3RA Intercâmbio

Depoimento: “Como iniciei meu próprio negócio no Canadá”

0 Shares

Abrir uma empresa é algo desafiador. Algumas pessoas têm medo de investir na montagem de um negócio e perder economias que, muitas vezes, levaram anos para serem conquistadas. Agora imagine começar o seu próprio business em um outro país. Os desafios se multiplicam e parecem se tornar ainda muito maiores. Por isso, pensando em ajudar os brasileiros que querem ir para o Canadá e construir um negócio de sucesso no futuro, a 3RA Intercâmbio convidou o empresário Vinícius Caldana, proprietário do Brisa Spa e Studio, em Vancouver, para participar da Semana do Trabalho.

Vinícius imigrou para o Canadá em 2004 e há cerca de três anos está a frente de seu próprio negócio. Atualmente, o Brisa Spa emprega cinco funcionárias, todas brasileiras. A proposta é  oferecer ao público serviços de estética e beleza. “Nós abrimos por quase 12 horas aos finais de semana e 12717665_10156500839635494_4280109397141937294_noferecemos serviços diferenciados, que vão desde manicure, podologia e depilação, até tratamentos estéticos, corporais e faciais como peelings de diamante e cristais”, contou.

De acordo com Vinícius, o fato de já ser um residente permanente no país facilitou muito o processo de compra da empresa, que antes pertencia a uma outra família de brasileiros.  Porém, ele ressalta que a abertura do próprio negócio não é exclusividade de cidadãos canadenses e residentes permanentes. “Sendo residente, a parte de gestão, crédito e administração se torna muito mais simples, pois você pode contar com o apoio de bancos, linha de crédito e outros benefícios dados pelo governo. Porém, até um turista pode abrir uma empresa aqui. A gestão e a operação é que se tornam um pouco mais complexas”, explicou.

Ainda segundo ele, cada negócio precisa de um tipo de licença e apesar de os processos serem um pouco burocráticos, tudo funciona muito bem. “No nosso caso, temos um controle muito rígido com o departamento de saúde de Vancouver. A licença em si não demora a sair quando tudo está adequado. Mas todo o processo levou cerca de quatro meses. Para quem tem interesse em abrir um negócio no Canadá,a primeira coisa a se fazer é ir até a prefeitura da cidade para se informar e descobrir o que é preciso, quanto custa e as etapas exigidas para cada tipo de empresa”, destacou.

Para os recém-chegados ao país que estão buscando emprego ou que pensam em abrir o seu próprio negócio, Vinícius tem uma dica: nunca desanimar. De acordo com ele, a vida de imigrante não é fácil, principalmente nos dois primeiros anos, mas a tendência é melhorar no futuro, já que brasileiros são pessoas de grande destaque no exterior por sua polivalência.  “Muita gente acha que pelo fato de você deixar o Brasil e vir para o Canadá você estará em um melhor patamar. Eu digo que você dá um passo para trás, para poder dar dois para frente… Nesse começo, chegar e trabalhar na sua área, é quase que ganhar na loteria. Portanto, costumo dizer à quem chegou para não desistir. No começo precisamos fazer alguns sacrifícios, mas no final vale a pena. O importante é trabalhar, conseguir algum emprego para que se melhore o inglês e aprenda a cultura local. Aos poucos as coisas vão se acertando e as portas se abrindo. Humildade, força de vontade e perseverança. É preciso buscar espaço e, às vezes, é necessário começar de baixo mesmo”, finalizou.