3RA Intercâmbio

empleo en mi área en Canadá

Depoimento: “Como eu conquistei um emprego na minha área de atuação no Canadá”

230 Shares

Um dos grandes desejos de quem se muda para o Canadá é conseguir trabalhar na sua área de formação e, consequentemente, garantir a tão famosa experiência canadense. Porém, se inserir profissionalmente em um mercado completamente novo e sem nenhuma referência pode ser um grande desafio. Pensando nisso, a 3RA Intercâmbio convidou o cliente Guilherme Batista Bastos, de 39 anos, a dividir conosco sua experiência. Ele é front-end developer e aterrissou em Vancouver com a família há cerca de um ano. Com muito esforço e dedicação, Guilherme, que chegou ao país com inglês básico, já garantiu a sua vaga em uma empresa canadense em sua área de atuação.

Formado em processamento de dados e pós-graduado em engenharia de software, Guilherme trabalhou em diversas empresas no Brasil e seu último cargo no país foi como desenvolvedor sênior em uma grande empresa de saúde suplementar. Foram mais de dez anos atuando como designer, web-designer, instrutor em escola de informática e web-developer. Porém, em busca de uma qualidade de vida, ele e a família resolveram deixar tudo para trás e realizar o sonho de se mudar para o Canadá.

Ao pisar em terras canadenses, assim como todo recém-chegado a um novo país, Guilherme precisou dar alguns passos para trás, ainda que tivesse muita experiência e conhecimentos adquiridos no Brasil. “Eu cheguei e fiquei dois meses estudando inglês, mas acabei tendo um problema com aluguel e perdi um bom dinheiro. Nisso me vi forçado a procurar um emprego mais rápido do que eu esperava. Depois de insistir na minha área e receber várias respostas negativas, resolvi tentar um trabalho em qualquer coisa para ajudar com as despesas de casa e acabei arrumando emprego em uma padaria que funcionava dentro de um mercado. Eu trabalhava lá de 24 a 32 horas semanais ganhando o salário mínimo, mas continuava aplicando para a minha área mas, desta vez, seguindo uma nova estratégia”, contou.

Diante das negativas, Guilherme percebeu que o mercado canadense é mais exigente e qualificado que o brasileiro e, por isso, mudou a forma de procurar por um trabalho. “Aqui o seu conhecimento deve estar bem enraizado e eu me senti raso perante o mercado de Vancouver. Isso me abalou um pouco no início, mas ao mesmo tempo também me motivou a buscar mais conhecimento e foco”, destacou. Ele começou a focar todas as suas energias em front-end development e se jogou nos livros. “Enxuguei meu currículo e o adaptei para o padrão canadense. Retirei muita informação que eu tinha no currículo mas que não tinha tanto domínio. E tão importante quanto essa adaptação, foi também adequar meu perfil no linkedin. Aqui no Canadá muitas empresas te encontram através desta rede social e cheguei a participar de entrevistas em que eu nem havia aplicado para a vaga. Além disso, estudava onde podia: no ônibus, no metrô e estava sempre procurando por vagas de nível júnior e intermediário”, relembrou.

Após dois meses trabalhando na padaria e ao mesmo tempo buscando novas oportunidades, uma startup para a qual ele havia aplicado através do site Craigslist o convidou para a seleção. “Eles me deram um teste para resolver em 48 horas e eu o fiz. Também participei de uma entrevista por skype com o dono da empresa e eles me unnamedchamaram para trabalhar como front-end developer junior. Para mim tem sido ótimo principalmente por conta da experiência canadense que tanto se pede aqui, pela tecnologia que estou utilizando e aprendendo e pelo ambiente”, comentou.

Depois de toda a sua trajetória, Guilherme separou algumas dicas para quem está começando a procurar um emprego na área. A primeira delas, sem dúvidas, é estudar e muito o inglês. “Eu achava o meu inglês intermediário, mas quando cheguei aqui percebi que era básico. O idioma ainda tem sido uma enorme barreira para mim, mas é essencial para arrumar o emprego e também para se manter nele. Atualmente, mesmo sem participar de aulas formais, tenho estudado em casa usando recursos da internet como vídeos no youtube e sites de exercícios”, falou.

Ainda de acordo com ele, é necessário se manter sempre atualizado. “Percebi que na entrevista, por exemplo, não adianta tentar se justificar falando  que você ficou muito tempo fora do mercado e que não sabe a resposta. Esteja sempre preparado”, enfatizou. E o mais importante de tudo: nunca desanimar. “Jamais deixe de aplicar para as vagas. Existem diversos sites de emprego no Canadá e com a insistência você vai adquirindo experiência e a contratação acaba acontecendo. Eu recebi muitos ‘nãos’ até receber o meu primeiro sim. Às vezes temos que dar um passo para trás para andarmos dois para frente. Se você é sênior e conseguiu uma vaga para trabalhar como júnior, agarre a oportunidade, faça o melhor possível para se destacar e também continue aplicando para vagas melhores”, finalizou.

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá