9 Compart.

Na quarta-feira, dia 18 de Janeiro, a 3RA Intercâmbio conversou ao vivo com o representante da TaxBack, Marcelo Tanaka, em mais um de nossos Webinars. Na ocasião, o especialista tirou as dúvidas de nossos internautas sobre o tema Tax Refund e Imposto de Renda no Canadá. Se você não conseguiu participar do evento, não tem problema! Clique no “play” abaixo e assista ao vídeo na íntegra!

 

Nós também preparamos um texto com as 10 melhores perguntas respondidas pelo nosso convidado. Veja abaixo:

1)Se uma pessoa for para o Canadá como residente temporário, voltar para o Brasil e não realizar o Tax Refund, isso pode interferir em alguma coisa se ela quiser aplicar para a residência permanente mais tarde?

 

“Sim. Todo estrangeiro que esteja trabalhando no Canadá e possui algum tipo de renda no país é obrigado a realizar esta declaração de imposto de renda, assim como todo cidadão canadense. Ele precisa respeitar essa regra. Se a pessoa viveu no Canadá, trabalhou e não declarou seus impostos, ela tem uma pendência com o Canada Revenue Agency (CRA) e pode ter problemas na hora de aplicar para a residência”, explicou Marcelo Tanaka.

2) Quem deve realizar o Tax Return?

 

De acordo com Marcelo, qualquer pessoa que tenha trabalhado ou recebido dinheiro de algum empregador dentro do Canadá precisa realizar a declaração. “Mesmo que essa pessoa tenha trabalhado apenas um mês em um restaurante, por exemplo, o empregador vai declarar esse pagamento ao CRA. Então eles sabem que determinado SIN Number recebeu esse dinheiro e irão fazer uma comparação entre o que foi pago pelo empregador e o que foi declarado pelo empregado. Se eles notarem alguma diferença, tanto empregador como empregado podem ser acionados para esclarecer essa diferença”, disse o especialista.

Ainda segundo ele, a declaração precisa ser feita após o fechamento do ano fiscal. “Normalmente entre o final de Janeiro e início de Fevereiro os empregadores enviam o T4, que é um resumo das taxas que foram pagas no ano anterior. Usando esse documento é possível realizar a declaração fiscal e solicitar o reembolso de impostos”, disse.

3) Há alguma diferença na declaração para estudantes internacionais, residentes permanentes ou cidadãos canadenses?

 

Segundo Marcelo, a diferença entre o estudante internacional, o residente permanente e o cidadão é basicamente a margem de isenção.

“Por exemplo, atualmente a margem de isenção para um não residente é de CAD$ 11,474. Desta forma, qualquer coisa que a pessoa ganhar abaixo disso não será tributável. Porém, desde o primeiro dia que o estudante começa a trabalhar, o empregador já vai descontar ali o imposto na fonte. Traduzindo: Se você ganhou menos de CAD$ 11,474 no ano, tudo o que você pagou de imposto será reembolsável, ou seja: 100%. Se você passou desse valor, será aplicada a tarifa real de impostos de acordo com a quantia que você ganhou. O que muda entre estudante internacional e PR ou cidadão é exatamente essa margem de isenção e as tabelas de tributação”, explicou.

4) Como fica a questão de quem é trabalhador autônomo e recebe por invoice?

 

De acordo com Marcelo, neste caso, o próprio trabalhador irá recolher os impostos. “O empregador vai pagar o valor integral, todo o dinheiro para o empregado, e este trabalhador é quem precisará pagar os impostos. Ele precisa fazer isso no final do ano ou no máximo até o dia 30 de abril do ano seguinte. Nestes casos, se a pessoa não realizar o tax refund, ela provavelmente terá problemas no futuro, já que ela ficará devendo para o CRA desde o início. Aconselho a pessoa que está nesta situação a fazer a declaração o mais rápido possível e dentro do prazo”, falou.

5) Quem não trabalhou no Canadá, mas recebeu dinheiro do Brasil, precisa fazer declaração do imposto de renda?

 

Segundo Marcelo, as rendas recebidas do exterior também afetam a declaração canadense. “Suponhamos que você vive no Canadá, mas recebe renda do Brasil. Um caso comum são de alguns trabalhadores que estão fazendo college no Canadá, mas estão de licença remunerada no Brasil e, por isso, continuam recebendo salário. Neste caso esse valor é tributável e precisa ser declarado”.

6) Se meus pais transferirem dinheiro do Brasil para mim, preciso declarar este valor?

 

Não. “Se seus pais transferiram dinheiro para você, ou você mesmo transferiu algum dinheiro de sua conta no Brasil, por exemplo, isso não conta. Pensão, por exemplo, também não é um valor tributável”.

7) Apresentar recibos de despesas médicas, transporte e educação faz alguma diferença?

 

Depende do caso. De acordo com Marcelo Tanaka, se a pessoa está abaixo da margem de isenção, ou seja, ganhou menos de CAD$ 11,474 no último ano, esses recibos não irão afetar em nada, já que ela é totalmente isenta de impostos e tudo que ela pagou naquele ano será recebido de volta. Porém, se a pessoa ganhou mais do que isso, se ela declarar essas despesas, ela pode abater do imposto de renda dela. “Neste caso, o que a pessoa faz é aumentar a margem de isenção e receber mais reembolso, ou seja, ela paga menos impostos”.

8) O Imposto de Renda varia de acordo com a quantidade de dependentes?

 

Sim. “Caso só um dos cônjuges trabalhe, por exemplo, a margem de isenção dobra. Ou seja, vai para mais de CAD$ 20 mil. Caso a família tenha outros dependentes, como filhos, por exemplo, essa isenção vai aumentando e o valor do reembolso também”, disse Tanaka. Ainda segundo ele, “se as duas pessoas do casal estão trabalhando, e uma ganhou cerca de CAD$ 11474, está dentro da margem de isenção, e o outro ganhou menos da metade desta margem, essa pessoa é considerada dependente da outra, automaticamente dobrando a margem de isenção do que ganhou mais. Agora se os dois ganharam acima dessa margem, eles irão pagar um pouquinho mais de impostos”, finalizou.

9) Em relação aos bens que temos no Brasil: Chegando no Canadá é preciso declará-los?

 

“Não. Esses bens já estão sendo declarados e tributados no Brasil. Logo, não há a necessidade de declará-los novamente”, justificou Marcelo.

10) Se um dos cônjuges é estudante e não trabalhou no último ano, na hora de declarar o imposto de renda é possível utilizar os custos dele para abater e conseguir resgatar os impostos?

 

“Sim. Se o cônjuge está no Canadá e vive no mesmo endereço, a despesa dele vale como a do outro que está trabalhando também. Logo, é possível fazer a declaração dos dois juntos e aumentar a margem de isenção”, disse Marcelo.

9 Compart.