de estudo. O aluno nunca poderá trabalhar mais do que o número de horas estudadas. Os cursos vocacionais são programas voltados para experiência de trabalho. Por isso, o seu trabalho deve fazer parte do seu programa de estudo, contando com o suporte da escola para lhe indicar empresas nas quais você poderá trabalhar.

Já os estudantes que optarem pelos cursos universitários podem pedir o Post-Graduation Work Permit (PGWP) quando o programa acabar, desde que o mesmo tenha duração mínima de 8 meses. Normalmente a permissão de trabalho será concedida pelo mesmo tempo de estudo, com limite máximo de até 3 anos. Por exemplo, se você estudar uma graduação de 4 anos, seu PGWP será de 3 anos. Porém, a boa notícia é que para os alunos que estudam 2 anos o governo pode dar até 3 anos de PGWP.

Estudar em programas que oferecem o PGWP é a opção favorita dos estudantes brasileiros que estão de olho em imigrar para o Canadá. Vale ressaltar que nem todas as faculdades e cursos privados podem garantir a concessão deste visto, por isso, mais uma vez é seu consultor de intercâmbio que lhe ajudará nessa escolha antes de você se matricular. Confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP. 

O Post-Graduation Work Permit pode ser solicitado após a conclusão do curso de graduação, com você ainda em território canadense – ou seja, você não precisará voltar para o Brasil para aplicar para o novo visto.

A melhor opção segundo seus objetivos

Se a sua intenção é trabalhar com fins de  imigrar para o Canadá, opte por um curso que garanta o PGWP após a sua conclusão. Assim, você une o útil ao agradável.

Conheça mais sobre o Post-graduation Work Permit – PGWP

Quem está planejando estudar e/ou imigrar para o Canadá com certeza já deve ter ouvido a sigla PGWP, certo?

Para quem ainda não sabe, o Post-graduation Work Permit – PGWP – é uma permissão de trabalho de 8 meses a 3 anos de duração que os estudantes internacionais têm direito de solicitar após completarem seus estudos no Canadá. Por oferecer mais tempo de permanência no país e permissão de trabalho sem restrição de horas, o PGWP é hoje uma das principais opções para ajudar aqueles que desejam imigrar futuramente.

Porém, o que nem todo mundo sabe é que não são todos os cursos ou escolas que oferecem ao estudante esse direito de pedir pelo PGWP. Já recebemos em nossa agência muitas pessoas desesperadas que investiram um valor altíssimo em colleges de dois anos no Canadá, e que no final do curso descobriram que não teriam o direito de pedir o visto aberto de trabalho. Imagine a frustração e arrependimento dessas pessoas?

Uma das vantagens de contar com a assistência de uma agência especializada como a 3RA Intercâmbio é ter a garantia de se matricular em uma instituição que lhe dará esse direito (caso essa seja a sua vontade, já que a 3RA também oferece cursos vocacionais). Por ter duas agências no Canadá – uma em Vancouver e outra em Toronto – a agência tem uma relação muito próxima com as instituições de ensino e é  é especialista no assunto.

O diretor educacional da 3RA, Francisco Zarro, gravou um vídeo explicando um pouco mais sobre o PGWP, instituições e o formato dos cursos que dão ao aluno esse direito. Veja aqui:

 

Veja abaixo algumas dúvidas frequentes de nossos alunos sobre o PGWP:

1) Quando preciso aplicar para o PGWP?

Você tem até 180 dias após o recebimento da carta oficial de conclusão de seu curso para aplicar para o PGWP e você precisa ter um status válido no Canadá, caso faça a aplicação dentro do país. Para mais informações, entre em contato com a equipe da Immi Canada pelo e-mail [email protected]

2) Como aplicar para o PGWP e quais documentos irei precisar?

Você poderá aplicar online no site oficial da imigração canadense ou pelo correio.

  • Será preciso enviar todos os formulários exigidos pela imigração;
  • a cópia do passaporte completo;
  • cópia da permissão de estudos;
  • cópia do diploma ou certificado da instituição canadense ou do histórico escolar ou uma carta oficial da instituição declarando o término do curso.

3) O meu cônjuge também terá direito a estender a permissão de trabalho junto com o meu PGWP?

Para que o cônjuge consiga estender a permissão de trabalho junto com o aplicante principal, o estudante, no momento da aplicação do PGWP, deverá ter um contrato simples de trabalho firmado com uma empresa, em uma vaga full-time, dentro dos NOCs 0, A ou B. Para quem não sabe, o NOC é um sistema nacional que classifica e descreve todas as ocupações no país. Neste link você consegue descobrir em qual NOC a sua posição de trabalho se encaixa.

4) Não consegui o contrato de trabalho. Como meu cônjuge poderá continuar no Canadá?

Neste caso, as opções são ou o cônjuge se matricular em uma instituição de ensino e estender sua estadia como estudante ou então apenas como turista. Porém, caso você consiga um contrato de trabalho depois, o seu cônjuge poderá aplicar novamente para a permissão de trabalho.

5) Todos os cursos dão direito ao estudante aplicar para o PGWP?

Não. Para ter direito a pedir pelo PGWP, o aluno deverá ter concluído um programa em uma faculdade pública de no mínimo oito meses de duração ou um programa de degree em faculdades particulares (no caso das privadas, não valem diplomas e certificados). Ainda existem uma série de outros requisitos que devem ser seguidos. Por isso, é sempre importante contar com uma agência especializada como a 3RA Intercâmbio. Assim você terá a garantia de que irá se matricular em uma instituição que lhe dará esse direito.

Para te ajudar ainda mais, o Governo Canadense liberou uma lista com todos os colleges que dão direito ao PGWP.  Seguindo os passos da tela você vai encontrar a província, o nome da instituição e se aquele college é elegível ao PGWP através das opções sim e não.

Outras informações sobre o PGWP podem ser obtidas no site oficial da imigração canadense.

Leia mais:

Dúvidas frequentes: Estudo no Canadá

Dúvidas frequentes: Cursos vocacionais