Posts

Primeiro emprego no Canadá: Profissões entry-level em demanda, salários e visto necessário

Recomeçar. Essa é uma palavra comum no vocabulário dos brasileiros que chegam ao Canadá todos os anos. Muitos deles sabem que é um pouco difícil ter como primeiro emprego no Canadá uma posição equivalente àquela que era exercida no Brasil. Desta forma, eles vão em busca dos famosos trabalhos “entry level”, ideais para quem deseja se inserir rapidamente no mercado de trabalho canadense e, de quebra, dar aquele gás no inglês.

Isso mesmo! Você leu certo. Para este tipo de emprego, não é preciso estar 100% afiado no inglês. Como são vagas mais operacionais como atendimento em loja e restaurantes, estoque de materiais, caixas de supermercado, entre outras, você precisará apenas conseguir se comunicar com clareza, ainda que cometendo alguns errinhos aqui e ali. A fluência virá com o tempo. :)

Entry level jobs em demanda no Canadá

Não é novidade nenhuma que o Canadá está com o mercado aquecido e precisando de profissionais. Segundo o site oficial do governo – Statistics Canada – o país registrou um aumento de 45 mil novos postos de trabalho apenas até o meio do ano de 2017. Neste mesmo período, foi registrado uma ascensão de 1,7% nas vagas full-time e 3% na taxa de emprego de trabalhos part-time – que são ideais para os estudantes que só podem trabalhar 20 horas por semana no país.

Uma ótima notícia, não é mesmo? Por isso, veja abaixo algumas vagas entry level que estão em demanda e que podem ser o seu primeiro emprego no Canadá. O levantamento foi feito pelo site Workópolis, especialista em mercado canadense:

Sales Representative

Média salarial: $31.032 – $82.347
Habilidades normalmente exigidas:
– Boa comunicação
– Gerenciamento do tempo e organização
– Atenção ao detalhe e habilidade para resolver problemas

Pharmacy assistant

Média salarial: $23.483 – $41.212
Habilidades normalmente exigidas:
– Atenção ao detalhe
– Boa comunicação
– Habilidade para resolver problemas
– Multitask
– Habilidade para trabalhar em grupo

Executive Assistant

Média salarial: $37.020 – $69.082
Habilidades normalmente exigidas:
– Organização
– Microsoft office
– Atenção ao detalhe
– Boa comunicação e escrita
– Multitask
– Habilidade para solucionar problemas e realizar planejamentos

Administrative assistant

Média salarial: $27.428 – $50.579
Habilidades normalmente exigidas:
– Organização
– Microsoft office
– Atenção ao detalhe
– Saber trabalhar em equipe
– Multitask
– Habilidade para gerenciar tempo
– Habilidade para solucionar problemas e realizar planejamentos

Customer service representative

Média salarial: $23.592 – $44.797
Habilidades normalmente exigidas:
– Paciência
– Atenção ao detalhe
– Comunicação excelente
– Multitask
– Habilidade para solucionar problemas

Sales associate

Média salarial: $22.461 – $45.287
Habilidades normalmente exigidas:
– Habilidade para persuadir
– Boa comunicação
– Atenção ao detalhe
– Multitask
– Habilidade para solucionar problemas

As seis profissões “entry level” que colocamos acima podem exigir um domínio maior do idioma. Porém, se você ainda está muito inseguro com o seu inglês e acha que em um primeiro momento não vai dar conta, não se preocupe!

Como falamos anteriormente, há vagas que não exigem uma comunicação tão intensa. Basta procurar ;) Normalmente a remuneração para essas posições é o salário mínimo do Canadá ou um pouco mais. Pense que esse será apenas o seu primeiro emprego no Canadá e irá servir para você conhecer a cultura de trabalho do país, garantir referências, conhecer novas pessoas e dar aquele gás no inglês.

Salário mínimo no Canadá

Se você quer calcular mais ou menos o quanto ganharia em um emprego entry-level que irá lhe pagar o salário mínimo, veja abaixo os valores para cada província no Canadá*.

Mas, antes disso, é importante ter em mente que no Canadá o salário mínimo não tem o mesmo valor em todo o território nacional como no Brasil. Ele varia de acordo com a província.

Além disso, o valor a ser pago não é mensal, mas sim por hora trabalhada. Isso mesmo! Dependendo de onde você morar, o seu salário irá ser maior ou menor. Atualmente, a província que conta com o menor salário é Nova Scotia, com CAD$ 11 por hora. Já o maior salário é em Alberta, de CAD$ 14 por hora. Uma diferença de CAD$ 3 por hora!

