3RA Intercâmbio

Estudo e imigração para o Canadá

40 Shares

Atualmente, muitos brasileiros que chegam ao Canadá para estudar acabam se apaixonando pelo país e decidem tentar um processo de residência permanente. E, neste momento, surge aquela dúvida: Os meus estudos no Canadá podem me ajudar de alguma forma a continuar no país de maneira definitiva? A resposta é sim. Veja mais no texto abaixo: 

Alguns cursos do Canadá oferecem a possibilidade de obter uma permissão de trabalho após a graduação. Essa permissão é conhecida como Post Graduation Work Permit, o famoso PGWP. Nós  já abordamos esse assunto em vários outros textos aqui no blog. No entanto, agora decidimos voltar a falar dele para explicar como e porque ele pode ser um forte aliado de quem deseja fazer do Canadá o seu lar definitivo.

Além disso, o estudo pode colaborar para uma imigração futura de outras formas. Muitos cursos oferecem uma pontuação extra no processo federal, o Express Entry. Este programa tem como foco principal trabalhadores qualificados. 

Outra vantagem é que alguns cursos também dão direito a uma permissão de trabalho sem restrição de horas para o cônjuge. Essa permissão é válida a partir do primeiro dia de aula do estudante de College. Isso também pode ajudar o casal a se qualificar mais rápido para um dos processos de imigração disponíveis. 

Quer entender melhor como essas permissões de trabalho adquiridas através do estudo podem ajudar você a imigrar para o Canadá? É só continuar a ler esse texto. 😉

Vamos começar falando um pouco sobre o PGWP:

Como funciona o PGWP?

Resumidamente, o PGWP vai te dar a oportunidade de permanecer por mais um período trabalhando em terras canadenses logo após a sua formatura no Canadá. A validade desta permissão vai variar de acordo com o tempo de seu programa de estudos. Ela pode ser de oito meses a até três anos. Veja abaixo como funciona a duração do PGWP:

  • Se você concluiu um curso de oito meses de duração, você poderá ser elegível para oito meses de permissão de trabalho.
  • Se você concluiu um curso de 12 meses de duração, você poderá ser elegível para uma permissão de trabalho de um ano.
  • Se você concluiu um curso de dois anos ou mais de duração, você poderá ser elegível para um open work permit de até três anos.  

Como já falamos em outros textos aqui do blog, é importante lembrar que nem todas as escolas e cursos oferecem a possibilidade de aplicar para o PGWP após a graduação. Cursos de inglês e vocacionais, por exemplo, não oferecem esse direito. No site oficial da imigração canadense é possível verificar todos os critérios de elegibilidade do PGWP.

No entanto, em suma, os cursos que te tornam elegível ao PGWP são os seguintes:

  • Programas full-time com duração mínima de oito meses em instituições públicas.
  • Programas full-time de degree em instituições particulares (Exemplo: Bachelor Degree e Masters Degree)

Lembramos também que o governo divulgou recentemente a lista das instituições que dão direito ao PGWP. Apenas tenha em mente que o “Yes” estampado na coluna “Offers PGWP” não é garantia que o programa escolhido por você vai te tornar elegível. É preciso ficar atento não só à escola escolhida, mas também às características de cada programa. Por exemplo: Vamos supor que você faça um programa de seis meses em uma das instituições apontadas nesta lista. Ainda que esteja marcando “Sim” para o PGWP, um programa de apenas seis meses não te dará direito a aplicar para essa permissão de trabalho. Entendido?

Como o estudo e/ou PGWP podem te ajudar a se qualificar para imigrar para o Canadá?

É muito importante ressaltar que estudar no Canadá não vai garantir a sua residência permanente. Muitas pessoas acreditam que, ao concluírem um curso no país e aplicarem para o PGWP, receberão a residência automaticamente. Isto não é verdade! Durante o período do seu curso e do PGWP você é considerado um residente temporário. Você só se tornará um residente permanente após ser aprovado em um dos processos de imigração do Canadá. 

Como já falamos na abertura desse texto, o que acontece, na verdade, é que a conclusão de um curso no país pode te ajudar (e muito!) a se qualificar melhor para um desses programas de imigração e, consequentemente, a imigrar para o Canadá definitivamente. Por exemplo: você poderá ganhar pontos extras no processo federal, o Express Entry, logo após a sua formatura. 

Veja apenas alguns exemplos abaixo:

  • São concedidos 15 pontos para aqueles que concluírem um programa pós-secundário de um ou dois anos de duração;
  • São concedidos 30 pontos para quem concluir um programa pós-secundário de três anos ou mais; ou tiver uma credencial elegível de um master’s degree ou doutorado.

Além disso, ao se formar em uma instituição canadense e que dê direito ao PGWP, as suas chances de conseguir um emprego qualificado aumentam e isso também pode te ajudar a somar pontos nos processos de imigração.

Por exemplo: Ao completar um ano de trabalho remunerado full-time (mínimo de 30 horas semanais, 1.560 horas anuais) no país dentro dos NOCs (National Occupational Classification) 0, A ou B,  você poderá se tornar elegível ao Canadian Experience Class, uma das vertentes do Express Entry.  Além disso, somará mais pontos por conta dessa experiência canadense.  

Caso você só consiga um trabalho part-time, você precisará provar o equivalente a um ano full-time, ou seja, as mesmas 1.560 horas (Você pode comprovar que trabalhou 15 horas semanais por 24 meses, por exemplo). Lembramos que a experiência profissional acumulada enquanto você estiver com visto de estudante não entram nessa conta e, por isso, o PGWP é tão importante. Com esta permissão aberta de trabalho você poderá começar a contar esse tempo de experiência canadense.

É importante destacar ainda que apenas o fato de somar um ano de experiência de trabalho qualificada no Canadá também não garante a sua residência permanente, mas sim, mais pontos para o processo de imigração. O convite para a residência permanente dependerá da nota de corte. Caso você tenha uma pontuação igual ou superior ao estabelecido, você receberá o ITA (Invitation to Apply) e poderá submeter a documentação para a análise do oficial de imigração.

Obs.: Se você ficou confuso com o termo “National Occupational Classification” (NOC) citado acima, calma que a gente explica! O NOC é um sistema que descreve e classifica as profissões no Canadá. Normalmente:

  • Os NOCs 0 são referentes às funções de gerenciamento;
  • Os NOCs A à ocupações de nível profissional;
  • Os NOCs B à trabalhos técnicos; 

Você pode consultar qual o NOC da sua profissão no site da imigração canadense. Basta digitar o nome de sua função em inglês e observar o código que aparece na coluna “Skill level or type”.

Imigrar para o Canadá: Visto de trabalho aberto para o cônjuge

Para os que estão embarcando junto com o cônjuge, o estudo pode te ajudar a imigrar de outras formas.

Ao escolher uma instituição e um programa que irão lhe garantir o direito de aplicar ao PGWP, o seu cônjuge também terá direito à permissão de trabalho sem restrição de horas pelo mesmo tempo de duração de seu programa de estudos.

Com o work permit em mãos desde o seu primeiro dia de aula, o seu cônjuge poderá batalhar pela imigração de vocês logo de início. Desta forma, não será preciso esperar os pontos extras adquiridos com a sua experiência de trabalho durante o PGWP.

A situação é a mesma citada no tópico anterior. Ao completar um ano de trabalho remunerado full-time (1560 horas) nos NOCs 0, A ou B, o seu cônjuge poderá se classificar para o Canadian Experience Class. Como consequência, ele irá garantir mais pontos no Express Entry. Sendo assim, a imigração de vocês poderá chegar antes mesmo da sua formatura.

Porém, assim como no caso anterior, a experiência canadense não garante a residência permanente.  Este tempo de trabalho irá somar mais pontos no processo. Isso poderá tornar o cenário bem mais favorável para vocês. A elegibilidade e a pontuação no processo vão depender também de uma série de outros fatores. Alguns exemplos são: escolaridade, idade, experiência de trabalho, entre outros.

Também é importante destacar que, caso vocês não consigam imigrar para o Canadá antes de sua graduação, é preciso ficar atento a alguns detalhes. Você só poderá estender o visto de trabalho do seu cônjuge junto com o seu Post Graduation Work Permit (PGWP) caso você tenha uma oferta full-time dentro dos NOCs 0, A ou B.  Caso você não tenha esse contrato de trabalho no momento da aplicação do PGWP, o seu cônjuge deverá estender o visto como turista ou estudante. Porém, assim que você conseguir o trabalho, você poderá aplicar novamente para a permissão de trabalho de seu acompanhante.

Formas de imigrar para o Canadá: Processos provinciais

É sempre bom lembrar que o programa federal de imigração – Express Entry – não é a única opção disponível. Há também outras formas de imigrar para o Canadá. Uma outra alternativa são os programas provinciais.

A província de British Columbia, por exemplo, conta com o BC Provincial Nominee Program (BC PNP) no qual uma das categorias – a International Graduate – é focada em estudantes internacionais que concluíram programas de estudo no Canadá.

Para ser elegível, o estudante precisa seguir uma série de critérios. Veja apenas alguns:

  • Ter aceitado uma oferta de trabalho full-time e por tempo indeterminado de um empregador da província de British Columbia. Esse trabalho precisa estar dentro de um dos NOCs 0, A ou B.
  • Poder exercer legalmente a ocupação na provincia de British Columbia.
  • Ter condições de se manter e manter financeiramente os seus dependentes no Canadá.
  • Ter status legal no Canadá.
  • Ter completado um programa de degree, diploma ou certificado em uma instituição pós-secundária nos últimos três anos. A instituição precisa ser considerada elegível pelo governo canadense.
  • Provar proficiência no idioma de acordo com o exigido pelo programa e categoria.
  • Entre outros;

Lembramos que a 3RA Intercâmbio é uma empresa especializada em educação no Canadá. Este texto trata de processos imigratórios de uma maneira geral. Cada caso é diferente e, por isso, recomendamos que você procure a Immi Canada. A immi é nossa empresa parceira e especialista em vistos e imigração no país. Eles poderão fazer uma análise de seu perfil e indicar o melhor caminho para você, já que existem vários disponíveis atualmente. Email de contato: contact@immi-canada.com

Depoimento: Imigrar para o Canadá antes mesmo do PGWP

Imigrar para o CanadaRafaela Borges é cliente e funcionária da 3RA Intercâmbio. Ela iniciou seus estudos no British Columbia Institute of Technology (BCIT) em Setembro de 2016 no programa de Marketing Management. A graduação estava prevista para Março de 2018.

Em Novembro de 2016, o marido, Diego Mendes, conseguiu um emprego em sua área de atuação – Edição de vídeo. Após somar um ano de trabalho no país, o casal se qualificou para o Express Entry através do Canadian Experience Class. Com isso, eles garantiram a residência permanente antes mesmo da emissão do Post Graduation Work Permit (PGWP).

“Quando procurei a 3RA estava buscando por um programa que me desse a possibilidade de três anos de PGWP. Não tinha certeza se queria ficar no Canadá para sempre, mas pensei: Quanto mais tempo, melhor. Acabou que imigramos antes mesmo do PGWP ser emitido, bem perto da data da cerimônia da minha graduação. Foi uma surpresa boa e um grande presente”, disse.

Para Rafaela, a possibilidade de o marido poder trabalhar full-time desde o primeiro dia de aulas dela fez toda a diferença.

“Sem dúvidas, com uma permissão de trabalho sem restrição de horas fica mais fácil conseguir um emprego. Os empregadores preferem contratar quem já está no país e com permissão para trabalhar full-time. A experiência canadense do Diego elevou bastante nossos pontos no Express Entry. Fomos chamados logo no primeiro draw após ativarmos o perfil. Se eu não tivesse estudando, o Diego não teria a possibilidade de trabalhar full-time. Com isso, não teríamos como conseguir esses pontos extras, o que facilitou bastante o processo para a gente”, finalizou.

Todas as informações deste texto foram revisadas com a contribuição da Immi Canada, empresa especialista em vistos e imigração, que conta com consultores credenciados ao ICCRC (Immigration Consultants of Canada Regulatory Council).