3RA Intercâmbio

Depoimento: Primeiras impressões sobre o Canadá

212 Shares

Quem sonha em morar no Canadá, mas ainda não teve a oportunidade de conhecer o país de pertinho, sempre fica com a cabeça cheia de dúvidas, curioso para entender o que tem neste lugar gelado que conquista o coração de tantos brasileiros.

Pensando nisso, nós resolvemos convidar um casal de clientes que desembarcou no país há pouco mais de um mês, a Tharcyla Garcia e o Leandro Pimentel, ambos de 31 anos. Neste mês de setembro, Tharcyla irá começar o seu curso de Marketing na Douglas College, em Vancouver, e o Leandro já está a procura de um emprego em sua área de atuação. Eles contaram como foi o processo de mudança e as primeiras impressões sobre o Canadá.

Antes de decidirem arrumar as malas de vez, Tharcyla e Leandro moravam em São Paulo. De acordo com eles, o sonho de morar no exterior sempre esteve no coração desde a adolescência. “A gente sempre quis morar em outro país, mas como muitas pessoas, nunca tivemos condições financeiras de bancar um intercâmbio quando mais jovens. Mas sonho é assim: fica ali, quietinho, adormecido, até alguma coisa estalar e ele acordar de vez. No nosso caso esse estalo foi a nossa primeira viagem internacional, em 2012”, relembrou Tharcyla.

De acordo com eles, o Canadá foi escolhido após muita pesquisa, levando em consideração principalmente o mercado de trabalho, que parecia interessante para as áreas de atuação de ambos. “O Canadá pareceu o país mais aberto a imigrantes e com um mercado bastante interessante para TI e Marketing, áreas do nosso interesse. E não precisou de muito para escolhermos Vancouver. Jogamos a cidade no Google Images e foi amor a primeira vista. Brincadeiras a parte, o inverno mais ameno também teve papel super importante na escolha”, contaram.

Primeiras impressões e comparações com o Brasil

tharcy e leandro 2Segundo Tharcyla, como eles chegaram um pouco antes do início das aulas, eles tiveram a oportunidade de conhecer bem a cidade. “Nós curtimos um pouco Vancouver como se estivéssemos de férias. Não preciso dizer que nos apaixonamos no momento em que pisamos em solo canadense. Vancouver é uma cidade linda, cercada de natureza e com muito a oferecer. Chegamos também em pleno verão e isso fez toda a diferença. Aliás, essa é a dica que eu dou para quem está planejando essa mudança. Tenho certeza que fizemos a escolha certa”, disse.

Para o casal, muitas coisas no Canadá são diferentes do que estamos acostumados no Brasil. “Aqui é diferente o jeito que as pessoas pensam em termos de ‘comunidade’. Em sua maioria, as pessoas reciclam o lixo, agradecem ao motorista de ônibus ao descer, desejam um ótimo dia ao caixa do supermercado, têm o hábito de doar o que não lhes serve mais, etc. O acesso aos lugares fantásticos que vemos em fotos é quase sempre muito fácil e o transporte funciona”, destacaram.

Mesmo assim, às vezes, ainda bate aquela saudade do Brasil. Porém, de acordo com eles, os benefícios encontrados no novo lar compensam o coração apertado. “É claro que a gente sente muita falta da família e dos amigos que ficaram e, também, de poder beber uma cervejinha na praia ou comer uma coxinha de boteco. Mas não sentimos nem um pouco falta da inseguraça e do medo que sempre andou com a gente ao morar em uma cidade como São Paulo. Aqui também tem violência e criminalidade, afinal ainda é o planeta Terra e não o país das maravilhas. Mas não dá exatamente para comparar os dois países. É uma alegria imensa saber que você pode sair com seu celular na mão e ninguém vai tentar tomar o que é seu, ou que você pode voltar para casa tarde da noite e ninguém vai mexer com você. É a melhor coisa que existe!”, revelou Tharcyla.

Curiosidades e alimentação

Segundo o casal, eles têm o costume de comprar os ingredientes e cozinhar em casa, então eles continuam comendo o que sempre gostaram. “Acho até que as compras de supermercado são mais em conta do que no Brasil e vale lembrar que você acha de tudo por aqui: tapioca, leite condensado, batata palha, farofa e até paçoquinha. Basta pagar o preço – que às vezes é salgado para este tipo de item”, comentou Tharcyla.