Província Salário (por hora)
Alberta $ 13,60
British Columbia $ 12,65
Manitoba $ 11,15
New Brunswick $11,25
Newfoundland e Labrador $11,15
Territórios do Noroeste $13,46
Nova Scotia $11,00
Nunavut $13,00
Ontario $14,00

*Dados de Novembro/2017

Dicas para procurar seu primeiro emprego no Canadá

Apesar de o mercado de trabalho estar em uma fase boa e precisando de trabalhadores, não podemos achar que é fácil garantir o primeiro emprego no Canadá. É preciso estar preparado e isso inclui ter o modelo certo de currículo, saber onde procurar pelas oportunidades e saber o que esperar na hora da entrevista.

A 3RA Intercâmbio, por exemplo, oferece workshops mensais para os seus clientes com a especialista canadense Brenda Crump para ajudá-los nessa missão. A palestrante, que conta com mais de 20 anos de experiência na área de recursos humanos e recrutamento, oferece dicas que vão desde a elaboração de um currículo e uma cover letter de sucesso até informações sobre a cultura organizacional das empresas canadenses e entrevistas de emprego.

No vídeo abaixo, você consegue conferir um pouquinho do material que é abordado nesses eventos. As falas da palestrante estão em inglês, mas não se preocupe! A nossa equipe vai traduzindo o conteúdo ao longo da gravação. O vídeo é um pouquinho longo, mas vale a pena. Separe um papel e uma caneta e faça as suas anotações ;)

Visto de trabalho no Canadá (work permit)

A nossa empresa parceira Immi Canada é especialista em vistos e imigração para o país. No blog deles é possível encontrar um texto muito bacana sobre as possibilidades de conseguir uma permissão para trabalhar no Canadá. Veja um resumo abaixo:

De acordo com a publicação, atualmente, se você não é um residente permanente ou cidadão canadense, há três possibilidades: conseguir a permissão de trabalho através de um programa de estudos; o post-graduation work permit (PGWP); ou o Labour Market Impact Assessment (LMIA).

Lembrando que este é apenas um resumo e para informações mais detalhadas sobre o assunto nós recomendamos que você entre em contato com a Immi Canada através do email [email protected]

Permissão de trabalho através dos estudos no Canadá

Se um estudante estiver matriculado em um College ou Universidade em programas full-time, com duração de no mínimo seis meses, ele terá direito a trabalhar por até 20 horas na semana enquanto estuda e full-time nas férias escolares – os denominados scheduled breaks, ou seja, aqueles intervalos que já são pré-estabelecidos pela instituição de ensino.

Quando o estudante embarca com o cônjuge, dependendo do tipo de programa, o parceiro (a) também terá direito a um open work permit. Ou seja, ele poderá trabalhar full-time, sem limitação de horas. Porém, como já dito anteriormente, não são todos os cursos que irão oferecer esse benefício. Cursos de idioma, por exemplo, não permitem que o aluno e nem o cônjuge trabalhem. Se a sua intenção é trabalhar no Canadá, procure o seu consultor 3RA para ter certeza que o seu curso irá lhe oferecer esse direito.

Post Graduation Work Permit (PGWP)

O Post Graduation Work Permit (PGWP) é uma permissão de trabalho oferecida para estudantes que tenham concluído um programa de estudos no Canadá. Ele tem duração de oito meses a até três anos dependendo do tempo do curso realizado e é um dos maiores aliados dos alunos internacionais que querem imigrar futuramente.

Porém, é muito importante prestar atenção nas regras da imigração canadense pois, novamente, não são todos os cursos que dão direito à solicitação deste benefício. Por exemplo: O programa precisa ter no mínimo oito meses de duração e precisa ter sido realizado em instituições públicas. No caso das faculdades particulares, o programa precisa oferecer no mínimo um degree (não valem diplomas ou certificados). Cursos vocacionais (profissionalizantes) não dão direito a pedir pelo PGWP. (confira a lista de colleges que dão direito ao PGWP)

Ainda existem uma série de outros requisitos que devem ser seguidos. Por isso, não esqueça de consultar a 3RA Intercâmbio para não ter surpresas desagradáveis no futuro.

Você também pode adquirir outras informações no site oficial da imigração canadense.

