3RA Intercâmbio

Entrevista: Quem contrata – Felipe Ramos, Rio Brazilian Steakhouse

0 Shares

A busca por um emprego no Canadá é algo que tira o sono de muitos brasileiros que querem recomeçar a vida no novo país. As dúvidas são muitas e vão das mais simples às mais complexas e, muitas vezes, quem chega ao país não tem a quem recorrer para obter informações que possam ajudá-lo neste processo. Pensando nisso, a 3RA Intercâmbio convidou um brasileiro que participa ativamente de contratações na empresa em que é dono: o Felipe Ramos, da Rio Brazilian Steakhouse. Ele dividiu conosco informações valiosas e que podem ajudar (e muito!) quem está a procura de um trabalho em terras canadenses.

Felipe chegou em Vancouver com a família em 2001 e, por isso, também já teve a maioria das dúvidas que todo brasileiro recém chegado a um novo país possui. “Nós nos tornamos canadenses há muito tempo atrás, mas a nossa vida começou como a de todo brasileiro que já está aqui ou está pensando em vir para cá. Na época, nós não entendíamos muito os costumes e o jeito canadense de se fazer business e ainda não existia o Facebook e outras ferramentas de pesquisa para facilitar a chegada. Então aprendemos mesmo com tentativas e erros”, relembrou.

Para quem não conhece, o Rio Steakhouse é uma churrascaria tradicional brasileira e foi inaugurada em 2012. Atualmente são dois restaurantes: um em Downtown Vancouver e outro em Coquitlam. Os dois juntos contam com mais de 50 funcionários. “Uma de nossas várias propostas é sempre tentar ajudar brasileiros com questão de trabalho, pois nós sabemos como pode ser difícil conseguir emprego quando você é recém chegado por aqui. Por isso, muitas vezes contratamos brasileiros sem experiência e fornecemos o treinamento”, contou.

De acordo com Felipe, o processo de contratação para os restaurantes depende muito da vaga. Em geral, são duas entrevistas: a primeira para conhecer e analisar todos os candidatos, na qual são avaliados critérios como personalidade, currículo e futuro com a empresa, e uma segunda para avaliar carga horária e treinamento. Após essas duas entrevistas, os candidatos selecionados passam por uma etapa de treinamento com um dos gerentes. “Para nós, o candidato precisa mostrar vontade de aprender e iniciativa. Esses são os pontos mais fortes que um candidato precisa ter para fazer parte da nossa família. Na entrevista, ele precisa ser firme nas respostas. Pessoas com vontade de mudar e aprender se destacam muito”, explicou.

Quanto ao domínio do idioma, por se tratar de uma empresa brasileira, em determinados cargos não é necessário ter inglês avançado. Mesmo assim, Felipe destaca que saber a língua canadense é um ponto muito importante.  “O Rio tem vários departamentos e ter o domínio da língua é sempre um ponto forte na contratação. Porém, dependendo da vaga que está em aberto, o idioma não chega a ser algo fundamental. Por exemplo, no departamento de limpeza e cozinha, é bom que o candidato tenha um inglês básico, mais do que isso não é tão necessário. Mas agora se a pessoa quer uma vaga de garçom, ela vai precisar ter um inglês avançado, pois o nosso público é muito diversificado. Já para as vagas de passador de carne é bom ter um nível intermediário e é uma ótima oportunidade para começar, já que nesta vaga o candidato vai ter certo contato com a clientela, mas não tanto quanto o cargo anterior. Então é uma boa chance para quem está começando e precisa praticar o idioma”, destacou.

Vivendo há mais de 15 anos em Vancouver, Felipe teve a oportunidade de observar e aprender muito sobre o funcionamento do mercado canadense. Por isso, ele compartilhou conosco algumas dicas valiosas e que podem lhe ajudar na missão da conquista do primeiro emprego emprego. “O candidato precisa se preparar. Em primeiro lugar, é muito bom conhecer o local para o qual você está aplicando. É bom sempre procurar informações online, passar na porta algumas vezes e, se possível, conversar com pessoas que trabalham no lugar. É muito importante também ser humilde. O primeiro emprego é sempre um pé na porta do mercado canadense, então não pense duas vezes se tiver que pegar um cargo ‘mais baixo’ do que aquele que você tinha em seu país. Uma vez que você já está dentro, é fácil subir. No Canadá, muitas empresas preferem promover seus funcionários dentro da própria empresa. O currículo também precisa estar de acordo com o modelo canadense. O design é bem diferente dos currículos brasileiros, então é preciso pesquisar na internet e ajustar o documento para o tipo de trabalho que você deseja. A aparência também conta. É legal estar apresentável, com barba feita (no caso dos homens) e roupas limpas. Além disso, sorrir é muito importante. Seja um candidato bem-humorado e faça o entrevistador sorrir também”, finalizou.