Minha bagagem extraviou, o que fazer?

Intercâmbio não combina de jeito nenhum com dor de cabeça, certo? Certíssimo! Mas, infelizmente, há desagradáveis surpresas que acontecem independente de nossas vontades e do nosso próprio planejamento. Desembarcar e descobrir que sua bagagem não veio junto, ou veio e está em péssimas condições, são exemplos do que pode acontecer. Abaixo, explicamos o que fazer nesses casos. A primeira dica antes de tudo é: mantenha a calma!

Procure a Companhia Aérea

Ao perceber que sua bagagem foi extraviada ou que há algo de errado nela (aberta, violada, danificada), por exemplo, procure imediatamente um atendente da companhia aérea. De preferência, ainda na sala do desembarque. Se não for possível fazer isso assim que desembarcar, você tem ainda 15 dias, de acordo com a ANAC (Agência Nacional de Aviação Civil), para relatar a reclamação. A empresa deve fornecer um documento próprio para formalizar o ocorrido. Caso não forneça, você mesmo pode fazer um comunicado, o importante é deixar por escrito. Durante todo o processo é necessário que esteja em suas mãos o comprovante de despacho da bagagem.

Até quando devo esperar pela minha bagagem?

Ainda de acordo com a ANAC, uma bagagem pode ser considerada extraviada se não for encontrada em no máximo 21 dias, no caso de voos internacionais – no caso de voos nacionais, o período aumenta para 30 dias. Caso não seja localizada e entregue nesse prazo, a empresa será obrigada a indenizar o cliente. Se encontrada, você tem o direito de recebê-la em sua casa!

Como calcular a indenização?

Caso sua bagagem não apareça mesmo, você receberá uma indenização em um valor baseado no peso da mala. Se calcula em caso de voos internacionais US$20 por quilo. Apesar disso, as companhias aéreas costumam pagar um pouco mais (boa notícia, hein?). Ainda há a possibilidade de você receber de sua seguradora – alguns seguros de viagem e até os de saúde internacionais cobrem esse tipo de perda – ou até mesmo do seguro da bagagem, caso você tenha optado por fazê-lo na hora da compra do bilhete. As empresas costumam oferecer também um auxílio diário para você se manter até que encontre seus pertences!

Como prevenir?

Ter ou não a bagagem extraviada é um acontecimento que dificilmente vá depender de você para acontecer. Porém, algumas medidas podem evitar perdas maiores. Por exemplo, você pode deixar os objetos eletrônicos e de valor na bagagem de mão. E tudo que for despachado deve estar devidamente etiquetado, lacrado com cadeados e, se possível, embalado com um plástico a vácuo – a maioria dos aeroportos oferecem esse serviço e os preços muitas vezes valem a pena pela proteção. Outra dica legal é fotografar a mala antes de ser fechada, pode funcionar como uma prova para mostrar o que você leva dentro da mala.

E aí, intercambistas? Anotaram dicas? Isso já aconteceu com você? Nos conte o que você fez e se deu certo! Guarde também os contatos da ANAC: www.anac.gov.br/faleanac e 0800 725 4445 (Central de Atendimento 24 horas), para quaisquer outras dúvidas referentes aos direitos dos passageiros.

Lembre-se ainda que, ao se sentir lesado, todo o cidadão pode recorrer, além da ANAC, aos órgãos de defesa do consumidor ou ao poder judiciário.

Fique atento e boa viagem!