Labour Market Impact Assessment

Segundo a Immi Canada, o LMIA é um programa voltado para empregadores canadenses que querem contratar algum trabalhador estrangeiro.

Nesse caso, a empresa interessada no seu trabalho precisa provar ao governo que não há trabalhadores canadenses ou residentes permanentes aptos ou interessados a ocupar aquela vaga oferecida à você.

Com o LMIA aprovado, você poderá aplicar para um visto de trabalho vinculado especificamente a empresa.

Onde procurar meu primeiro emprego no Canadá

Nós já temos um texto bem completo aqui em nosso blog com dicas de onde procurar o seu primeiro emprego no Canadá. Essa busca pode ser feita de duas maneiras: Online ou presencialmente.

Se você optar por pesquisar as vagas utilizando a internet, você pode acessar sites especializados como o Go2HR, WorkBC, Indeed, JobBank, Jobserve, BC Jobs, Monster.ca, Eluta.ca, Wow Jobs e o famoso Craigslist. Para este último, cada cidade/região tem sua própria página com informações exclusivas daquela localidade. Veja o site de algumas delas:

É importante lembrar que é preciso sempre tomar cuidado ao buscar vagas online. Nunca forneça dados muito específicos como o seu SIN Number, por exemplo. Veja como procurar vagas online com segurança no Canadá.

Agora se você prefere procurar emprego presencialmente, uma dica é dar uma volta nas áreas mais movimentadas da sua cidade canadense e distribuir currículos. O senso comum diz que a melhor hora para buscar seu primeiro emprego no Canadá é a partir de Maio, quando as lojas e restaurantes começam a se preparar para a temporada de Verão, que vai de Junho a Agosto. É nessa época do ano que os lojistas garantem o maior movimento e, por isso, estão a procura de novos trabalhadores. Outra época boa é por volta de Outubro, quando as lojas começam a se preparar para as vendas de Black Friday, em Novembro, e a época das festas – Natal, Boxing Day e Ano Novo. Porém, durante o ano todo é possível encontrar plaquinhas de “hiring” na porta dos comércios.

Primeiro emprego em sua área de atuação no Canadá

Algumas pessoas já chegam ao Canadá com o inglês afiado e preparadas para tentar algo em sua área de formação/atuação. Diferente dos empregos entry level, um emprego mais especializado irá exigir um pouco mais de esforço na busca. Esse não é o foco principal deste texto, que é voltado para pessoas que estão a procura de uma “entry level position”. No entanto, no blog da 3RA,você encontra textos sobre as mais diversas áreas como Marketing, Administração, Finanças, Recursos HumanosLogística e Tecnologia da Informação (TI).

Além disso, na mesma página, você também pode ler depoimento de clientes que já estão atuando em suas áreas. São eles:

Gostou do nosso texto? Está mais preparado para conseguir o seu primeiro emprego no Canadá? Esperamos que sim! Caso tenha restado alguma dúvida, deixe para a gente nos comentários abaixo. Ou então, entre em contato através do email [email protected] Até a próxima ;)

Depoimento: O primeiro emprego no Canadá – Desafios e futuro

Todos os anos, milhares de brasileiros deixam para trás suas carreiras e chegam ao Canadá em busca de novas oportunidades e qualidade de vida. De olho no futuro, enquanto estudam e aprimoram o inglês para conseguir uma colocação na área que desejam, eles partem para os empregos “entry level”, como aqui são conhecidos os cargos nas áreas de comércio e construção, por exemplo. Ao contrário do que muita gente pensa, esses cargos não são exclusividade de estrangeiros: Existem milhares de canadenses que também trabalham nessas vagas. No Canadá não existe este tipo de preconceito e trabalho é trabalho. Todo mundo consegue viver bem trabalhando com o que escolheu. Por isso, antes de embarcar, é preciso deixar este pensamento de lado e, em seguida, se preparar para garantir o seu primeiro emprego em terras canadenses.