Sobre a culinária canadense em si, eles contam que já ouviram opiniões muitos distintas. “Já me falaram que a comida daqui ou é apimentada demais, ou sem tempero. Na minha opinião, a gastronomia canadense não é muito rica, mas ao mesmo tempo é possível saborear delícias de todos os cantos do mundo. Comida japonesa, indiana, grega, russa, tailandesa, vietnamita, enfim…opções de sobra! Mesmo assim, ninguém pode deixar de experimentar o poutine – prato tradicional canadense – e, de sobremesa, uma Nanaimo Bar – um doce bem gordinho de biscoito, creme e chocolate aqui da terrinha”, recomendou o Tharcyla.

Já entre as coisas que eles acham curiosas ou “diferentes”, está o fato de normalmente não ter ralo nos banheiros e varandas, não ter tanque nas lavanderias, e nem lustre/luz nas salas de estar. “Além disso, outro fato interessante em relação aos hábitos canadenses: o costume de doar tudo o que você possa imaginar, seja porque não serve mais ou simplesmente porque não querem mais. No nosso prédio sempre tem alguma coisa para doação na entrada ou lavanderia. E já vi de quase tudo:  louça, móveis, roupas, temperos, creme de barbear, fio dental, macarrão já cozido e com molho, quadro, bicho de estimação… só não vi dinheiro ainda! E pensa você que alguém fica encabulado de pegar alguma dessas coisas? Imagina! Piscou, já não está mais lá”, falou Tharcyla.

Auxílio 3RA e a busca pelo primeiro emprego

tharcy e leandro 3Segundo Tharcyla, a 3RA teve um papel fundamental no planejamento dos dois. “A agência foi super importante na escolha do College que eu vou cursar, tanto na questão da área quanto da instituição.  A princípio, pensávamos que por o Leandro ser de uma área de grande destaque aqui no Canadá (TI), ele é quem estudaria. Estávamos enganados e tanto a 3RA quanto a empresa parceira Immi Canadá nos orientaram direitinho sobre isso. Justamente por TI ser de alta demanda, as vagas são em sua maioria full-time jobs, e aqui, a experiência prática é extremamente valorizada”, destacou.

De acordo com ela, a empresa foi de extrema importância também na decisão do campo de estudos. “Eu achei que faria Publicidade ou Comunicação, por já ser formada na área e, portanto, teria uma vantagem na hora dos estudos por já saber do assunto. Errada mais uma vez. Depois da consultoria, ficou muito claro que eu deveria escolher algo relacionado, que agregasse valor a minha atual formação, e que não destoasse tanto das minhas experiências profissionais anteriores caso retorne algum dia ao Brasil. Acabei escolhendo o programa de dois anos de Marketing da Douglas College”, contou.

Agora, Leandro está procurando seu primeiro emprego. “Ele está na busca, fazendo entrevistas e descobrindo o quão diferente e longo é o processo para ser contratado por uma empresa aqui no Canadá.  Entre a procura em si até o contrato, são tantas etapas que até assustam. É entrevista por telefone, por Skype, pessoalmente, testes, dinâmicas, ufa! Mas, no fim, eles só querem ter 100% de certeza de que você é, de fato, o candidato ideal para a vaga”, falou Tharcyla, que por enquanto vai aguardar o início das aulas antes de procurar trabalho. “Já estou sabendo que a demanda de trabalhos, leituras e provas dos colleges canadenses é bem extensa, e bem diferente das universidades do Brasil. Se eu sentir que dá para trabalhar sem comprometer os estudos, arregaço as manguinhas e começo a procura por um part-time job com certeza. Alô, Five Guys! Me chama – e me paga em hamburger – que eu vou!”, brincou.

Dicas

De acordo com Leandro e Tharcyla, quem está pensando em se mudar para o Canadá precisa guardar dinheiro e estudar inglês. Mas, para eles, a pesquisa é tão importante quanto essas duas etapas. Por isso, eles decidiram montar um canal no youtube – o Canadá Fora de Série – no qual contam o seu dia a dia e dão dicas para quem está pensando em embarcar de vez. “Pesquise muito! A mudança não vai ocorrer de um dia para o outro, então prepare-se para tudo. Informação nunca é demais. Pesquise desde as oportunidades de trabalho para a sua área, a cidade ideal para você – até o preço do leite! Isso nos ajudou muito para criarmos uma visão real do que seria nossa vida aqui no Canadá. Hoje em dia é muito fácil encontrar qualquer tipo de informação na internet: existem grupos no Facebook, empresas que prestam consultoria como a 3RA e a Immi, canais de youtube… as ferramentas são várias e você não perde nada ao ficar bem informado”, concluiu.

Clique aqui e saiba como estudar no Canadá