O administrador de empresas Henrique Matsuda Itoh deixou o Brasil há quase dois anos atrás. Ele viajou para Vancouver com a intenção de aprimorar o inglês, mas encontrou inúmeras novas possibilidades no país e agora estuda para trabalhar no futuro com ilustração, animação e modelagem 3D. “Eu sempre gostei muito de desenhar e meus amigos, familiares e professores sempre elogiavam meu trabalho. Quando cheguei ao Canadá descobri inúmeras empresas da área de cinema e inúmeras escolas. Vi uma oportunidade única de conseguir conhecimento e, quem sabe, uma chance de expor minha habilidade e garantir o emprego dos meus sonhos”, revelou.

henriqueEnquanto se prepara para a nova carreira, Henrique trabalha como lavador de pratos em um restaurante.  “Eu era caixa de banco no Brasil e apenas essa informação já mostra o quanto era estressante a minha vida profissional. Trabalhar como lavador de pratos nunca me incomodou, ainda mais porque no Brasil eu trabalhava em um emprego que não gostava. Agora estou focado no futuro, pois quero trabalhar com algo que me dê prazer. Nós passamos grande parte da vida trabalhando, então tem que ser com algo que a gente goste”, destacou.

Para conseguir o primeiro emprego em um restaurante, como todo recém-chegado ao país, Henrique precisou se preparar e contou com a ajuda de amigos. “Como não conhecia como era o sistema empregatício no Canadá fiquei muito perdido. Por sorte, um amigo me indicou para o trabalho. Aqui o mercado para empregos entry level é abundante, mas é preciso saber como procurar por essas vagas. Tudo depende muito do tipo de trabalho que você está procurando”, falou.

Segundo Henrique, o que sempre funcionou para ele na hora de buscar um emprego foi poder contar com sua rede de contatos e persistência. “As empresas aqui prezam muito por indicação. Por isso a minha dica é sempre fazer o máximo de contatos possível. Para quem acabou de chegar e ainda não conhece ninguém, é bom sempre ter cópias do currículo com você e ir andando pela cidade. Sempre tem alguma placa de ‘contratando’ em alguma loja. Também é legal procurar em sites como o Craigslist. Outro ponto importante é persistir. Se o empregador prometeu que vai ligar e não ligou, volte e pergunte sobre o emprego novamente”, sugeriu.

Por fim, Henrique destacou que antes de embarcar é preciso ter pé no chão. “Se você não é daqueles que já vem com um emprego garantido do Brasil para cá, não tenha a ilusão de que você vai conseguir um emprego na sua área rapidamente quando chegar aqui. É importante se preparar e estudar bastante. Antes de cair de cabeça nesta aventura, pesquise muito sobre sua área de atuação. Já para aqueles que assim como eu irão mudar de área, é bom ter em mente que a mudança não será apenas na carreira, mas também no estilo de vida. Aqui o clima é diferente, a cultura é diferente, a comida… mudança total”, finalizou.

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá

empleo en mi área en Canadá

Depoimento: “Como eu conquistei um emprego na minha área de atuação no Canadá”

Um dos grandes desejos de quem se muda para o Canadá é conseguir trabalhar na sua área de formação e, consequentemente, garantir a tão famosa experiência canadense. Porém, se inserir profissionalmente em um mercado completamente novo e sem nenhuma referência pode ser um grande desafio. Pensando nisso, a 3RA Intercâmbio convidou o cliente Guilherme Batista Bastos, de 39 anos, a dividir conosco sua experiência. Ele é front-end developer e aterrissou em Vancouver com a família há cerca de um ano. Com muito esforço e dedicação, Guilherme, que chegou ao país com inglês básico, já garantiu a sua vaga em uma empresa canadense em sua área de atuação.

Formado em processamento de dados e pós-graduado em engenharia de software, Guilherme trabalhou em diversas empresas no Brasil e seu último cargo no país foi como desenvolvedor sênior em uma grande empresa de saúde suplementar. Foram mais de dez anos atuando como designer, web-designer, instrutor em escola de informática e web-developer. Porém, em busca de uma qualidade de vida, ele e a família resolveram deixar tudo para trás e realizar o sonho de se mudar para o Canadá.

Ao pisar em terras canadenses, assim como todo recém-chegado a um novo país, Guilherme precisou dar alguns passos para trás, ainda que tivesse muita experiência e conhecimentos adquiridos no Brasil. “Eu cheguei e fiquei dois meses estudando inglês, mas acabei tendo um problema com aluguel e perdi um bom dinheiro. Nisso me vi forçado a procurar um emprego mais rápido do que eu esperava. Depois de insistir na minha área e receber várias respostas negativas, resolvi tentar um trabalho em qualquer coisa para ajudar com as despesas de casa e acabei arrumando emprego em uma padaria que funcionava dentro de um mercado. Eu trabalhava lá de 24 a 32 horas semanais ganhando o salário mínimo, mas continuava aplicando para a minha área mas, desta vez, seguindo uma nova estratégia”, contou.

Diante das negativas, Guilherme percebeu que o mercado canadense é mais exigente e qualificado que o brasileiro e, por isso, mudou a forma de procurar por um trabalho. “Aqui o seu conhecimento deve estar bem enraizado e eu me senti raso perante o mercado de Vancouver. Isso me abalou um pouco no início, mas ao mesmo tempo também me motivou a buscar mais conhecimento e foco”, destacou. Ele começou a focar todas as suas energias em front-end development e se jogou nos livros. “Enxuguei meu currículo e o adaptei para o padrão canadense. Retirei muita informação que eu tinha no currículo mas que não tinha tanto domínio. E tão importante quanto essa adaptação, foi também adequar meu perfil no linkedin. Aqui no Canadá muitas empresas te encontram através desta rede social e cheguei a participar de entrevistas em que eu nem havia aplicado para a vaga. Além disso, estudava onde podia: no ônibus, no metrô e estava sempre procurando por vagas de nível júnior e intermediário”, relembrou.

Após dois meses trabalhando na padaria e ao mesmo tempo buscando novas oportunidades, uma startup para a qual ele havia aplicado através do site Craigslist o convidou para a seleção. “Eles me deram um teste para resolver em 48 horas e eu o fiz. Também participei de uma entrevista por skype com o dono da empresa e eles me unnamedchamaram para trabalhar como front-end developer junior. Para mim tem sido ótimo principalmente por conta da experiência canadense que tanto se pede aqui, pela tecnologia que estou utilizando e aprendendo e pelo ambiente”, comentou.

Depois de toda a sua trajetória, Guilherme separou algumas dicas para quem está começando a procurar um emprego na área. A primeira delas, sem dúvidas, é estudar e muito o inglês. “Eu achava o meu inglês intermediário, mas quando cheguei aqui percebi que era básico. O idioma ainda tem sido uma enorme barreira para mim, mas é essencial para arrumar o emprego e também para se manter nele. Atualmente, mesmo sem participar de aulas formais, tenho estudado em casa usando recursos da internet como vídeos no youtube e sites de exercícios”, falou.

Ainda de acordo com ele, é necessário se manter sempre atualizado. “Percebi que na entrevista, por exemplo, não adianta tentar se justificar falando  que você ficou muito tempo fora do mercado e que não sabe a resposta. Esteja sempre preparado”, enfatizou. E o mais importante de tudo: nunca desanimar. “Jamais deixe de aplicar para as vagas. Existem diversos sites de emprego no Canadá e com a insistência você vai adquirindo experiência e a contratação acaba acontecendo. Eu recebi muitos ‘nãos’ até receber o meu primeiro sim. Às vezes temos que dar um passo para trás para andarmos dois para frente. Se você é sênior e conseguiu uma vaga para trabalhar como júnior, agarre a oportunidade, faça o melhor possível para se destacar e também continue aplicando para vagas melhores”, finalizou.

Clique aqui e saiba como estudar e trabalhar no Canadá

 

O que saber antes de procurar emprego no Canadá

Procurar emprego é um processo que muda de um país para o outro. Além do idioma você precisa conhecer outros aspectos, como o mercado de trabalho e os fatores culturais de cada país. Quem garante isso é a especialista em consultoria de emprego e programas de treinamento para o mercado de trabalho canadense, Brenda Crump. Segundo Crump, conhecer a economia, cultura e as tradições do país onde se deseja trabalhar é também conhecer melhor os empregadores e o que eles esperam dos estudantes internacionais.

Atuante no mercado canadense há 20 anos, a especialista explica que aspectos pouco notados pelos brasileiros, como a formatação do currículo, a ordem das informações, o jeito de se vestir e como se comportar durante uma entrevista, são detalhes que podem tirar a vaga de um candidato qualificado. Experiências anteriores e bom nível de inglês são importantes, mas é preciso também sincronizar suas qualidades com as expectativas do mercado.

Segundo Brenda Crump, “o mercado canadense é altamente competitivo, e saber o que esse mercado espera de você vai te ajudar a se destacar como um recém-chegado no Canadá”. Ela ainda afirma que, para os candidatos que seguem essas dicas, as oportunidades de trabalho aparecem mais rápido.

Outro fator de extrema importância é conhecer quais segmentos e indústrias estão em crescimento no país. Essas informações vão te ajudar a mapear quais áreas são mais prósperas para se procurar emprego. Depois disso, é hora do candidato focar nas competências. Cada profissão, área de trabalho ou cargo exige habilidades específicas e, por isso, é necessário conhecê-las e destacá-las em sua apresentação, mostrando ao empregador aquilo que ele quer ver.

Se preparando para ganhar o mercado canadense

A questão é que conhecer os aspectos da cultura corporativa do país, saber para onde o mercado está crescendo, e também as habilidades esperadas para cada área de trabalho, não é algo tão simples, ainda mais para quem está há pouco tempo no Canadá. Pensando em ajudar os brasileiros nessa tarefa, a 3RA oferece uma série de workshops com a especialista Brenda Crump, explicando com mais profundidade os aspectos que vão te abrir portas para conseguir um emprego por aqui.

A estudante Jéssica Cruz e seu marido, Alex Kuo, participaram de dois workshops oferecidos pela 3RA. Jéssica conseguiu até que a consultora olhasse seu currículo e sugerisse algumas alterações, que segundo ela, foram fundamentais. Após os workshops, Jéssica e Alex seguiram as dicas e colheram os frutos, os dois não só conseguiram emprego como escolheram onde queriam trabalhar.

“Antes das minhas entrevistas eu li todo o material que a Brenda nos entregou no workshop, estudei bastante as perguntas que poderiam fazer na entrevista, preparei a minha Cover Letter (o que no Brasil a gente não precisa, porém aqui é super importante), e comecei a entregar os meus currículos. Foi impressionante o resultado! Recebi muitas ligações e pude até escolher onde eu queria trabalhar! Com o Alex foi a mesma coisa. Na minha entrevista a gerente elogiou o meu currículo e disse que eu era super qualificada”, contou Jéssica.

Se você tem interesse em participar de um de nossos workshops, fique atento às nossas redes sociais. Os eventos são oferecidos gratuitamente para clientes 3RA uma vez por mês.

 

 

Workshop da 3RA é aprovado pelos participantes

Na última sexta-feira, 28 de agosto, 40 pessoas se reuniram, a convite da 3RA Intercâmbio, para participar do workshop “Como encontrar seu primeiro emprego no Canadá”. O evento contou com a palestrante, Brenda Crump, que há 18 anos trabalho como consultora de emprego. Em um clima bastante discontraído, Crump levantou assuntos de extrema importância para quem está de olho em conseguir boas oportunidades de trabalho no mercado canadense. O público correspondeu à altura, participando ativamente do workshop, tirando dúvidas e trocando experiências.

Entre os assuntos comentados estava a importância em conhecer a cultura corporativa canadense. Para mostrar como os brasileiros são diferentes, os participantes deram exemplos de como muitas coisas acontecem no Brasil, e assim a palestrante foi mostrando como o canadese reagiria em cada uma das questão faladas. O convidado, Guilheme Batista Bastos, está em Vancouver há 30 dias e achou o conteúdo muito útil. “Eu tinha lido alguma coisa por alto (sobre etiqueta canadense) mas saber os detalhes foi muito interessante”, explicou.

Outro ponto bastante comentado por quem acompanhou o workshop foi em relação as dicas da palestrante sobre como conseguir informações especificas de cada área de trabalho. Eleonora V. R. Coelho, conta que mesmo morando em Vancouver há 1 ano, se surpreendeu com algumas das dicas da palestrante. “A parte em que ela (palestrante) fala do information interview eu realmente não conhecia, não tinha essa informação. Isso é bastante interessante porque se as pessoas estão abertas pra ensinar a gente, porque não ir atrás para aprender, né?”.

Para Ana Carolina Vilela Corte, que está há duas semanas no Canadá, além da palestrante ser super simpatica, ela soube falar o que realmente o público precisava aprender em relação ao assunto proposto. “O que mais me surpreendeu foi ela ensinar como analisar o mercado de trabalho de trabalho, pra ter ideia de quanto se está pagando, quais vagas estão disponíveis”. Já a estudante Jéssica da Costa Cruz, que está há quase um ano em Vancouver, gostou muito dos sites com vagas de trabalho que a Crump forneceu, além das dicas de como melhorar o currículo.

O resultado foi tão positivo que a 3RA já está organizando o próximo workshop. Fique ligado nas redes socias da agência para não perder o próximo.